Contabilidade

O Contabilista na era digital – Parte I

A tecnologia informática e as plataformas existentes são hoje a base e o apoio de todo o trabalho do Contabilista. Devem proporcionar uma gestão mais otimizada dos procedimentos contabilísticos, levando a uma racionalização das tarefas a executar.

As aplicações informáticas devem permitir o tratamento remoto dos procedimentos contabilísticos de modo a planear, acompanhar e alterar as tarefas do contabilista.

O Contabilista deve poder aceder a bases de dados da informação contabilística, efetuar o cruzamento e tratamento da informação pretendida, simplificar os registos contabilísticos (através da sua parametrização), dinamizar a partilha de conhecimentos e agilizar a cooperação entre o Contabilista e o Empresário.

A tecnologia deve ajudar a executar mais e de uma forma mais assertiva.

Com o desenvolvimento da Era Digital podemos interrogar-nos:

  • O trabalho do Contabilista vai sofrer alterações?

A resposta a esta pergunta é SIM. As tarefas de inserção de dados, bem como o arquivo de documentação em papel, passarão a ser substituídas pelo tratamento de ficheiros e racionalização de pastas de arquivo em servidores físicos ou na nuvem (cloud).

Na Era Digital, vão ser incrementadas tarefas às quais, atualmente, o Contabilista não lhes dedicava muito tempo, designadamente:

  1. Explorar toda a informação que a Contabilidade produz, enquanto sistema de informação;
  2. Verificar / auditar a informação produzida pela Contabilidade;
  3. Apoiar a tomada de decisão por parte do gestor da organização;
  4. Aconselhar a escolha das fontes de financiamento que a empresa pode optar;
  5. Sugerir procedimentos que possam tirar partido de benefícios fiscais previstos na lei;
  6. Suprir a inexistência de uma política de recursos humanos nas Pequenas e Microempresas;
  7. Incrementar uma gestão previsional, com a realização de previsões sobre o futuro a médio prazo das organizações em que o Contabilista está envolvido;
  8. Avaliar o risco das empresas de que é responsável e alocar recursos de forma a diminuir ou eliminar esse risco;
  9. Alocar mais tempo ao estudo das matérias contabilísticas;
  10. Apresentar aos produtores de software sugestões, de modo a melhorar as aplicações existentes.

Acredito que o futuro da profissão de Contabilista vai ser muito mais estimulante do que recolher, arquivar e registar dados.

Por isso, apelo a todos os profissionais, que se entusiasmem com as atuais mudanças designadamente com o IVA Automático, a submissão do ficheiro SAFT e as possibilidades que a integração da informação existente nas mais variadas plataformas podem oferecer.

 

Votos de um Santo Natal e um 2019 muito digital,

Lisboa, 5 de dezembro de 2018

Bruno Lagos

Bruno Lagos, Licenciado em Organização e Gestão de Empresas; Mestre em Auditoria Contabilística; Nos últimos 25 anos, técnico superior na Administração Fiscal Portuguesa.

 

 

 

 

 

 

 

Artigos Relacionados

0 Comentários

Deixe um comentário