Sage Enterprise Management

As previsões do ERP para o ano de 2019 – Parte I

Implementação de serviços na Cloud, mais segurança de dados e a integração de tecnologias de nova geração são alguns dos fatores que a Sage antecipa que mantenham o desenvolvimento do Enterprise Resource Planning, ou ERP. No artigo de hoje, vamos partilhar as previsões para esse crescimento, durante este ano.

  1. O poder está na Cloud

A solução de sistemas ERP baseados na Cloud irá tornar-se a predefinição para as empresas, com o objetivo de crescimento baseado numa monitorização atenta. Apesar da presença da Cloud se fazer sentir progressivamente em todas as áreas de negócio, a transição de sistemas ERP para a Cloud tem sido particularmente mais demorada.

Estas transições podem apresentar desafios específicos, como questões sensíveis de segurança, falta de competências e os gastos de tempo e investimento nas implementações. No entanto, 2019 será o ano da facilidade comprovada das soluções ERP baseadas na Cloud. Até 2021, estima-se que este mercado cresça quase 30 mil milhões de dólares.

A exceção à regra é a indústria de produção, onde se antecipa que a adoção seja mais lenta, apesar dos benefícios claros, como a melhoria de qualidade de produção, acessibilidade global e gestão em tempo real.

  1. As novidades da Inteligência Artificial e Machine Learning

A Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning são utensílios conhecidos e fundamentais do futuro de software ERP. A automatização de processos e o aumento de eficiência são vantagens inegáveis. Também se pode aproveitar a análise imediata dos dados empresariais, para que anomalias flagrantes sejam descobertas sem necessidade de análise humana.

Este tipo de ferramentas digitais não precisam de substituir o trabalho humano. Podem antes ajudar a ganhar mais produtividade, além de poupança de dinheiro e tempo, ao proporcionarem apoio.

  1. O ERP, na vanguarda

Enquanto a Internet das Coisas (IoT) se continua a alastrar, a indústria da produção aposta nas soluções periféricas de ERP, com o intuito de ganhar produtividade e de alargar sistemas centrais. Quanto mais dispositivos IoT comuniquem, mais necessária se tornará a interpretação desses dados.

Um sistema ERP principal permite uma supervisão mais completa das suas operações de distribuição e pode até agilizar o processo de tomada de decisões. A inovação de edge-computing também possibilita gerir e monitorizar operações de máquinas a partir de qualquer local. De toda esta informação útil, podem nascer melhores decisões táticas, adaptadas às realidades da cadeira de distribuição.

Na segunda parte deste artigo, concluiremos as previsões sobre ERP, em 2019.

Artigos Relacionados

0 Comentários

Deixe um comentário