Sage Faturação

A SoundCloud demorou quatro anos a permitir aos músicos tornar o seu trabalho rentabilizável

Para qualquer músico que se preze com presença online, SoundCloud é um nome muito familiar. A rede social criada em 2007 oferece uma plataforma para se partilhar músicas originais mas a sua evolução nem sempre ocorreu a uma velocidade do século XXI. Dez anos após o seu lançamento, a plataforma finalmente permitiu a rentabilização de conteúdos independentes.

A SoundCloud ofereceu diferentes produtos ao longo do tempo. O SoundCloud Go, para ouvintes, desbloqueava conteúdo licenciado, permitindo também uso offline, livre de anúncios, enquanto que o SoundCloud Pro era um serviço de subscrição para criadores, que permitia a publicação de mais músicas ainda, na plataforma, além de mais controlos de conteúdo e análises avançadas.

A partir de agora, músicos maiores de 18 anos, que paguem a comissão da SoundCloud por publicar as suas músicas originais e que obtenham 5 000 streams mensalmente, podem aderir ao programa SoundCloud Premier. A plataforma afirma que esta partilha de receitas ultrapassa a de qualquer outro serviço de streaming, apesar de não especificar valores.

Com isto, a Soundcloud pretende aumentar o seu conjunto de 20 milhões de artistas, aproveitar a sua presença para impulsionar o número de streams de músicas e pintar o site com conteúdo exclusivo que atraia ouvintes.

Mas vamos dar um passo atrás. Há um ano, a SoundCloud viu-se obrigada a reunir 170 mil milhões de dólares para evitar falência, após ter despedido 40% da sua equipa. Apesar deste revés, a dinâmica do mercado parecia estar do lado da plataforma, uma vez que, ultimamente, o rap underground, característico da SoundCloud, está a receber muita atenção.

Infelizmente, o processo lento da SoundCloud permitiu que os seus concorrentes a ultrapassassem. A Youtube Music lançou em junho um serviço de streaming com um catálogo combinando nomes de grandes editoras e conteúdo carregado por utilizadores. Por outro lado, em setembro, a Spotify passou a possibilitar que artistas independentes passem a carregar as suas músicas diretamente na plataforma.

Surgiu ainda um novo tipo de competição. Serviços de distribuição de licenciamento, como a Dubset, facilitam que as grandes aplicações de streaming publiquem remixes, DJ sets e versões ao vivo – possibilidades que apenas costumavam estar disponíveis na SoundCloud.

Ao adiar a migração do seu serviço para um formato pago e ao demorar a valorizar a sua principal força, o seu conteúdo gerado por artistas independentes, a SoundCloud permitiu que a concorrência à sua volta ocupasse os lugares onde anteriormente marcava a diferença.

Para qualquer tipo de atividade, é ideal que identifiquem o mais cedo possível a vossa característica diferenciadora. Aí, encontram o vosso valor mais importante e podem começar a rentabilizá-lo. Daí em diante, a faturação será o processo mais fácil e podem simplificá-lo ainda mais com uma solução Sage.

 

Artigos Relacionados

0 Comentários

Deixe um comentário