All Posts By

SAGE

BMS Sage Enterprise Management

O e-commerce está a mudar!

As compras online são cada vez mais parte do nosso quotidiano e estilo de vida. O retalho está empenhado em continuar a incentivar este crescimento, tornando as compras online cada vez mais agradáveis.

O e-commerce está cada vez mais competitivo, com a tecnologia a possibilitar websites mais inteligentes, envio mais rápido e uma maior exigência da parte dos clientes.

Personalização

Experiências cada vez mais adaptadas ao gosto pessoal dos clientes são uma das formas de melhorar os resultados. Sem o atendimento físico numa loja, em que um assistente procura ajudar o cliente, cabe à tecnologia ocupar este papel.

Algumas empresas analisam as compras passadas, usando esta informação para sugerir conteúdos que vão de encontro ao gosto do cliente. Outras empresas escolheram incorporar a Inteligência artificial na experiência de e-commerce. A empresa Facenote inovou ao aplicar a tecnologia de reconhecimento facial aos clientes, criando desta forma uma ligação emocional.

Realidade virtual

Existe uma tecnologia, em geral utilizada nos jogos de vídeo, que também pode ser aplicada às compras online. Empresas como a Magnolia Market encontraram uma forma de auxiliar os seus clientes através da realidade virtual. Criaram uma app que permite aos utilizadores verem, por exemplo, a mobília inserida no espaço que pretendem decorar.

Chatbots

Os Chatbots surgem para oferecer um acompanhamento ao longo da compra online, esclarecendo dúvidas frequentes. Sem hora de fecho, as lojas online permitem comprar a qualquer hora e também que os clientes vejam as suas dúvidas ser esclarecidas, sem necessidade de um assistente humano.

Compras nas redes sociais

Tanto o Facebook como o Instagram criaram espaços para compras dentro da plataforma. O Instagram criou a possibilidade de partilha de um link direto numa imagem de produto  bem como a de inserir o preço. Basta clicar no símbolo de uma mala para consultar o preço. As empresas não podem deixar de estar presentes nas redes sociais.

Um software de ERP

A Sage tem opções de software de ERP com API que integra com simplicidade as apps e complementa o software, ajustando-o às necessidades do negócio. Alcancem uma gestão que permita uma visão global da empresa.

Em conclusão

As mudanças trazidas pelas novas tecnologias estão a permitir que as compras online adquiram uma outra dimensão. Acompanhem as novas tendências e que 2019 seja um ano ímpar para o e-commerce.

Recursos Humanos

Team building: saiba como criar equipas coesas

São cada vez mais as empresas apostam em ações de team building, muitas vezes investindo bastante tempo e recursos nestas atividades. Pensadas para criar um sentimento de proximidade e espírito de equipa, não são invulgares os casos em que os colaboradores sentem oposto.

Pressionados para realizar atividades que não desejam, acabando por sentir embaraço e desmotivação. Atividades que podem ser extremamente divertidas, mas não criam uma ligação entre colegas que resista perante a tensão do trabalho quotidiano.

O que impede uma melhor colaboração?

Uma boa colaboração não surge a partir de um contexto de o estabelecimento de uma relação de confiança, mas de num primeiro momento existir uma consciência das motivações individuais.

Diversas investigações parecem indicar que as empresas recrutam e incentivam a que os seus colaboradores, sejam orientados para ação, com um foco em resultados concretos. A avaliação que é realizada é baseada numa escala que premeia estes elementos, criando organizações que no seu interior cooperam mal.

No geral, os colaboradores não veem as tarefas de cooperação como algo prioritário, com objetivos vagos e sem regras claras. A atribuição de responsabilidades pelo sucesso da colaboração é bastante mais difícil, e a recompensa por um bom trabalho realizado também.

Formas de melhorar a colaboração

A liderança deve dar um claro sinal da importância das tarefas colaborativas, criando um quadro específico e motivador. Abordar a equipa através de algumas questões pode ser uma forma de estimular o debate entre a equipa para uma maior consciência da necessidade de uma colaboração eficaz.

  • Trabalhar em colaboração é fundamental para atingirem os objetivos estipulados?
  • Quais os trabalhos que exigem uma boa colaboração para atingirem bons resultados?

Em relação à atribuição de responsabilidade, pode ser um exercício interessante colocar a discussão e elaborar uma lista de comportamentos desejados. No final, a criação de um plano que procure a longo prazo continuar a melhor a colaboração, integrando estes compromissos como parte dos seus objetivos.

Um software de Recursos Humanos

Contar com um software de Recursos Humanos, permite promover um espírito de equipa, através de um acompanhamento do desenvolvimento do talento individual, e de uma análise do trabalho de cooperação. A Sage tem soluções de software para Recursos Humanos adaptadas às necessidades de cada empresa, para que a gestão de equipas seja mais simples e eficaz.

 

 

 

 

 

 

 

 

Sage Faturação

Dicas para evitar interrupções no trabalho

Muitas pessoas sentem que não conseguem ter um tempo de trabalho sem interrupções constantes, no qual se consigam focar e realizar tarefas mais exigentes.

Colegas e clientes muitas vezes solicitam atenção, nem sempre diretamente ligada a questões de trabalho, e não é fácil dar prioridade ao trabalho sem parecer indisponível. Há que aproveitar bem o tempo e existem algumas estratégias que podem ser úteis no sentido de conseguirem algum equilíbrio no trabalho.

Um sinal externo:headphones

Muitas empresas têm espaços abertos para trabalho, apenas com pequenas divisões com várias secretárias. A dificuldade para manter algum isolamento por parte dos colaboradores é real, mas usando headphones indicam que estão empenhados e não desejam interrupções. Ouvir música também pode aumentar a concentração e bloquear ruídos externos que causem distrações.

Um escritório ocasional

Outra opção passa pela utilização de um escritório temporário. A maioria das empresas tem salas que não estão em utilização, que se destinam a reuniões e que podem ser temporariamente ocupadas.

Caso não existam salas livres, podem sempre trabalhar de forma remota num café ou livraria. A mudança de ambiente também pode potenciar a concentração e a maioria das empresas está mais aberta ao trabalho à distância.

Desligar as comunicações

Outra forma de minimizar as distrações passa por desligar o e-mail e fechar as redes sociais durante alguns momentos. Existe uma pressão para responder rapidamente de cada vez que recebemos uma comunicação relacionada com trabalho, mas o esforço que realizamos é avaliado por outras métricas.

Mesmo que a cada hora consultem o e-mail, não receber notificações constantes é uma diminuição significativa no número de distrações. Existem estudos que indicam que consultar menos o e-mail diminui o nível de stress.

Existem, portanto, muitas formas de aumentar o foco e a produtividade. Contar com um software de Faturação permite uma diminuição de tempo gasto em tarefas administrativas, por vezes repetitivas.

Com as soluções de Faturação da Sage, aumentem a produtividade com faturação online e acedam a dados a guardados em cloud.

 

 

Contabilidade

Faturas falsas

O que são faturas falsas?

São faturas que não respeitam a transações efetivamente realizadas. O princípio contabilístico da “Substância sobre a Forma” tem aqui uma aplicação muito importante. Para além da forma como a fatura é emitida é determinante que a mesma resulte, de facto, de uma transação entre dois operadores económicos.

Qual a atitude que a Autoridade Tributária (AT) deve ter perante a emissão de faturas falsas?

Quando a AT entende estar na presença de faturas que reputa de falsas, deve aplicar as regras do ónus da prova do artigo 74.º da LGT.

Competindo à Administração fazer prova de que estão verificados os pressupostos legais que legitimam a sua atuação, ou seja, de que existem indícios sérios de que a operação constante da fatura não corresponde à realidade.

Feita esta prova, passa a recair sobre o sujeito passivo o ónus da prova da veracidade da transação.

Quais as características que a prova feita pela AT deve possuir?

No que concerne à prova que compete à AT, o que é imprescindível é que aquela a faça de factos suficientes indiciadores se possa concluir, pela elevada probabilidade (ou até certeza) de que o negócio declarado por aquelas partes não corresponde à realidade materializada naquela fatura.

Que processos podem ser utilizados pela AT para obter a prova de que estamos em presença de faturas falsas?

Nesta tarefa, poderá a AT lançar mão de elementos obtidos com recurso à fiscalização cruzada, junto de outros contribuintes, para obter os referidos indícios, pelo que tais indicadores de falsidade das faturas não têm necessariamente que advir de elementos do próprio contribuinte fiscalizado.

Qual a atitude da empresa a quem a AT “indicia” da emissão de faturas falsas?

Tendo a AT cumprido o ónus que sobre si impendia, compete à empresa “acusada” da emissão de faturas falsas de apresentar prova capaz de destruir esses indícios, demonstrando que os bens ou serviços descritos nas faturas em causa lhe foram vendidos, ou seja, que aquelas faturas têm subjacentes operações económicas reais.

Que tipo de prova pode apresentar a empresa “indiciada” da emissão de faturas falsas?

A prova do pagamento das transações é um dos indicadores de que as transações foram reais e demonstram o fluxo comercial e financeiro inerente às transações postas em causa, pelo que não se pode afastar esta prova, até porque num contrato de compra e venda a contrapartida é o preço e o cumprimento o seu pagamento.

 

 

 

Lisboa, setembro de 2018

Bruno Lagos, Licenciado em Organização e Gestão de Empresas; Mestre em Auditoria Contabilística; Nos últimos 25 anos técnico superior na Administração Fiscal Portuguesa.

Recursos Humanos

Gerir equipas globais – 2ª parte

Gerir equipas globais comporta vários desafios para as empresas. Diferenças culturais, linguísticas, fusos horários e outros fatores, podem dificultar a gestão dos colaboradores afetando a produtividade.

No artigo de hoje, damos continuidade a algumas sugestões sobre como ultrapassar estas dificuldades.

Igualdade de oportunidades na equipa

Estejam atentos aos vários tipos de reuniões e ao conjunto da comunicação, de forma a que todos os colaboradores tenham oportunidade de participar. É importante que toda a equipa se sinta incluída e seja incentivada a participar.

Reconhecimento pela performance

Expressar reconhecimento aos colaboradores, elogiando o bom trabalho. Demonstrar apreço aos colaboradores de forma remota pode implicar um pouco de mais trabalho, mas o impacto na moral das equipas é significativo e não deve ser descuidado.

Construção de uma cultura comunitária

Os valores da empresa são cada vez mais relevantes para criar um sentimento de comunidade. A existência de uma política de responsabilidade social e ambiental motiva as equipas de uma forma que complementar. A partilha de uma ética comum unifica uma equipa dispersa por vários locais, criando uma força trabalho mais dedicada.

Investir na equipa

Uma a duas vezes por ano, criem momentos em que se encontram presencialmente com os membros da equipa geograficamente distantes. Se estiverem no espaço europeu, é possível realizar viagens em apenas um dia, com grandes benefícios para a motivação e para a construção de uma melhor relação.

Outra ideia a considerar, passa por reunir toda a equipa num local uma vez por ano. Uma ocasião para formação, brainstorming e para o desenvolvimento de um sentimento de grupo.

Um software de Recursos Humanos

É fundamental acompanhar a evolução e a satisfação dos colaboradores com uma solução de Recursos Humanos.  A Sage tem várias opções em software de RH que apoiam o desenvolvimento do talento no seio da empresa, rápido de implementar e ajustado às necessidades específicas do seu negócio.

Em conclusão

Devem mostrar que valorizam a totalidade da equipa, ultrapassando as condicionantes relacionadas com a dispersão geográfica. Um trabalho que implica algum esforço, mas com um retorno para a empresa e para os colaboradores extremamente positivo.

Leia a primeira parte deste artigo aqui.