All Posts By

SAGE

Sage Enterprise Management

As mudanças que o tornarão num CEO mais eficiente

Um cargo de chefia implica muita responsabilidade e, por isso mesmo, a maior parte dos presidentes executivos estão numa cruzada eterna para se tornarem mais eficientes. Muitos sentem que faltam sempre horas, em qualquer dia. De facto, acarretar as responsabilidades associadas à administração de uma empresa pode gerar uma rotina diária estonteante e dificuldade em conciliar a vida laboral e pessoal.

Um estudo de Harvard, The Leader Calendar, descobriu as formas mais eficazes de tornar o trabalho dos CEOs mais rápido. Há que poupar o seu tempo de trabalho. Para isso, temos que nos debruçar sobre as reuniões, componente básico do seu dia-a-dia.

  1. Apostem nas reuniões rápidas

Reuniões podem ser produtivas, mesmo que sejam rápidas. Estabeleçam sempre uma hora de início e fim para as reuniões. Além disso, criem tolerância zero para com os atrasos que adiam o início das reuniões e evitem divagações.

  1. Brainstorming em locais públicos

Restringir as reuniões a quatro paredes brancas pode limitar a criatividade dos vossos colaboradores. Por isso, arrisquem uma reunião ao almoço ou num café. Escolham um ambiente calmo e silencioso. Uma mudança de ares pode ajudar a soltar a imaginação.

  1. Mandem o Power Point para a reforma

A leitura de slides durante uma reunião raramente é necessária. Podem poupar tempo ao enviar um e-mail no início de cada reunião com a informação necessária. Incentivem a presença ativa de cada um dos participantes, estimulando a participação e dispensando os ecrãs digitais.

  1. Questionem a necessidade da vossa participação

Muitos CEOs são centrais de comando mas nem sempre precisam de participar em todas as reuniões. Deleguem responsabilidades quando possível e assegurem-se que se mantêm informados – um relatório da reunião resume as informações e decisões feitas e as dúvidas que surgirem podem ser esclarecidas com os participantes.

  1. Não viajem para reuniões

Dispensem reuniões que exigem viagens. A maior parte das vezes, podem ser substituídas conference calls ou até telefonemas. Eliminem deslocações longas e valorizem o vosso tempo e presença. A vossa produtividade vai aumentar e o equilíbrio entre vida laboral e pessoal tornar-se-á ideal!

Não prescindam de uma solução de gestão que facilite o dia-a-dia do negócio. Conheça a nova geração de ERP da Sage que lhe permite integrar as principais áreas do seu negócio dentro de um único sistema, para torná-lo mais eficiente.

 

Recursos Humanos

Como fazer recrutamento sem preconceitos

Muitos gestores têm o intuito de tornar as suas equipas mais inclusivas e reconhecem o valor da diversidade e a necessidade de empregarem equipas inclusivas. No entanto, nem sempre sabem como o fazer.

Atualmente, algumas empresas já investem em treinos e workshops para chefias que os devem ajudar a identificar os seus próprios preconceitos, através de uma autoanálise consistente. Infelizmente, esta técnica de reconhecer tendências mais intolerantes leva, a longo prazo, a que algumas pessoas retornem à estaca zero.

De acordo com um estudo na Stanford Womens’s Leadership Lab, analisado num artigo da Harvard Business Review, existem duas formas práticas de gestores combater os seus próprios preconceitos.

A primeira técnica passa por redefinir os vossos padrões de sucesso. As estruturas que sustentam uma sociedade preconceituosa dependem de padrões muito restritivos de êxito. Desta forma, acabamos por favorecer certos grupos ao invés de outros, mesmo que tenham iguais probabilidades de suceder.

Em entrevistas, tendemos a querer saber se um candidato frequentou certas escolas, porque sempre foram encaradas como as “escolas certas” a frequentar. No entanto, nem sempre nos questionamos sobre a facilidade de acesso a essas “ditas escolas ideais”.

Assim, o processo de recrutamento para uma função pode enveredar muito facilmente pela “aposta segura”, pelo candidato que tenha um percurso mais familiar e que seja mais similar aos dos seus futuros colegas. Este fenómeno tem o nome de “princípio da autosemelhança” e torna equipas demasiado homogéneas para inovarem facilmente.

Por outro lado, equipas mais diversas superam equipas menos diversas em desafios de inovação pois trazem riqueza de pontos de vistas, de experiências e de ideias. Quando fluem ideias diferentes e surgem novas questões, uma equipa inclusiva analisa tudo mais profundamente e produze melhores decisões.

A segunda prática para lutar contra o preconceito internalizado implica que analisemos de que tipo de contribuição complementar andamos à procura. Podemos contratar alguém cujo currículo não difira da restante equipa mas como é a que sua colaboração enriquecerá o vosso negócio? Questionem quais as competências e traços que verdadeiramente podem trazer inovação à vossa equipa de trabalho. Como consequência, podem criar uma equipa mais inclusiva e mais bem-sucedida.

Aqui vão algumas sugestões sobre como determinar as contribuições complementares de um candidato.

Estabeleçam critérios claros do que é o sucesso.

Considerem a equipa em questão e de que forma trabalham bem, seja através de competências, experiências ou pensamentos. Assim, podem desvendar as formas menos evidentes em como a vossa equipa já trabalha com sucesso ou quais são as faltas a colmatar.

Considerem o benefício que o candidato trará à vossa equipa.

Questionem a vós próprios como é o que o candidato em questão melhorará decisões ou discussões, como acrescentará valor à vossa equipa.

Façam uma análise de lacunas.

Considerem que competências e experiências estão em falta na vossa equipa, sem caírem no erro de se focarem em características que tornam o candidato unidimensional. No entanto, se as vossas contratações se basearem em análises unidimensionais dos candidatos, esse mau hábito pode ter repercussões nas vossas equipas.

Estudem o percurso do candidato.

Analisem os altos e baixos da sua carreira profissional e como lidou com adversidades. Nas lições de vida que terão aprendido, estará o valor complementar que podem trazer à vossa equipa.

O intuito principal da diversificação da equipa de qualquer empresa é a inovação, além da atração, retenção e promoção de talento e de outras habilidades. Para chegarem a este objetivo, devem examinar as vossas próprias predisposições e considerar o verdadeiro valor que cada candidato trará para a vossa equipa. Pequenas mudanças no processo do recrutamento fazem grandes efeitos, como é o caso de das empresas lideradas por mulheres que têm, em média, retornos duas vezes e meia maiores.

Uma solução de Recursos Humanos permite um crescimento organizado, com as ferramentas adequadas para cuidar das pessoas, o vosso potencial mais importante.

 

Sage One

Como lidar com pedras no caminho

A vida está cheia de pedras no caminho. Por muito que nos esforcemos e trabalhemos e independentemente de quem sejamos, na vida, surgem sempre adversidades que nos apanham de surpresa e nos deixam muitas vezes para trás, a apanhar os cacos. É a verdade da condição humana!

Quando algo desafiante, ou até devastador, acontece, temos o poder e a flexibilidade de escolher como reagir. Investigadores na área do crescimento pós-traumático indicam cinco práticas para recuperar após um evento difícil.

  1. Aceitar a realidade

O que quer que seja que tenha acontecido não é justo. O primeiro passo que implica aceitar o que aconteceu passa pelos ensinamentos do movimento da plenitude mental. Ou seja, exige consciência da existência e autoaceitação, tanto do evento como as nossas reações ao evento. “Estou vivo! Tenho que lidar com isto.”

  1. Pedir ajuda a outras pessoas

Quando algo traumático nos acontece, é normal que não estejam preparados para lidar imediatamente com todas as consequências desse evento. Procurar apoio junto de pessoas que vos conhecem é a uma forma de encontrar um alívio momentâneo, antes de acionarem as ferramentas disponíveis para voltaram ao vosso equilíbrio pessoal.

  1. Estabelecer os pontos positivos e as possibilidades

Ao abrirmo-nos ao mundo e praticarmos otimismo sobre o mundo, ganhamos resiliência. É o resultado direto de encarar os desafios da vida com uma lógica de crescimento. Ideias como “mantém-te sempre positivo” são clichés reconhecidos por estudos científicos.

  1. Aprender lições

Encontrar o lado bom de algum erro ou injustiça é reconhecidamente o ponto de viragem, no processo de crescimento pós-traumático. Aprender as lições desse evento são úteis para lidarmos no futuro com situações semelhantes mas também para sabermos lidar melhor com aquilo que nos deparamos neste momento.

  1. Criar uma narrativa coerente do evento

Situar um evento traumático no contexto total da vossa vida ajuda a criar uma sensação de passado, presente e futuro. Permite-nos encontrar um significado mais profundo de significado da vida, apesar ou até devido a esse evento. Assim, a nossa resiliência ajuda-nos a compreender a trajetória de sucesso da nossa vida.

A melhor forma de lidarem com qualquer desafio que se atravesse no vosso caminho é treinando a vossa resistência e usando ferramentas da chamada mindfulness, incluindo a vossa rede de apoio. No entanto, uma rede de apoio não precisa de se cingir ao vosso grupo de amigos e pode incluir uma solução de faturação Sage One que será um investimento prático na faturação do vosso negócio.

 

Sage Sessions

Ljubomir Stanisic: “Hoje em dia, eu sou, sinceramente, metade chef, metade gestor.”

Ljubomir Stanisic vive há mais de duas décadas em Portugal e admite que o nosso país lhe trouxe a paz que procurava.

Nascido em Sarajevo, Ljubomir tem uma trajetória na área de cozinha que começou com as mãos na massa; aos 14 anos, para apoiar a família, trabalhou de noite numa padaria, enquanto estudava de dia. Ainda na ex-Jugoslávia, frequentou Química de Alimentação, Padaria e Pastelaria Fina e Cozinha Internacional. Muitos outros cursos se seguiram, já em Portugal e no estrangeiro, e foi em Cascais que decidiu lançar a sua primeira grande aventura gastronómica e abrir o seu próprio restaurante aos 26 anos, o 100 Maneiras do Hotel Villa Albatroz.

Ljubomir fala muito francamente sobre como o restaurante abriu falência em 2008. No entanto, também muito honestamente, reconta como aceitou a ajuda de dois amigos, para voltar a investir nesta área. Desta vez, no Bairro Alto, um único menu de degustação era apresentado a preços acessíveis e provou ser um sucesso em Lisboa. Dois anos depois, abriu portas o Bistro 100 Maneiras, no Chiado.

Hoje em dia, Ljubomir é, pelas suas palavras “sinceramente, metade chef, metade gestor.” A grande paixão do chef jugoslavo pelo mundo da comida orienta o seu negócio e foi o seu grande engenho que permitiu criar uma rede de restaurantes de sucesso e uma imagem de chef sem papas na língua, com grandes êxitos em vários meios de comunicação.

É percetível a dedicação de Ljubomir às bases indispensáveis da gestão de um negócio, ou seja, a delegação de responsabilidades específicas a pessoas capazes. Completamente contrário ao ditado português “amigos, amigos, negócios à parte”, Ljubomir rodeia-se de familiares e amigos com quem divide trabalho e com quem constrói o seu negócio, por encontrar ideais e vontade de trabalhar similar. Neste caso, a sua irmã gere o grupo 100 Maneiras e a sua mulher é responsável pela comunicação dos restaurantes, além de ser co-criadora de muitos dos conceitos fora do grupo, como livros e programas. É uma das características mais fundamentais de um empreendedor bem-sucedido – estar disposto a delegar trabalho, em pessoas em quem confia, para que se possa dedicar a novos desafios.

Ljubomir Stanisic será o orador principal, na segunda edição das Sage Sessions. Venha ouvi-lo no dia 29 de novembro. Inscreva-se aqui.

 

Sage Enterprise Management

Como potenciar vendas na Black Friday – Parte 2

Na primeira parte, começámos uma análise dos passos que devem tomar para preparar a vossa loja em previsão da Black Friday. Aqui estão os últimos quatro passos a tomar.

 

  1. Comuniquem as vossas ofertas

O que nunca pode faltar é a comunicação das vossas promoções. Utilizem todos os canais ao vosso dispor. Tirem partido do potencial de alcance das redes socias e das vossas mailing lists, para comunicar as vossas ofertas.

 

Vão disputar a atenção dos vossos clientes com outras lojas. Por isso, nunca é cedo demais para começarem a planear os vossos anúncios de promoções. Assim, serão os primeiros na mente dos clientes, criando uma boa expectativa e assumindo lugar cativo no seu plano de compras.

 

  1. Tenham promoções relevantes

É imperativo que planeiem os vossos melhores descontos para anteciparem o vosso fornecimento e preverem vendas. Devem fazer todos os esforços possíveis para que possam responder às necessidades dos vossos clientes em época de corte de preço. Além disso, devem desenhar um plano de promoções específico para Black Friday, para que os vossos clientes reajam a descontos frescos, e utilizem alternativas quando não conseguem oferecer o melhor preço, como transportes grátis ou descontos em compras futuras.

 

  1. Não descurem o atendimento ao cliente

Preparem as vossas lojas físicas para os muitos clientes que vos vão visitar. Reforcem o número de colaboradores disponíveis, durante estes dias de grandes vendas, e assegurem a sua formação para que possam oferecer a melhor experiência de compra.

 

  1. Atentem ao vosso stock

Muitos clientes criam más impressões em grandes dias de vendas. A sua compra depende de stock que esgotou e só se vão lembrar de uma experiência frustrante. Antecipem grandes vendas e tenham na manga soluções várias para lidar com faltas de stock. Alinhem fornecedores alternativos, mesmo com preços menos atrativos.

 

Sage Enterprise Management permite uma preparação cuidada das vossas vendas, com gestão de produção e cadeia de abastecimento, além de análise de vendas após o facto. Oportunidades de vendas como a Black Friday são chances anuais que devem aproveitar ao máximo. Preparem a vossa loja com engenho e angariem clientes fiéis para este ano e para os que se seguem!