All Posts By

SAGE

Sage Enterprise Management

Determinar as vossas horas mais produtivas pode mudar o vosso dia de trabalho

As horas áureas de trabalho não são iguais para toda a gente. Alguns são madrugadores, enquanto outros são pessoas noturnas. Compreender qual é a vossa parte do dia mais produtiva permitir-vos-á tornar o dia de trabalho mais rentável!

A jornada de oito horas, que se adaptava e protegia trabalhadores de fábrica, nem sempre se ajusta à vida do empreendedor. Com a normalização dos locais de trabalho flexíveis, empreendedores e freelancers podem adaptar o dia de trabalho ao seu horário produtivo interior, com flexibilidade de horário de entrada, por exemplo. Vamos descobrir como identificar as vossas horas mais produtivas.

Comecem por uma auto-avaliação

Analisem o vosso dia e horário de trabalho honestamente. Aliás, sejam brutalmente honestos. Apenas assim, podem tomar nota dos momentos em que se sentem mais e menos energéticos. É bastante provável que já saibam que têm grande dificuldade em concentrar-se de manhã, ou que sentem que o final da tarde se arrasta.

Conversem com quem vos acompanha

Comecem por aqueles que vos são mais próximos – famílias, amigos, que vos conhecem como a palma da mão. Terão perceções a oferecer-vos, sobre os vossos surtos e quebras de energia ao longo do dia. De seguida, podem colocar a questão aos vossos colegas ou colaboradores. A sua opinião, enquanto espectadores, pode validar as vossas suspeitas.

Protejam essas horas douradas

Agora que identificaram o momento do dia em que o vosso trabalho é mais rentável, ajustem o vosso dia de trabalho. Tratem estas horas como o vosso próprio horário nobre. Não as desperdicem com distrações ou tarefas rotineiras. Utilizem esse tempo para trabalho criativo e exigente. Honrem-no com trabalho que potencie a vossa produtividade!

Optem por uma solução de ERP para otimizar o vosso negócio

O discernimento que aplicam ao vosso dia de trabalho pode ser uma inspiração para ganhar mais visão em toda a vossa empresa. As soluções de Enterprise Management Sage adaptam-se às necessidades do vosso negócio. Ganharão informação atualizada sobre a totalidade da vossa empresa para desenharem um plano futuro de sucesso!

 

Contabilidade

IRC – Informações Vinculativas de 2018: ISENÇÔES – Art.º 10º – Pessoas Coletivas de Utilidade Pública e de Solidariedade Social

Neste apontamento apresentamos 2 informações relativas ao art.º 10º – Pessoas Coletivas de Utilidade e de Solidariedade Social, divulgadas no Portal das Finanças no ano de 2018: 

Art.º 10º – Pessoas Coletivas de Utilidade Pública e de Solidariedade Social

  • No âmbito das atividades de uma associação (com o Estatuto de IPSS), é desenvolvida uma atividade relacionada com horticultura, a qual, enquanto atividade que faz parte do processo de reabilitação e que contribuirá para a reinserção dos toxicómanos na vida ativa, se afigura enquadrar-se nos fins estatutários da associação e que justificaram a isenção.
  • Desde que a comercialização dos produtos hortícolas provenientes da referida atividade seja apenas uma atividade acessória aos fins da associação, designadamente que os rendimentos obtidos com essa comercialização se destinem a ser utilizados na satisfação dos seus fins, considera-se que os mesmos podem estar abrangidos pela isenção prevista na alínea b) do n.º 1 do artigo 10.º do CIRC. (Processo n.º 2140/08).
  • Uma associação de bombeiros, pessoa coletiva de utilidade pública administrativa, de acordo com o previsto no artigo 3.º da Lei n.º 32/2007, de 13 de agosto, e entidade isenta de IRC, de acordo com a alínea a) do n.º 1 do artigo 10.º do Código do IRC, veio solicitar esclarecimentos sobre a amplitude da referida isenção, designadamente, se a mesma abrangia rendimentos resultantes da exploração de um posto de gasolina e de um parque de campismo.
  • Desta forma, apesar dos estatutos da entidade permitirem a exploração de um posto de gasolina e de um parque de campismo, os rendimentos deles decorrentes não podem usufruir da isenção prevista no artigo 10.º do Código do IRC, uma vez que as atividades em questão, para além de lucrativas, extravasam, claramente, o objeto de uma associação de bombeiros. (Processo n.º 2086/2017)

Lisboa, janeiro de 2019

Bruno Lagos

Bruno Lagos, Licenciado em Organização e Gestão de Empresas; Mestre em Auditoria Contabilística; Nos últimos 25 anos, técnico superior na Administração Fiscal Portuguesa.

 

Consulte o artigo anterior sobre Informações Vinculativas aqui.

Consulte o artigo seguinte aqui.

 

 

 

 

Sage Faturação

Os passos seguintes para fazer crescer o vosso negócio

O vosso negócio vai de vento em popa! Como aproveitar o desenvolvimento dinâmico da vossa empresa para investir e redobrar o crescimento? Vamos analisar alguns conselhos para fazer crescer o vosso negócio!

Aumentem a vossa base de clientes

Construir uma base de clientes é um processo demorado. Devem dedicar tempo a apelar às necessidades dos vossos novos clientes mas devem procurar ainda mais para completar a vossa carteira. O segredo está em manter comunicação constante com os vossos clientes. O ideal é manter o vínculo comercial com o cliente. Por exemplo, com ofertas especiais, valor adicionado e informação certa no momento certo. Além disso, instaurem uma forma de receber feedback para que possam capitalizar e melhorar o vosso serviço, com base na opinião dos vossos clientes.

Considerem exportar

Avançar para um mercado global abre os vossos horizontes a novos clientes. Exportar exige uma estrutura de produção, por exemplo, que consiga responder às necessidades de vários mercados, para lá das adaptações às características dos mesmos. No entanto, os benefícios podem não acabar em aumento de lucro. A experiência de potenciar a exportação do vosso produto ou serviço trazer-vos-á novas relações e possibilidades, além de inovar vários processos de trabalho.

Abram mais lojas

Repliquem o vosso modelo de negócio para além da vossa primeira loja. Apesar de cada loja ser uma loja, têm em mãos muita informação valiosa para a criação de uma nova loja – no local certo, de acordo com o cliente que procuram, no momento certo. Assim, aumentam as vossas chances de sucesso!

Optem por soluções de faturação Sage

As tarefas administrativas mantêm o vosso negócio em funcionamento mas não precisam de o restringir. Escolham uma solução de Faturação Sage para gerir stock, fornecedores e armazéns, de forma a ganhar oportunidade para desdobrarem o sucesso da vossa empresa.

Desenhem uma estratégia de crescimento

Decidam o caminho que o vosso negócio vai tomar. Por exemplo, vão continuar dentro da mesma linha e oferecer o mesmo produto ou quando vão investir em inovação de produção. Estudem associações com outros serviços ou a entrada em novos mercados satélite, onde o investimento de lançamento seja minimal e o retorno possivelmente muito grande.

 

Inovação e Tecnologia

Sage impulsiona a digitalização de 50 000 empresas

O mercado digital português é um diamante em bruto, pronto para expansão. A ideia foi abordada em novembro de 2018, na segunda edição das Sage Sessions. Discutiu-se as dificuldades das empresas portuguesas em implementar uma digitalização de sucesso.

Com o intuito de superar esses obstáculos, a Sage juntou-se à ACEPI para lançar o programa de Comércio Digital. O projeto irá oferecer um voucher gratuito para micro, pequenas e médias empresas, que ajudará à digitalização de 50 000 negócios.

Pretende-se apoiar as empresas a adotar um modelo de negócio digital – através da implementação de uma presença online e da desmaterialização de processos com clientes e fornecedores. O voucher oferecerá ferramentas para construção de um site, juntamente com alojamento e domínio registado do mesmo, e uma caixa de correio eletrónico. Enquanto parceira deste projeto, a Sage é a software house que disponibilizará as soluções de faturação adequadas a cada negócio.

Isália Barata, Diretora de Marketing da Sage, refere que: “Na Sage acreditamos no potencial que a digitalização traz ao negócio e o nosso compromisso é esse mesmo, apoiar as empresas portuguesas com ferramentas que as façam crescer, prosperar e vingar no mercado. Esta parceria com a ACEPI é mais um passo nesse sentido – a digitalização é já inevitável, é um caminho natural, mas muitas empresas precisam de suporte para o conseguirem, nomeadamente as de menor dimensão. Queremos que tenham a possibilidade de adquirir uma solução Cloud ou até mesmo Cloud Connected que se adeque de facto às necessidades reais do negócio e aos seus objetivos de crescimento, seja em Portugal seja em qualquer lado, pois esse é o grande benefício do comércio eletrónico.” 

A longo prazo, pretende-se que as empresas sejam capazes de captar novos clientes, alcançar novos mercados e otimizar processos de organização. Para isso, o Comércio Digital viajará pelo país, de norte a sul, ao longo dos dois anos, à procura dos negócios com vontade de se digitalizarem. Com 150 sessões de apresentação, a ACEPI e as entidades envolvidas pretendem divulgar o projeto junto das empresas portuguesas.

A primeira sessão do roadshow acontece já no dia 6 de fevereiro, em Leiria, no Teatro Miguel Franco, e contará com a presença da Sage. Consulte as restantes datas do roadshow aqui. Inscreva o seu negócio no concurso Comércio Digital aqui.

 

Recursos Humanos

Como conduzir entrevistas de emprego

Identificaram uma necessidade na vossa equipa de trabalho, desenharam um anúncio de emprego com base nos requisitos para a função e, agora, têm em mãos várias candidaturas. O passo seguinte: a entrevista. Um processo delicado que vos trará muita informação decisiva para terminarem o vosso recrutamento!

Uma entrevista pode assumir várias formas, desde conversas de um para um, a discussões em conjunto. O ponto em comum é a preparação. Saber com quem se vão encontrar é o primeiro passo para estabelecerem uma ligação e compreenderem se o candidato se adaptará à vossa equipa.

Mantenham a vossa gestão de Recursos Humanos organizada com a solução Sage adequada à dimensão da vossa empresa. Além de simplificarem todos os processos de pagamento de salários, podem gerir formações e trabalhadores independentes, assim como uma gestão interna dos colaboradores.

Decidir onde

Comecem por decidir o local da entrevista. Dependendo da cultura do vosso negócio, pode acontecer no vosso escritório, num café ou até num bar! Independentemente, ideal é sempre que seja um local que se preste às necessidades da entrevista e que deixe todos os participantes confortáveis.

Decidir como

Listem as perguntas a colocar aos candidatos. Optem por perguntas diretas, simples e francas, que deixarão os candidatos mais à vontade. Questões práticas são também a melhor forma de tomar o pulso às suas intenções e preparação. Assim, também podem compreender como se adaptariam à função.

Decidir as perguntas

Primeiramente, testem o conhecimento do candidato sobre a vossa empresa e descubram o que a torna desejável. Atentem às respostas e aos comentários sobre equipas de trabalho, que podem dar a entender a relação do candidato com quem o rodeia no dia-a-dia. Interroguem-no sobre os sucessos, para perceber o que é que o move. Escutem o entusiasmo pelo trabalho, pelos desafios, e questionem o seguimento do feito – quem mais foi envolvido, como asseguraram bons resultados.

Perguntas discriminatórias

A lei portuguesa dá o direito à igualdade de oportunidades e acesso ao trabalho. Por isso, nunca apresentem questões discriminatórias ou que indiciem possibilidade de discriminação. Não coloquem questões que fujam a temáticas profissionais ou que não se destinem a determinar a aptidão do candidato para desempenhar a função em questão.

Resumidamente, equacionem questões que vos tragam perceções honestas e verdadeiras. Esclarecer as competências chave que precisam para a função e certificarem-se que os objetivos do candidato se alinham com os vossos é a melhor forma de escolher um candidato. Possivelmente, precisarão de referências no final da entrevista, para compararem desempenhos dos entrevistados, por isso, é ideal tomarem apontamentos, também. Por fim, ofereçam feedback honesto ao candidato, mesmo que não planeiem empregá-lo; uma entrevista de emprego é uma oportunidade de melhoria para todos nós.

Quando encontrarem o candidato ideal para o vosso negócio, é o momento de lançarem uma oferta de trabalho. Idealmente, devem ser fazê-lo por escrito, através de um e-mail, por exemplo – discriminando as condições da função, salário e termos contratuais.