A navegar na categoria

Contabilidade

Contabilidade

O Zodiaco dos Contabilistas – segunda parte

A semana passada publicámos o inicio deste artigo, acompanhando as características dos signos e o seu efeito nos contabilistas. Descobrimos que a Contabilidade pode ser um assunto sério mas os Contabilistas são muito diferentes entre si.

Os Escorpiões são apaixonados e assertivos. São determinados e procuram a verdade com empenho. Nascidos entre 23 de outubro e 21 de novembro, são bons lideres, atentos ao que se passa e capazes de encontrar soluções engenhosas. Vivem para experimentar e expressar emoções, mas embora as emoções sejam muito importantes, podem contar que irão sempre guardar segredos.

Curioso e dinâmico, o contabilista Sagitário é um viajante nato. Abertura de espirito e visão filosófica perante a vida, motiva-os a procurarem um sentido mais lato para vida nas suas viagens. Nascidos entre 22 de novembro e 21 de dezembro, são extrovertidos e otimistas, procuram abraçar a mudança. Transformam os seus pensamentos em ações com tenacidade.

Os Capricórnios, representam a responsabilidade e seriedade. São contabilistas bastante tradicionais e sérios por natureza. São bastante independentes tanto a nível da sua vida privada, como no trabalho. Nascidos entre 22 de dezembro e 19 de janeiro, são mestres de autocontrolo e bons a gerir outras pessoas. Aprendem com os erros e quando bem-sucedidos devem-no ao seu empenho e experiência.

Aquário são seres em geral tímidos e sossegados, mas também excêntricos e cheios de energia. Pensam sobre os temas com profundidade em geral têm um nível intelectual elevado, adoram ajudar os outros. Conseguem olhar para os outros sem preconceitos, vendo os vários lados das questões e conseguindo ser muito bons a gerir conflitos. Nascidos entre 20 de janeiro e 18 de fevereiro, precisam de passar algum tempo a sós para se equilibrarem.

O signo Peixes são contabilistas bastante amigáveis e conseguem ter amizades com pessoas muito diversas. Generosos, sempre dispostos a ajudar os outros sem esperarem nada de volta. Nascidos entre 19 de Fevereiro e 20 de março, são caraterizados por serem empáticos e se expressarem de forma emotiva. Grande capacidade para perdoar e mais tolerantes que a maioria dos signos.

Carneiro, como o primeiro signo do zodíaco, marcam o começo de tudo de forma energética e turbulenta. Procuram constantemente competição e querem ser sempre os primeiros em tudo, seja trabalho ou competição. Nascidos entre 21 de março e 19 de abril, são dos signos mais ativos e está na sua natureza tomar ação, por vezes antes de terem considerado todas as consequências.

E terminamos com o signo Touro, prático e com os pés bem firmes. Necessita de estar sempre rodeados por coisas belas e apetitosas. Estável e conservador, os nascidos entre 20 de abril e 20 de maio, são um dos signos mais confiáveis. Não desistem das suas convicções até alcançarem os seus objetivos.

Os contabilistas são um grupo muito diverso de pessoas e como sabemos a diversidade cria oportunidades. O Sage for Accountants é um sistema criado especificamente para responder às necessidades mais diversas na área da contabilidade com poupança de tempo e aumento da eficiência.

 

 

 

 

 

Contabilidade Fiscalidade

Como preparar a sua empresa para as mudanças: os ficheiros SAF-T têm nova versão

Os ficheiros SAF-T mudaram para uma nova versão em junho e neste artigo vamos abordar em que consistem estas mudanças e as consequências para as empresas.

Estes ficheiros XML são exportados a dia 20 de cada mês com toda a informação sobre faturação das empresas, para a Autoridade Tributária. Como são ficheiros normalizados, os inspetores tributários não precisam de ter uma especialização em diferentes sistemas informáticos para acompanharem a informação exportada.

O que mudou com a nova versão SAF-T.

A nível de obrigação existe uma mudança fundamental, como consta na portaria de dezembro, para todos os sujeitos passivos de IRC que exerçam atividade comercial, industrial e/ou agrícola em território português.

Constitui uma mudança importante na medida em que a exigência do SAFT de contabilidade é agora obrigatória para todos os sujeitos passivos e não só para aqueles que executam a contabilidade recorrendo a meios informáticos, tornado assim obrigatória a adoção de programas informáticos para a execução da contabilidade na medida em que só desta forma se conseguirá exportar o ficheiro SAFT de contabilidade.

Dificuldades que podem surgir.

Os ficheiros SAF-T por vezes transportam erros e acabam por ser devolvidos, sem que a empresa consiga apurar em que consiste o erro.  As empresas podem incorrer em penalizações previstas na lei, coimas que podem variar entre 200€ e 10.000€.

Outra consequência passa pelo incorreto preenchimento automático dos anexos A e/ou I do IES, o que pode conduzir a auditorias tributárias a todas as operações da empresa.

Um validador capaz de superar os problemas – Sage e-Audytor.

A Sage disponibilizou um validador que permite que qualquer pessoa verifique se o software da sua empresa possui a versão atualizada de SAF-T e em caso recebam ficheiros rejeitados pela Autoridade Tributária, consigam detetar os erros e corrigir a situação em tempo útil.

Sage e-Audytor existe em três versões adaptadas às necessidades de cada empresa, Basic, Premium e Enterprise. Podem testar a compatibilidade de estrutura técnica da solução de faturação, validar de forma ilimitada ficheiros SAF-T do mesmo NIF e obter relatórios de erros.

A tranquilidade está ao alcance da vossa empresa com Sage e-Audytor, supere as dificuldades e ganhe tempo para gerir o seu negócio.

 

 

Contabilidade

O Zodiaco dos contabilistas: diferentes signos, diferentes competências

Os contabilistas passam os seus dias imersos em números, mas isso não os torna pessoas pesadas como se poderia pensar à partida. Os contabilistas são muito diversos e particulares, com características que podemos analisar em relação aos seus signos.

Contabilistas nascidos em Gémeos, nascidos entre 21 de maio e 21 de junho são indivíduos conversadores e sociáveis, conseguem desenvolver uma conversa a partir de quase nada. Tagarelas comunicativos, acabam por ser bastante simpáticos e apreciados como pessoas alegre se extrovertidas.

Os contabilistas Caranguejo, nascidos entre 21 de junho e 22 de julho, são em contraste muito intuitivos e sensíveis. São dos signos do zodíaco mais desafiantes devido à sua elevada sensibilidade. Preocupam-se profundamente com questões familiares e como contabilistas são empáticos e desenvolvem uma ligação forte com os clientes mais regulares.

Contabilistas nascidos entre 23 de julho e 22 de agosto, pertencem ao signo de Leão e são naturalmente lideres, como o nome sugere. Podem ser dramáticos, criativos, autoconfiantes, com traços dominadores e difíceis de resistir. Decididos a conseguir aquilo que mais desejam nas áreas em que estão empenhados. Sociais, têm por norma muitos amigos a quem são muito leais e generosos.

Virgem, nascidos entre 23 de agosto e 22 de Setembro, tendem a focar-se em detalhes. A sua natureza metódica faz com não deixem nada ao acaso, e por vezes podem parecer distantes. Recusam os seus próprios sentimentos como válidos, irrelevantes em oposição à razão.

Contabilistas nascidos sob a influencia do signo Balança, são pacíficos e justos. Estabelecer parcerias é importante para eles, uma vez que não gostam de estar sós. Grandes intelectos e mentes aguçadas, apreciam os estímulos de livros, discussões e pessoas interessantes.

Na próxima semana vamos falar dos restantes signos e como influenciam os contabilistas nascidos sob a sua influência.

A diversidade é uma força e com Sage for Accountants, os contabilistas de todos os signos têm um apoio vital, para conquistarem mais eficiência no trabalho que realizam no seu dia à dia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contabilidade

SAF-T e a Tabela 4.2 – Documentos de movimentação de mercadorias

A Tabela Documentos de movimentação de mercadorias é composta por vários documentos, nomeadamente, guias de transporte ou de remessa, que sirvam de documento de transporte, de acordo com o disposto no Regime de Bens em Circulação, aprovado pelo Decreto-Lei n.º147/2003, de 11 de julho.

Não podem aqui ser aqui incluídos os documentos que devam constar da tabela 4.1.  – Documentos comerciais  a  clientes (SalesInvoices) e que também serviram de documentos de transporte (por exemplo faturas).

Esta tabela é constituída por três campos de grau 3, todos de carácter obrigatório.

Estes campos apresentam a seguinte informação:

  • Número de registos das linhas de movimentos dos bens;
  • Total das quantidades movimentadas;
  • Documento de movimentação de mercadoria

O campo 4.2.3. – “Documento de movimentação de mercadorias”, subdivide-se em vinte e duas categorias, a saber:

12.   Identificador do fornecedor;

13.   Código de utilizador;

14.   Código CAE;

15.   Razão da emissão de documento;

16.   Local de descarga;

17.   Local de carga;

18.   Data e hora de fim de transporte;

19.   Data e hora para o início de transporte;

20.   Código de identificação do documento;

21.   Linha;

22.   Totais de documento.

 

  • Identificação única do documento de movimentação de mercadorias;
  1. Código Único do Documento (Novo);
  2. Situação do documento;
  3. Chave do documento;
  4. Chave de controlo (HashControl);
  5. Período contabilístico;
  6. Data do documento de movimentação de mercadorias;
  7. Tipo de documento;
  8. Data de gravação do documento;
  9. Identificador da transação;
  10. Identificador do cliente;

Comecemos por analisar o campo 4.2.3.3 – “Situação do documento” em que se solicita a seguinte informação:

  • Estado atual do documento;
  • Data e hora do estado atual do documento;
  • Motivo da alteração de estado (Não obrigatório);
  • Código do utilizador;
  • Origem do documento.

Em seguida temos o campo 4.2.3.16. – “Local de descarga” que se desagrega do seguinte modo:

  • Identificador da entrega (Não obrigatório);
  • Data da entrega (Não obrigatório);
  • Identificador do armazém de destino (Não obrigatório);
  • Localização dos bens no armazém de destino (Não obrigatório);
  • Morada;

Ambos os campos 4.2.3.16.5. – “Morada de descarga” e 4.2.3.17.5. – “Morada de carga” solicitam a seguinte informação com carácter de obrigatoriedade:

  • Morada detalhada;
  • Localidade;
  • Código postal;
  • País.
·    Código do tipo de imposto;

·    País ou região do imposto;

·    Código da taxa;

·    Percentagem da taxa de imposto;

·    Motivo da isenção de imposto;

·     Código do motivo de isenção de imposto;

O campo 4.2.3.21. – “Linha” é um campo com um volume de informação muito extenso pelo que apenas referiremos a informação de carácter obrigatório:

  • Número de linha;
  • Identificador do produto ou serviço;
  • Descrição do produto ou serviço;
  • Quantidade;
  • Unidade de medida;
  • Preço unitário;
  • Descrição da linha;
  • Número de série;
  • Valor a débito;
  • Valor a crédito;
  • Taxa de imposto;

 

Quanto ao campo 4.2.3.22. – “Totais do documento” a informação de carácter obrigatório consiste em:

  • Valor do imposto a pagar;
  • Total do documento sem impostos;
  • Total do documento com impostos;
  • Código de moeda;
  • Valor total em moeda estrangeira;
  • Taxa de câmbi

 

A Portaria n.º 302/2016, de 2/12, introduziu as seguintes alterações a esta tabela:

  • O campo 4.2.1. continha uma remissão para o campo 4.2.3.2.1., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.1.;
  • O campo 4.2.2. continha uma remissão para o campo 4.2.3.20.5., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.5.;
  • O campo 4.2.2. continha uma remissão para o campo 4.2.3.2.1., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.1.;
  • O anterior campo 4.2.3.4. (actual campo 4.2.3.5.) continha uma remissão para o campo 4.2.3.3., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.4.;
  • Ao actual campo 4.2.3.17.1.– “Identificador da entrega” (anterior campo 4.2.3.16.1.) foi incluída a expressão “ou do  meio de expedição utilizado, ex. correio expresso, ”;
  • Esta Portaria introduz um novo campo (2.3.2) com a seguinte designação – “Código Único do Documento”. Este campo deve ser preenchido com «0» (zero) até à sua regulamentação;
  • Esta Portaria introduz um novo campo (2.3.21.9.) com a seguinte designação – “Número de serie do produto” (Ex.: VIN, IMEI, ISSN, ISAN). Existindo a necessidade de efetuar mais do que uma referência, este campo poderá ser gerado tantas vezes quantas as necessárias;
  • Ao actual campo 4.2.3.21.12.–“Taxa de imposto” (anterior campo 4.2.3.20.11.) foi incluída a expressão “base de dados.”;
  • O anterior campo 4.2.3.20.11.4. (actual campo 4.2.3.21.12.4.) continha uma remissão para o campo 4.2.3.20.9. e 4.2.3.20.10., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.21.10. e 4.2.3.21.11.;
  • O anterior campo 4.2.3.20.12. (actual campo 4.2.3.21.13.) continha uma remissão para o campo 4.2.3.20.11.4., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.21.12.4.;
  • Esta Portaria introduz um novo campo (2.3.21.14.) com a seguinte designação – “Código do motivo de isenção de imposto”. Deve ser preenchido com o código do motivo de isenção ou não liquidação, que consta do Manual de Integração de Software – Comunicação das Faturas à AT. O preenchimento é obrigatório, quando o campo 4.2.3.21.12.4 – Percentagem da taxa de imposto (TaxPercentage) é igual a zero. Este campo deve ser igualmente preenchido nos casos de não sujeição aos impostos referidos na tabela 2.5. – Tabela de impostos (TaxTable);
  • O anterior campo 4.2.3.20.13. (actual campo 4.2.3.21.15.) continha uma remissão para o campo 4.2.3.21.3., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.22.3.;
  • O anterior campo 4.2.3.20.13. (actual campo 4.2.3.21.13.) continha uma remissão para o campo 4.2.3.20.11.4., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.21.12.4.;
  • O anterior campo 4.2.3.21.4.2. (actual campo 4.2.3.22.4.2.) continha uma remissão para o campo 4.2.3.21.3., mas com a nova Portaria a remissão passa a ser para o campo 4.2.3.22.3.;
  • A introdução do um novo campo obrigou a renumerar os campos já existentes.

 

Julho de 2017

Dr. Bruno Lagos – Licenciado em Organização e Gestão de Empresas; Mestre em Auditoria Contabilística; Nos últimos 25 anos técnico superior na Administração Fiscal Portuguesa.

Contabilidade Fiscalidade

SAF-T e a tabela 3 – tabela movimentos contabilísticos

A Tabela Movimentos Contabilísticos (GeneralLedgerEntries) os movimentos contabilísticos correspondentes ao período de exportação a que diz respeito o SAF-T, não devendo os movimentos de abertura ser objeto de exportação, na medida em que estes são apenas refletidos ao nível da tabela 2.1. – Tabela de código de contas (GeneralLedgerAccounts).

Esta tabela é constituída por quatro campos de grau 2, todos de carácter obrigatório e estes campos apresentam a seguinte informação:

  • Número de registo de movimentos contabilísticos;
  • Total dos débitos;
  • Total dos créditos;
  • Diários;

Quanto ao campo 3.4. – Diários o mesmo subdivide-se em três categorias, a saber:

  1. Identificador do diário;
  2. Descrição do diário;
  3. Identificador da transacção.

Por sua vez o Indentificador da transação decompõe-se em 11 subcategorias, que compreendem:

  • Chave única do movimento contabilístico;
  • Período contabilístico;
  • Data do documento;
  • Código do utilizador que registou o movimento;
  • Descrição do movimento;
  • Número de arquivo do documento;
  • Tipificação do movimento contabilístico;
  • Data do movimento contabilístico;
  • Identificador do cliente;
  • Identificador do fornecedor;
  • Linhas.

As Linhas por sua vez decompõem-se em duas categorias, valores a débito e valores a crédito e para cada uma destas categorias (valores a débito e valores a crédito) é solicitada a seguinte informação:

  1. Identificador do registo de linha;
  2. Código da conta;
  3. Chave única da tabela de movimentos contabilísticos (campo não obrigatório);
  4. Data do registo do documento contabilístico;
  5. Descrição da linha de documento;
  6. Valor a débito ou a crédito.

A Portaria n.º 302/2016, de 2/12, introduziu as seguintes alterações a esta tabela:

  • O campo 3.2. Total de débitos passa a remeter para o campo 4.3.11.1.6., quando anteriormente remetia para o campo 3.4.3.11.6.;
  • O campo 3.3. Total de créditos passa a remeter para o campo 4.3.11.2.6., quando anteriormente remetia para o campo 3.4.3.11.7.;
  • O campo 3.4.3.5. Descrição do movimento passa a ter uma dimensão de 200 caracteres, quando anteriormente tinha uma dimensão de 60 caracteres;
  • No campo 3.4.3.8. Data do movimento contabilístico passa a ser exigido apenas data relevante para efeitos contabilísticos. O formato do campo passa apenas a ser tipo “Data”. Anteriormente quando as gravações eram feitas em procedimentos do tipo Batch, poderia ficar com a data de início ou de fim desse processamento e o formato do campo era “Data” e “Hora”;
  • O campo 3.4.3.11. Linhas passou a ter dois novos índices. Um para os valores a débito e outro para os valores a crédito. A decomposição de cada uma destas linhas contém a mesma informação que continha anteriormente;
  • Por força da alteração anterior aos campos 3.4.3.11.1., 3.4.3.11.2., 3.4.3.11.3., 3.4.3.11.4., 3.4.3.11.5. e 3.4.3.11.6. passam a corresponder os atuais campos 3.4.3.11.1.1., 3.4.3.11.1.2., 3.4.3.11.1.3., 3.4.3.11.1.4., 3.4.3.11.1.5. e 3.4.3.11.1.6..
  • Devido à alteração já mencionada ao campo 3.4.3.11., aos anteriores campos 3.4.3.11.1., 3.4.3.11.2., 3.4.3.11.3., 3.4.3.11.4., 3.4.3.11.5. e 3.4.3.11.7. passam a corresponder os atuais campos 3.4.3.11.2.1., 3.4.3.11.2.2., 3.4.3.11.2.3., 3.4.3.11.2.4., 3.4.3.11.2.5. e 3.4.3.11.2.6..
  • O formato do campo 3.4.3.11.1.3. passa a ter 60 caracteres, quando anteriormente tinha 30 caracteres
  • O formato do campo 3.4.3.11.1.5. passa a ter 200 caracteres, quando anteriormente tinha 60 caracteres;
  • O formato do campo 3.4.3.11.2.3. passa a ter 60 caracteres, quando anteriormente tinha 30 caracteres
  • O formato do campo 3.4.3.11.2.5. passa a ter 200 caracteres, quando anteriormente tinha 60 caracteres;

Gostaria de chamar a atenção dos Contabilistas Certificados para esta tabela do SAF-T, que está fortemente relacionada com o procedimento do registo das transações efetuadas pelas empresas, pelo que deverão verificar se as aplicações de contabilidade que utilizam cumprem todos os requisitos aqui abordados, designadamente a informação solicitada para o Identificador da transação (campo 3.4.3.1 a 3.4.3.11).

Julho de 2017

Dr. Bruno Lagos – Licenciado em Organização e Gestão de Empresas; Mestre em Auditoria Contabilística; Nos últimos 25 anos técnico superior na Administração Fiscal Portuguesa.