A navegar na categoria

Faturação

Faturação

Técnicas de negociação que vai querer conhecer

Negociação. Não se trata de conseguirem o que pretendem, nem de darem à outra parte o que quer. Trata-se, sim, de terminar a conversa com ambas as partes satisfeitas. Encontrar um meio termo que sirva ambos. Para permitir que a negociação aconteça de forma positiva, podem por em marcha algumas destas técnicas.

Não se foquem na vitória.

O processo negocial não se trata de uma competição. Se o virem como tal, estarão sempre a pensar em formas de vencer a outra parte e o propósito não é esse: é, sim, dividir com a outra parte as vantagens e as cedências. No fim de contas, importa que levem os vossos objetivos bem definidos e que reajam às propostas em concordância com a realização desses objetivos.

Coloquem questões abertas.

Se quiserem ter com a outra parte uma conversa franca e aberta, evitem questões de resposta monossilábica. Façam perguntas abertas para estabelecerem uma relação de confiança com a outra parte: não façam pressão ao tentarem obter respostas rápidas. Apostar numa base de confiança vai ajudar-vos a fechar o negócio mais rapidamente.

Preparem-se para ceder.

Não vão conseguir tudo o que pretendem – é um dado adquirido. Planeiem a negociação tendo em conta todos os assuntos em que estão dispostos a ser flexíveis e aqueles que são território proibido para negociar.

Usem a inteligência emocional.

Terem inteligência emocional permite-vos gerirem as vossas emoções e criarem empatia com a outra parte da negociação. Também evita que se distraiam da conversa, ajuda a responder a perguntas mais difíceis e torna-vos em pessoas mais amigáveis.

Façam o trabalho de casa.

Não se apresentem numa reunião de negociação mal preparados. Pesquisem tudo sobre a entidade com quem vão reunir, para conseguirem identificar exatamente aquilo que querem do lado deles. Tenham toda a informação convosco, para recorrerem a ela durante a reunião – se necessário.

Para poderem progredir nas vossas técnicas de negociação, basta porem em prática algumas destas estratégias! Isso e ter todas as informações sobre o vosso negócio à distância de um clique: conheçam as soluções de faturação Sage.

Faturação

Os novos consumidores: a Geração C

Atenção, Geração X, Y e Z! Há uma nova geração a emergir: a Geração C. E quem faz parte da Geração C tem em comum o facto de serem nativos digitais e tecnologicamente desenvolvidos. Ao contrário das gerações anteriores, não partilham a mesma faixa etária: tanto podem ter 15 anos ou 85. Nem fatores socioeconómicos ou geográficos. E o que significa o C? Conectados.

Redes sociais, gadgetswireless permitem à Geração C partilhar dados e informações através da internet. Pondo isto em perspetiva, partilhamos alguns dados sobre os seus hábitos:

  • Amor à criação de conteúdo, potenciado pelos novos gadgets tecnológicos mais recentes e incentivados pelas empresas a partilharem as suas habilidades criativas.
  • Tendência para participar ativamente em comunidades. A Geração C quer pertencer a uma comunidade, especificamente a uma que seja online. A maioria dos membros nunca esteve noutra realidade que não a era digital: todos utilizam meios digitais para se manterem em contacto com família, amigos, parceiros de negócios e pessoas com os mesmos interesses.
  • Gravitação em torno de redes sociais. É aqui que podem participar em debates e defender novas ideias, envolvendo-se cada vez mais na comunidade online. A informação e a partilha decorre aqui: é onde tomam contacto com as causas que mais tarde se tornam as suas.
  • Desejo de controlar tudo. O acesso fácil à informação permite à Geração C controlar a sua própria vida em todos os momentos e sentem-se capacitados para lidar com a complexidade inerente.
  • Vontade de trabalhar em indústrias criativas. Estar restringido a uma estrutura rígida não é para a Geração C.

Como é a Geração C enquanto consumidores?

Existem algumas características que separam a Geração C de outras, quando nos referimos aos consumos que fazem. Comparam preços online, procuram produtos através dos websites e apps, lêem reviews dos produtos nos meios digitais e utilizam-nos para procurar serviços – como a restauração -, nas imediações de onde se encontram.

O que significa isto para os donos de restaurantes e outros negócios?

Que têm de repensar a maneira como o vosso negócio está projetado: o foco deve ser em atrair consumidores e criar uma relação com eles através de uma abordagem personalizada. Cada um deve receber da vossa parte mensagens customizadas e sentir-se envolvido com o negócio através do vosso comportamento. E esta é apenas a primeira parte: os canais de comunicação e suporte devem fazer parte do processo.

Otimizem os processos dentro do vosso negócio, contando com a ajuda de um softwarede faturação que opere com rapidez e facilidade: conheçam as soluções Sage!

 

Faturação

Relatórios: 3 indicadores chave para a gestão

Nem todos os gestores e donos de negócios são experts na elaboração e interpretação de relatórios de gestão. Todavia, são estes relatórios que trazem dados importantes para crescer e melhorar: é fundamental que saibam lê-los e tirar algumas ilações.

1. O que vender

No final de um dia no trabalho, o que importa é ter rentabilidade e perceber o caminho para manter o negócio à tona. Por vezes, vão ter que tomar decisões difíceis – por exemplo, descontinuar um produto ou serviço que não cumpre os objetivos de vendas. Os relatórios que vos mostram o top dos melhores e piores produtos, serviços e clientes vão fornecer-vos todas as indicações necessárias sobre o seu desempenho e ajudar-vos a tomar decisões.

2. Precisam de investimento?

Os gestores de negócios proativos atualizam regularmente as suas finanças e estão sempre informados sobre a situação financeira da sua empresa. Com a utilização de uma solução de gestão, contarão sempre com apoio na tomada de decisão, com dados de negócio em tempo real. Ao terem acesso com frequência a relatórios sobre o fluxo de caixa vão poder precaver-se de eventuais problemas financeiros. O planeamento financeiro é fundamental para que qualquer negócio seja bem sucedido.

3. Expandir o negócio

Se a vossa empresa é rentável e encontrou a estabilidade há algum tempo, podem começar a planear o próximo passo. É simples consultar as informações sobre a rentabilidade num determinado período, através de um relatório de demonstração de lucros e perdas ou de resultados. O importante é como vão utilizar essa informação daqui em diante. Existem diversas maneiras de expandirem o vosso negócio, que mudam conforme os vossos objetivos.

Faturação

6 formas de confundir os objetivos

Já sentiram que têm dificuldades em cumprir alguns objetivos? Então, talvez o problema resida no objetivo e não nos vossos esforços em alcançá-los, que são, certamente, os melhores. Por vezes, podem até fazer tudo bem mas não chegarem aos resultados que têm em mente.

Deixamos, neste artigo, algumas formas que normalmente levam as pessoas a definir mal os seus objetivos.

  • Definir objetivos impossíveis. Por muito que o vosso negócio esteja a atravessar um momento muito bom, delinearem objetivos ambiciosos ao ponto de serem irrealistas só trará dificuldades ao vosso dia a dia. Pensem em grande, mas com alguma cautela.
  • Tentar fazer muito em simultâneo. Se a vossa meta for demasiado ampla, pode ser difícil focarem-se nele a 100%. Se a vossa atenção estiver dispersa por várias coisas, podem acabar por não concretizar nenhuma delas.
  • Subestimar prazos de entrega. Os objetivos precisam sempre de um prazo de entrega. Devem garantir que têm sempre tempo suficiente para cumprir e entregar os projetos atempadamente. Revejam diariamente o vosso cronograma de tarefas e façam os ajustes necessários de maneira a cumprirem todos os prazos com que se comprometeram.
  • Não valorizar as falhas. Um bom objetivo traz com ele uma componente inerente da possibilidade de falha. Se não valorizam tudo o que podem aprender com os vossos erros, estão a perder uma enorme oportunidade de aprendizagem. Falhar é a oportunidade perfeita para voltar a fazer tudo de forma mais inteligente.
  • Ter uma atitude negativa. Ter uma atitude menos positiva tem interferência na conquista dos vossos alvos. Podem, também, impedir-vos de definirem metas positivas e com alguma ambição.
  • Fixar demasiados objetivos. Ter múltiplos objetivos pode rapidamente tornar-se num problema. Vão dispersar e gastar toda a vossa energia em pequenas tarefas, o que vos vai impedir de ser focarem no objetivo principal.

Delinearem objetivos sólidos é um primeiro passo para viabilizar o vosso negócio: um dos passos seguintes é terem o suporte de um software de faturação que vos acompanhe a par e passo. Conheçam melhor as soluções que a Sage tem para vos oferecer, aqui.

Faturação

Estratégias para aumentar a taxa de conversão

Em início de novo ano, deixamos-vos 5 estratégias poderosas que podem ter um efeito imediato na vossa taxa de conversão.

Quais são as estratégias?

  • Acordo prévio. Esta estratégia consiste em acordar com um parceiro – de forma formal ou informal -, que darão os mesmo passos no que diz respeito ao processo de vendas. Ou seja, definem previamente quem vão ser os fornecedores e parceiros em todo o processo, alcançando benefícios para todas as partes. Neste caso, estão a afirmar a vossa confiança nos parceiros de negócio e na sua capacidade de tomarem decisões de compra.
  • Sentimento de perda. Nada tem mais influência nas vendas – e na taxa de conversão – como o sentimento de medo ou de perda. Como é que podem criar, de forma ética, este sentimento? Podem fazer promoções e ofertas com datas de expiração, alguma gratificação imediata para quem compra o produto ou serviço na hora, baixas de preço imediatas no caso de compra na hora, entre outros.
  • Dilema. Ao criarem dilemas nos vossos consumidores, eles vão estar dispostos a pagar mais para garantirem um benefício futuro para si próprios. Tudo o que disserem para fazer valer a vossa perspetiva em relação aos benefícios de que podem usufruir – financeiramente e emocionalmente – aumentará a sua motivação para procurarem uma solução sólida e que traga garantias.
  • Prova social. Em circunstâncias incertas, tendemos a fazer o que outras pessoas com quem nos identifcamos fizeram. Como é que se pode transportar isto para o processo de vendas? Ao utilizarem de forma eficaz histórias e testemunhos de clientes, partilharem fotografias e vídeos de clientes satisfeitos com o vosso serviço, procurando formas de por os clientes a interagir com potenciais consumidores. Outra estratégia mais comum é partilhar estatísticas e dados de vendas que destaquem o vosso produto/serviço em relação à concorrência.
  • Inversão do risco. A última das estratégias é tirar o risco de compra dos ombros dos clientes e passá-lo para os vossos. Como? Oferecendo uma boa garantia, dependente do tipo de serviço em questão. Deixando os clientes experimentarem de forma gratuita o vosso produto, por exemplo através de um trial.  Ou permitindo uma pequena compra inicial, para poderem adaptar-se e testar o produto ou serviço à sua vontade.

Estas cinco estratégias de vendas foram pensadas e projetadas para vos ajudar legitimamente a aumentar as vendas, tornando a oferta mais atrativa. Para além destas, é importante que utilizem um software de faturação que vos ajudem a gerir o negócio de forma tranquila e simples e que seja ajustável a cada tipo de empresa.