A navegar na categoria

Sage Enterprise Management

Sage Enterprise Management

Como manter relações duradouras com os vossos parceiros comerciais – Parte I

Cultivar relações estáveis e duradouras com fornecedores ou fabricantes pode ser um fator de diferenciação para o vosso negócio – algo vantajoso num mercado cada vez mais competitivo.

As relações de mútuo benefício não se constroem da noite para o dia. Tenham em conta que poderá passar algum tempo entre dar os primeiros passos e obter os primeiros resultados. A perseverança é a chave para encontrar os parceiros que partilham da vossa visão e princípios.

Neste artigo, apresentamos cinco formas de implementar estratégias que podem facilitar a vossa gestão empresarial diária.

  1. Comecem pela vossa rede de contactos

  • Comecem por identificar potenciais parceiros – sejam pessoas ou empresas – na vossa rede de contactos pessoais. Não precisam de estabelecer laços de amizade, mas encontrar parceiros que partilhem dos mesmos interesses e valores pode ser uma vantagem.
  • Outra forma de encontrar parceiros de negócio é junto de um fornecedor em comum – o que vos dá uma oportunidade única de estreitar relações entre todos. Empresas mais distantes da vossa realidade de mercado também podem ser uma solução, mas é possível que levem mais tempo a obter resultados. Assegurem a melhor gestão de vendas do vosso negócio, com um ERP Sage, para potenciarem as parcerias ideais.
  1. Vão além do óbvio

  • Estabelecer parcerias com uma empresa nem sempre é sinónimo de conhecer as pessoas que a gerem. As empresas são feitas de pessoas e a simples saída de um gestor pode mudar por completo o funcionamento e o rumo desse negócio.
  • Tentem sempre conhecer as pessoas que estão por detrás do empreendimento com quem querem estabelecer uma parceria. Descubram o que elas pensam e percebam de que forma podem contribuir para o vosso negócio. Olhar para lá do vosso círculo pessoal ajuda-vos a encontrar mais e melhores oportunidades.
  • Procurem desenvolver uma relação que não esteja assente apenas em orçamentos e contratos. Um telefonema a dar os parabéns, um postal de natal ou uma mensagem a desejar boas férias são formas simples (e sinceras) de demonstrar interesse em construir algo maior que um simples contrato comercial.
  1. Cuidado com a competição

  • Não deixem passar a oportunidade de fechar contratos de exclusividade e confidencialidade com os vossos fornecedores. Muitas empresas– como a Apple, por exemplo – viram a sua estratégia comercial prejudicada quando os fornecedores revelaram certos detalhes  do protótipo antes do tempo.

Embora extremos, os contratos de confidencialidade reforçam a importância de uma parceria assente na exclusividade. Não deixem de fora a hipótese de ter que implementar este tipo de acordos e valorizem os parceiros que estejam dispostos a ajustar-se às necessidades do vosso plano.

Sage Enterprise Management

Quais os atrativos escondidos numa internacionalização?

A internacionalização do vosso negócio pode trazer-vos muitas surpresas. No entanto, para fazer a decisão de dar o primeiro passo, devem conhecer todas as vantagens. Mesmo as mais inesperadas!

Expandir o vosso negócio: para quê?

Os grandes atrativos de levar o vosso negócio para o estrangeiro são aumentar a competitividade da vossa atividade e encontrar as melhores oportunidades de negócio, num mercado maior. Podem fortalecer a vossa produção, garantindo mercado em locais diferentes, e assim escapar a desacelerações económicas em mercados específicos. Ao diversificar os vossos serviços ou produtos, também podem garantir mais variedade de receitas.

Recursos Humanos, força insubstituível

O fator humano também tem muito a ganhar com a introdução do vosso negócio noutros negócios! Caso a vossa internacionalização cresça nesse sentido, podem lançar produção noutros países e avançar com recrutamento nesses locais. Colaboradores que conhecem o mercado local terão conhecimento particular e imprescindível. Trazer diversidade à vossa força de trabalho potenciará inovação de processos e práticas. Com novos desafios, vêm novos conhecimentos e podem ainda aproveitar a aprendizagem que surge com o contacto com novas empresas.

Reduzir custos de produção, distribuição ou deslocação

Trabalhar em mercados internacionais é, muitas vezes, uma total mudança de paradigma. Podem procurar reduções de custos com materiais nativos aos novos mercados onde lancem produções. Por outro lado, podem descobrir que certos processos de trabalho embaratecem substancialmente em países diferentes. Sem falar dos custos de produção que tendem sempre a baixar quando o volume aumenta. Sage X3 é a solução certa para extrapolar o seu negócio para uma escala global!

Sage Enterprise Management

Prontos para introduzir a Contabilidade Ambiental no vosso negócio?

Alguma vez ouviram falar de contabilidade ambiental? Apesar de recente, este é um termo cada vez mais comum e frequente no meio empresarial. De certa forma, pode-se dizer que este conceito surge como consequência direta de uma consciência cada vez mais global do impacto do homem na natureza e nos seus recursos naturais.

Mais concretamente – e aplicado a um cenário empresarial –, este é um ramo da contabilidade destinado a registar e controlar o impacto que certas ações do vosso negócio têm no meio ambiente. O relatório de contabilidade ambiental deve funcionar como um registo do património ambiental, apontando monetariamente os benefícios, prejuízos e resultados da exploração ambiental.

Proponham modelos que incentivem o vosso negócio ou empresa a implementar métodos de gestão focados na proteção ambiental. Considerem também métodos e sistemas que permitam contabilizar e registar de forma detalhada as vossas ações. Por fim, saibam que podem disponibilizar informação monetária sobre as condições ambientais que afetam a situação patrimonial da empresa.

Componentes da contabilidade ambiental

Antes de implementarem a contabilidade ambiental no vosso negócio, importa assimilar alguns conceitos fundamentais para que possam tomar as melhores decisões enquanto empresários.

  • Despesas ambientais: são usadas para fazer uma boa gestão de impacto ambiental e para reportar as despesas feitas pela administração da empresa.
  • Custos ambientais: estão relacionados direta ou indiretamente com a proteção do meio ambiente, como por exemplo o tratamento de resíduos, recuperação de áreas contaminadas, entre outros.
  • Perdas ambientais: como o nome indica, são perdas que não trazem qualquer benefício para a vossa empresa. São, no fundo, gastos com a resolução de acidentes ou outras questões imprevistas – desde que relacionadas com o ambiente.
  • Receitas ambientais: são todas as receitas ligadas à prestação de serviços relacionados com a área de gestão ambiental, bem como a venda de produtos reciclados ou a redução do consumo de água ou energia.
  • Ativos ambientais: são representados por bens e direitos capazes de gerar benefícios no futuro e que estão ligados à preservação ambiental.
  • Passivos ambientais: referem-se aos valores sacrificados pela empresa para preservar ou proteger o meio ambiente, desde que decorram de ações planeadas ou inadequadas da empresa.

Com este pequeno guia introdutório e com a ajuda das soluções de Gestão Sage, estão preparados para introduzir as melhores práticas de gestão ambiental no vosso negócio e potenciar a consciencialização ambiental dos vossos colaboradores.

Sage Enterprise Management

O caminho a seguir na construção de uma equipa – Parte II

Na segunda parte deste artigo, continuamos a olhar para as boas práticas de contratação e integração de novos trabalhadores nos vossos negócios. Pensamentos essenciais para a sobrevivência da vossa empresa, que poderão conjugar com o software de gestão de Recursos Humanos, Sage X3 People.

Uma integração progressiva

Com a chegada de um novo colaborador à vossa empresa, certifiquem-se que este tem tempo para se familiarizar com as rotinas e o ambiente do novo local de trabalho. Irão evitar percalços de última hora e ajudar com que se sinta mais confiante na sua posição e com o seu desempenho.

Deixem os novos colaboradores a par de todas as atividades de equipa que a vossa empresa organiza e disponibiliza. Procurem saber mais sobre os seus interesses e passatempos. Este tipo de interação ajuda as novas contratações a aproximar-se dos seus colegas e de toda a equipa.

Privilegiem a honestidade e abertura entre todos os trabalhadores – chefias incluídas. A transparência entre toda a equipa ajuda a manter índices de confiança altos entre os trabalhadores.

Formação e desenvolvimento de competências

A formação é um fator essencial da atividade empresarial. Contudo, sejam pragmáticos em relação às necessidades dos vossos trabalhadores e do vosso negócio – uma formação injustificada pode ser uma perda de tempo e acarretar custos adicionais desnecessários.

A direção a seguir

Definam as vossas expetativas e objetivos o mais cedo possível. Como é que será avaliado o desempenho dos trabalhadores? A vossa equipa sabe o que é esperado dela? Garantam uma organização e comunicação clara e eficaz, para que ninguém tenha dificuldades na integração ou no cumprimento de objetivos.

O que fazer quando alguém precisa de ajuda

Certifiquem-se que toda a gente está a par do problema. Comuniquem de forma clara com o trabalhador em dificuldades – muitas vezes ele pode nem saber que algo está mal.

Esclarecida a situação, é hora de encontrar soluções. Podem, por exemplo, juntá-lo a um colega com um papel semelhante ao seu no contexto laboral, de forma a que este se sinta motivado e capaz de ultrapassar as suas próprias dificuldades.

Se existir algum constrangimento do foro pessoal, não tenham medo de abordar esse assunto. Sejam empáticos, ouçam o vosso colaborador e trabalhem em conjunto para chegar a uma solução – as pessoas não são robôs.

Em suma, estejam atentos a quaisquer sinais de insatisfação ou desleixo de forma a que consigam antecipar um inconveniente maior. Por vezes, uma conversa simples e atenciosa é tudo o que basta.

Sage Enterprise Management

5 formas de manter os vossos colaboradores felizes

Há muitas peças no puzzle do negócio de sucesso. Uma das mais importantes é a satisfação dos vossos funcionários. Colaboradores felizes e envolvidos são mais produtivos e dedicados a dar o seu melhor. Por isso, façam uma pausa e considerem como podem maximizar a satisfação da vossa equipa.

  1. Paguem os ordenados a tempo

Enquanto empregador, esta é uma parte essencial do vosso lado do contrato de trabalho. Os vossos colaboradores esperam receber a tempo, por inteiro e sem problemas. A automatização de processamento de ordenados diminuirá o erro humano e trará mais eficiência. É fundamental que considerem soluções que contemplem esta necessidade.

  1. Estudem os dados oferecidos pelos vossos colaboradores

Devem compreender quem empregam e aquilo que os incentiva. Apostem em sistemas de gestão de força de trabalho e de tecnologias de análise de dados, com o intuito de ganharem conhecimento sobre necessidades e feedback dos vossos colaboradores. A partir daí, tornar-se-á mais fácil implementar alterações que ajudem o trabalho, ou reforcem equipas, ou ofereçam formação, de acordo com a informação direta da fonte: os vossos funcionários. Vão ganhar lealdade.

  1. Coloquem os colaboradores nas funções certas

Todos queremos trabalhar onde sentimos que fazemos um impacto positivo para o negócio e onde podemos utilizar as nossas competências. Sistemas de automatização podem libertar muitas funções de tarefas demoradas e oferecer tempo para facetas mais humanas e valiosas do vosso trabalho. Por isso, ouçam as questões dos vossos colaboradores sobre potencial desperdiçado e redesenhem equipas ou proporcionem formação, para que todos possam seguir a sua paixão.

  1. Criem a vossa comunidade de trabalho

As vossas equipas passam muito tempo em conjunto e, por isso, é ideal que haja bem-estar no local de trabalho e entre todos os colaboradores. Encorajem o trabalho colaborativo e assegurem as ferramentas necessárias para que a comunicação circule escorreitamente.

  1. Revejam os vossos benefícios

A retenção de talento é um processo proativo. E não devem esquecer: a remuneração financeira nem sempre é o fator decisivo. Considerem o que interessa aos vossos colaboradores – e potenciais colaboradores – hoje em dia. Podem ser: trabalho remoto ou com horários flexíveis, oportunidades de desenvolvimento profissional ou o ambiente e cultura da vossa empresa. Devem apontar para estabelecer um equilíbrio entre incentivos e prioridades do negócio.