Browsing Tag

Colaboradores

Sage Enterprise Management

4 maneiras de manter os trabalhadores motivados – Parte I

Quer sejam donos de uma pequena empresa ou administradores de um grande conglomerado empresarial, os desafios que terão de enfrentar ao contratar e manter os melhores trabalhadores são essencialmente os mesmos.

Há muitas coisas que podem contribuir para fazer da vossa empresa um empregador de eleição: do departamento de Recursos Humanos à missão do vosso negócio, da remuneração aos benefícios, sem esquecer os incentivos adicionais que são dados aos trabalhadores. Aqui estão quatro maneiras de manter os vossos trabalhadores incentivados.

  1. Revejam a folha de pagamentos

O primeiro passo a tomar é rever a fórmula de remuneração que usam na vossa empresa. Existem várias formas de remunerar os vossos trabalhadores e algumas delas podem ser bastante benéficas ao nível fiscal.

São exemplos disso os pacotes salariais, reembolso de despesas de representação mediante a apresentação de recibos e até a forma como os bónus ou prémios são atribuídos.

Um conselho: se estiverem a considerar alterar a forma como pagam aos vossos trabalhadores – a inclusão ou remoção de esquemas de benefícios, por exemplo -, certifiquem-se que calcularam o impacto desta mudança nas suas vidas e que todos estão a par das mudanças.

Por fim, recorram a um software como o Sage X3 People que vos permita manter a folha de pagamentos atualizada e a par da lei vigente.

  1. Revejam regularmente os esquemas de benefícios

Caso ofereçam esquemas de benefícios – como por exemplo, um seguro de saúde que abranja um cônjuge – ou outros incentivos aos vossos trabalhadores, garantam que os revêem com regularidade. As leis fiscais mudam todos os anos, e um incentivo considerado vantajoso pode subitamente ficar mais caro para todos.

Um bom exemplo são os carros de serviço. A maior parte das vezes um trabalhador nem se apercebe que o uso do carro encareceu devido às alterações nas taxas fiscais.

Neste caso em particular, será mais vantajoso disponibilizar aos vossos trabalhadores um subsídio tributável destinado apenas a cobrir as despesas inerentes ao uso de um veículo.

Tenham também em atenção às alterações fiscais relacionadas com o agregado familiar. Se os vossos colaboradores tiverem filhos, certifiquem-se que têm ao seu dispor um esquema de benefícios adequado à sua situação.

Recursos Humanos

Conselhos para a contratação de pessoas – Parte II

Contratar a pessoa perfeita não precisa de ser um problema complexo. Ao empregarem o tempo e esforço para que os métodos de contratação e recrutamento da vossa empresa funcionem da forma correta, e ao aliá-los a uma solução de gestão como o Sage 100cloud RH, estão a fortalecê-la.

Como contratar os funcionários perfeitos

Há cada vez mais trabalho e precisam de ajuda para se manterem a par de tudo? Está na hora de começar a contratar. Ao encontrar as pessoas certas para trabalhar para si, poderão cumprir as vossas responsabilidades e ainda atingir novos objetivos — o que é ótimo para o vosso negócio e as vossas finanças.

E, claro, vão querer contratar a pessoa (ou pessoas) perfeitas para vos ajudar a serem bem-sucedidos. Mas o que é que isso significa para vocês e para o vosso negócio? Antes de pagar a uma empresa de recrutamento para encontrar uma lista de candidatos ou começar o processo de entrevistas, é preferível dar um passo atrás.

Considerem se poderá haver uma solução melhor do que contratações: por exemplo, o recurso a um freelancer, ou melhorar as vossas próprias capacidades de forma a poderem cumprir como o que o vosso negócio exige.

Se concluírem que empregar uma pessoa é a melhor opção, então está na hora de procurar a pessoa certa para o trabalho em causa.

O colaborador perfeito terá as capacidades necessárias para cumprir a tarefa em causa. Também terá a personalidade certa para se adaptar à cultura da sua empresa, entusiasmo para trabalhar, aprender e crescer, e ajudar o negócio a continuar a melhorar.

Para conseguirem isto, definam o papel do novo colaborador, quais as suas responsabilidades e qual será o seu papel no dia-a-dia. Depois, procurem alguém que possa cumprir esses requisitos, e ajudem essa pessoa a crescer para realizar o trabalho da melhor forma possível.

Qual a função para a qual deve recrutar?

Procuram um assistente de vendas para ajudar o vosso negócio a vender mais? Ou precisam de um diretor de vendas que supervisione a vossa estratégia de vendas e lidere uma equipa de forma a fazer a diferença nos resultados?

Antes de começarem a contratar alguém, percebam bem qual o trabalho para o qual vão recrutar. Às vezes, isto é óbvio — podem precisar de uma pessoa específica para vos ajudar com uma tarefa sobre a qual não têm as capacidades necessárias para desempenhar bem.

Mas também pode ser mais complicado — podem precisar de ajuda com vendas e marketing. Devem contratar duas pessoas? Será que uma pessoa só consegue fazer o trabalho? Que capacidades devem ter, e será que devem ter experiência e conhecimentos ou devem estar a começar e com vontade de aprender? Quando lhes podem pagar?

Gestão de Pessoas

Guia prático para lidar com atrasos salariais – Parte II

Na segunda parte deste artigo, abordamos os cenários mais habituais e olhamos para o impacto fiscal e contabilístico dos salários em atraso.

Como se contabilizam os juros dos salários em atraso?

Existem formas diferentes de calcular os juros adjacentes de atrasos salariais. Cada uma delas depende do motivo que o originou:

Demora no pagamento

  • Nesta situação, o salário foi previsto e determinado atempadamente, mas o seu pagamento demorou mais que o acordado.
  • O acréscimo de salário que deverá ser feito para compensar o atraso pode ser debitado das contas usadas para os gastos com o pessoal. Já o pagamento propriamente dito poderá ser compensado como crédito nas contas de tesouraria da vossa empresa.

Erro humano ou tecnológico

  • Vamos considerar, por exemplo, erros contabilísticos. Estes podem ter origem na informação contida nas folhas de pagamento, num valor mal determinado pelo departamento de contabilidade, ou numa prestação de serviços mal calculada. O melhor será recorrer a uma solução de gestão como o Sage 50cloud Salários, que vos pode ajudar a monitorizar todos os pagamentos diários da vossa empresa e a evitar erros deste género.
  • A principal consequência de um erro deste tipo é a liquidação e pagamento de uma quantia maior (ou menor) que o suposto.
  • Ao corrigir erros de anos fiscais passados, não recorram às contas usadas para gastos com o pessoal. Em vez disso, recorram a uma conta de património líquido (reservas voluntárias) com crédito para a tesouraria ou que reflitam a dívida para com os trabalhadores.

Novas informações

  • É possível que o atraso nos salários suja como consequência de uma informação que vos chegou fora de tempo ou até de um serviço/investimento mal calculado. Por exemplo: subestimar o valor de um serviço que acaba por vos custar mais do que o previsto inicialmente.
  • Caso se deparem com esta situação, terão que fazer alterações às estimativas contabilísticas da vossa empresa. Ajustem as contas de gasto com o pessoal de acordo com a vossa dívida.

Após o fecho do ano fiscal

  • É possível que entre o fecho do ano fiscal e o balanço das contas anuais sejam apurados atrasos salariais. Se as condições que vos levaram a pagar mais aos trabalhadores já existiam no fecho de contas, estas devem ser tidas em conta no momento de balanço. Façam um ajuste nas vossas contas e mantenham toda a documentação em ordem.
  • Se os atrasos surgirem devido a condicionantes que não existiam aquando do fecho do ano fiscal, não poderão fazer ajustes. No entanto, deverão avisar os vossos contabilistas e reportar os atrasos no vosso relatório anual de contas.
Recursos Humanos

Guia prático para lidar com atrasos salariais – Parte I

É um cenário que todos os empreendedores procuram evitar, mas os atrasos salariais são mais frequentes do que possam imaginar. Podem acontecer por vários motivos, desde problemas de tesouraria a um mero erro nas folhas de pagamento.

Porque cada caso é um caso e os atrasos salariais podem ter consequências diferentes, vamos analisar as suas causas habituais, olhar para a melhor forma de os contabilizar e abordar as repercussões que estes têm nas contas da vossa empresa.

Como é que se estabelece um atraso salarial?

A lei não prevê uma data concreta para o pagamento de um salário, mas estabelece normas para a determinar. Prevê-se que o salário seja pago pontualmente e devidamente documentado, tal como estabelecido no contrato de trabalho celebrado com os vossos colaboradores. Em casos em que as obrigações salariais são periódicas e regulares, não se deverá demorar mais de um mês.

Como é que os salários afetam as retenções?

Por norma, podem deparar-se com duas situações diferentes:

  • Se o atraso no pagamento ocorrer dentro do mesmo ano fiscal em que o serviço foi prestado, a retenção a aplicar deverá estar de acordo com o procedimento geral de toda a empresa.
  • Caso esta seja relativo a um ano fiscal distinto, a retenção a aplicar será superior ao habitual.

Qual é o impacto fiscal dos atrasos salariais para as empresas?

Se a vossa empresa estiver sujeita ao imposto sobre sociedades, o impacto de um atraso salarial estará relacionado com o tratamento contabilístico do vosso empreendimento – que, como explicámos atrás, dependerá das razões e circunstâncias do atraso.

Em todo o caso, tenham em conta o seguinte:

  1. Devem declarar as despesas de pessoal no período em que elas se acumulam, independentemente do seu pagamento. Mas, para isso, devem ser contabilizados. Por exemplo, um atraso previsto e contabilizado devido à falta de liquidez que nos leva a cumprir com as folhas de pagamento referentes ao ano seguinte, não implica que tenham que esperar um ano para deduzir essa despesa.
  2. Para serem deduzíveis, as despesas podem debitar-se tanto à conta corrente da vossa empresa, como a uma conta de reserva – desde que isso esteja previsto nas normas e regulamentos da empresa. Este cenário permite-vos, por exemplo, deduzir as despesas com pessoal em atraso devido a um erro contabilístico.
  3. Em relação ao período de imputação, se contabilizarem os atrasos de um período anterior ao ano fiscal em vigor, poderão deduzi-los durante o ano decorrente. Contudo, a tributação será menor que o habitual.

Garantam o vosso processamento de salários da forma mais fácil e automatizada com a solução de Gestão de Recursos Humanos, Sage 50cloud Salários. Ganhem todo o rigor com a solução certa para o vosso negócio!

Sage Enterprise Management

O caminho a seguir na construção de uma equipa – Parte II

Na segunda parte deste artigo, continuamos a olhar para as boas práticas de contratação e integração de novos trabalhadores nos vossos negócios. Pensamentos essenciais para a sobrevivência da vossa empresa, que poderão conjugar com o software de gestão de Recursos Humanos, Sage X3 People.

Uma integração progressiva

Com a chegada de um novo colaborador à vossa empresa, certifiquem-se que este tem tempo para se familiarizar com as rotinas e o ambiente do novo local de trabalho. Irão evitar percalços de última hora e ajudar com que se sinta mais confiante na sua posição e com o seu desempenho.

Deixem os novos colaboradores a par de todas as atividades de equipa que a vossa empresa organiza e disponibiliza. Procurem saber mais sobre os seus interesses e passatempos. Este tipo de interação ajuda as novas contratações a aproximar-se dos seus colegas e de toda a equipa.

Privilegiem a honestidade e abertura entre todos os trabalhadores – chefias incluídas. A transparência entre toda a equipa ajuda a manter índices de confiança altos entre os trabalhadores.

Formação e desenvolvimento de competências

A formação é um fator essencial da atividade empresarial. Contudo, sejam pragmáticos em relação às necessidades dos vossos trabalhadores e do vosso negócio – uma formação injustificada pode ser uma perda de tempo e acarretar custos adicionais desnecessários.

A direção a seguir

Definam as vossas expetativas e objetivos o mais cedo possível. Como é que será avaliado o desempenho dos trabalhadores? A vossa equipa sabe o que é esperado dela? Garantam uma organização e comunicação clara e eficaz, para que ninguém tenha dificuldades na integração ou no cumprimento de objetivos.

O que fazer quando alguém precisa de ajuda

Certifiquem-se que toda a gente está a par do problema. Comuniquem de forma clara com o trabalhador em dificuldades – muitas vezes ele pode nem saber que algo está mal.

Esclarecida a situação, é hora de encontrar soluções. Podem, por exemplo, juntá-lo a um colega com um papel semelhante ao seu no contexto laboral, de forma a que este se sinta motivado e capaz de ultrapassar as suas próprias dificuldades.

Se existir algum constrangimento do foro pessoal, não tenham medo de abordar esse assunto. Sejam empáticos, ouçam o vosso colaborador e trabalhem em conjunto para chegar a uma solução – as pessoas não são robôs.

Em suma, estejam atentos a quaisquer sinais de insatisfação ou desleixo de forma a que consigam antecipar um inconveniente maior. Por vezes, uma conversa simples e atenciosa é tudo o que basta.