Browsing Tag

Digital

Contabilidade

Bitcoin: a primeira moeda digital

Um dos temas do momento é sem dúvida a inovação Bitcoin e todas as transformações que promete trazer. Investidores, empreendedores e corretores da bolsa discutem de forma acesa este tema.

Bitcoin, uma das moedas digitais.

Bitcoin são moedas digitais e neste momento existem mais de 800 com a diferença que não são controladas por uma autoridade central, como um banco ou um governo. Criado por especialistas em hardware relacionado com processos de transações pela internet.

Apoiantes desta inovação defendem que se trata de uma opção mais segura para transações pela internet, a tecnologia blockchain regista as transações a nível de cryptomoeda.

Com uma existência de apenas 8 anos, a Bitcoin foi a primeira moeda digital a aparecer e na sua curta existência foi sujeita a várias polémicas mas também reuniu firmes apoiantes.

Alguns dados interessantes sobre Bitcoin.

Ao longo da sua existência , a primeira moeda digital chamou a atenção com diversas polémicas associadas.

Um criador relutante:

Uma investigação jornalista apontou para que o criador fosse Dorian Satoshi Sakamoto, no entanto o próprio sempre negou esta atribuição. Em 2015 um australiano, Craig Wright afirmou ser o criador mas não apresentou qualquer prova que confirmasse este facto. Estima-se que o seu criador tenha cerca de um milhão em Bitcoin adquiridos nos primeiros anos.

 Um acionista inesperado:

Em 2013 o governo dos Estados Unidos era um dos maiores acionistas da moeda. No decorrer de uma operação policial, o FBI encerrou sites por transações ilegais, e o governo dos Estados Unidos acabou por ficar na posse de 140 mil bitcoins.

Segurança abalada:

No inicio de 2014 a Bitcoin sofreu uma enorme perda quando hackers acederam a uma casa de câmbios japonesa e roubaram cerca de 460 milhões. Foi a maior perda até à data e levantou questões sobre a sua segurança.

A inovação como trampolim para o sucesso.

Acompanhar a inovação é fundamental para o sucesso de um projeto, e embora todos os negócios estejam a sofrer transformações, a área da contabilidade foi completamente transformado pelo software.

Com softwares específicos como Sage for Accountants, a Contabilidade é transformada pela automatização dos processos, com um ganho de tempo substancial. Sage for Accountants tem três versões adaptadas às diferentes necessidades das empresas, Sage ContaPlus, Sage 100c Contabilidade e Sage 100c Gestão de Ativos.

 

 

.

Gestão de Empresas Inovação e Tecnologia

O que significa a neutralidade da Internet?

Nos últimos meses começámos a ver surgir alguns artigos sobre o tema da neutralidade da Internet, e toda a discussão em volta do processo que está acontecer nos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos está a ser decidido o futuro da Internet, um organismo chamado FCC – Federal Communications Comission, a autoridade reguladora americana para as comunicações, decidiu eliminar toda a regulamentação relativa à proibição dos fornecedores de Internet de bloquearem ou atrasarem a entrega de conteúdos de acordo com a relação que têm com os criadores de conteúdos.

Ou seja, sem a neutralidade da rede, as operadoras que disponibilizam o acesso à Internet podem vender pacotes que cobram mais para os utilizadores acederem a certo sites em detrimento de outros.

Protestos ao longo de meses.

Apesar dos protestos ao longo de um processo de consulta e da documentação entregue por especialistas da área, a FCC considerou que existia uma excessiva regulamentação e   controlo do Estado.

É uma decisão política, defendida apenas pelas grandes corporações de telecomunicações americanas como a Verizon e a Comcast, segundo as quais a Internet neutra tem atrasado a inovação nesta área. O último recurso passa por uma petição entregue ao Congresso, onde constam os nomes de 21 dos grandes nomes da industria tecnológica, como o criador da internet Tim Berners-Lee, de Vint Cerf criador de/IP , ou Steve Wozniakout – co-fundador da Apple.

Esta petição entregue no congresso, apresenta como critica principal, que a FCC tem um entendimento débil sobre o funcionamento da tecnologia da internet. No entanto não é expectável que este apelo seja diferido.

Portugal é afetado por esta alteração?

Portugal é regido pelas normas europeias nesta matéria, esta alteração não tem impacto na realidade portuguesa na União Europeia existe forte regulamentação e até ao momento não existem indícios que siga o exemplo dos EUA.

No entanto, os sites com maior tráfego online, como o Facebook ou o Twitter podem ser afetados por possíveis mudanças no mercado americano, mas neste momento não é possível prever todos s cenários.

Acompanhar a mudança.

É fundamental para as empresas acompanharem a inovação e todas as alterações que podem afetar as empresas, mesmo de uma forma indireta. Sage 100c permite a integração de Apps para complementar a solução Sage, ajustando-a às necessidades de cada negócio, um ERP disponível em desktop e SaaS é ideal para pequenas e médias empresas.

A Internet chegou e mudou toda a forma como trabalhamos, tudo o que a afeta ou condiciona, terá sempre um impacto para as empresas.

 

 

 

 

Sage Foundation

Sage Foundation: transformar o mundo apoiando projetos inovadores

A Sage Foundation procura projetos inovadores que transformem o mundo com a sua ação local, e dispõem de um fundo para apoiar ideias brilhantes de ONG focadas nas áreas da juventude e mulheres.

Quando pensamos sobre os desafios que enfrentem os empreendedores e as pequenas empresas, raras são as vezes em que nos lembramos que as instituições de solidariedade e sem fins lucrativos também fazem parte deste núcleo. As pequenas instituições enfrentam exatamente os mesmo problemas diários, como a gestão do fluxo de caixa, o controlo sobre as despesas ou como se manterem relevantes num ambiente competitivo.

Desafios enfrentados pelas ONG.

As pequenas instituições não têm a mesma visibilidade que as grandes organizações de solidariedade, que são, muitas vezes, multinacionais e estão envolvidas em grandes campanhas. Basta que procurem na vossa localidade e, certamente, irão encontrar uma dúzia de pequenas instituições dedicadas a causas nobres, que mudam vidas na sua área de atuação e que passam, quase sempre, despercebidas.

As ideias estão lá, nessas pequenas ações que acontecem todos os dias. O que aconteceria se tivessem acesso a fundos e à exposição necessária para fazerem essas ideias ganhar vida? É aqui que entra o Sage Foundation Entreprise Fund: um fundo de 1 milhão de dólares disponibilizado para 2017 para instituições de caridade ou sem fins lucrativos com ideias empreendedoras para melhorar vidas nas suas comunidades locais.

Como funciona o apoio da Sage Foundation Entreprise Fund.

Serão atribuídos subsídios de valores variáveis a instituições de solidariedade que tiverem uma abordagem inovadora sobre os problemas que existem nas comunidades onde a Sage Foundation está presente. Em breve, o objetivo será investir diretamente nas áreas indicadas pelas instituições como as mais carenciadas e financiar novas iniciativas. As candidaturas estão abertas e disponíveis até 28 de novembro de 2017: podem inscrever-se aqui!

Todas as candidaturas que cumpram os critérios de elegibilidade serão consideradas, mas a Sage Foundation está à procura de pequenas instituições para apoiar,  que tenham ambições em termos de crescimento e expansão na oferta de mudanças sustentáveis e positivas para as comunidades.

 

Inovação e Tecnologia

Sage Sessions

No próximo dia 23 de novembro realiza-se a primeira Sage Sessions no Pavilhão Carlos Lopes em Lisboa, com o tema “O Futuro Agora, em Lisboa”.

As Sage Sessions são um espaço para network de empresas de pequenas a grandes com o objetivo comum – crescer e perceber as oportunidades de negócio. Para atingirmos essa meta comum, apresentamos conteúdos relevantes para áreas de negócio, e dicas e inspiração de experts. No centro das atenções a transformação digital como chave para atingir o crescimento.

As boas vindas serão dadas por Josep Maria Raventos – Country Manager Sage Portugal. Seguirá uma conversa com a empresária e apresentadora da televisão, Cristina Ferreira com o tema “À boleia do digital: da televisão para o mundo do empreendedorismo”. Cristina Ferreira falará da sua veia de empreendedora, o que a levou a ir além da apresentação em televisão, e sobre o que a motiva a continuar a lançar-se em novos negócios.

Seguidamente teremos Daniel Reis – Sócio Partner da PLMJ, que nos irá falar sobre “O Impacto do Regime Geral de Proteção de Dados”. Este é um tema que ainda suscita dúvidas devido às suas implicações, a rápida evolução tecnológica e a globalização criaram novos desafios exigindo um quadro de proteção sólido e mais coerente na União Europeia.

Segue-se no programa a apresentação “O que o Office 365 pode fazer pelo seu negócio”, a sua integração com o software Sage 50c abre novas possibilidades de conetividade, que em muito poderão ajudar as pequenas empresas a ser ainda mais efetivas e produtivas.

Para terminar contamos com a presença de João Vasconcelos – Senior Adviser Clearwater International e ex-secretário de Estado da Indústria, que nos irá falar sobre a “Quarta Revolução Industrial”.

Para encerrar teremos um cocktail, oportunidade para mais networking e algumas speed demos dos novos produtos Sage. Assista à primeira edição da Sage Sessions em Lisboa, dê um passo na direção certa, prepare o futuro do seu negócio ao lado da Sage.

Faturação

Dois elementos essenciais para o sucesso: talento e tecnologia

Todas as empresas se sentem pressionadas com a competição e sabem que a única forma de a enfrentar, passa por se manterem atentas às inovações tecnológicas que lhes podem trazer alguma vantagem.

Seria de esperar que essas empresas tivessem ultrapassado outras dificuldades, nomeadamente a nível operacional que afetam o crescimento do negócio, mas esta não é muitas vezes o caso.Um estudo realizado pela Sage indicou que os principais desafios paras pequenas e médias empresas, passam pela competição a nível interno, mudanças na legislação económica e em regulamentos, recrutar colaboradores talentosos e encontrar tempo para se focarem no crescimento do negócio.

Construir uma cultura de empresa baseada na confiança.

É fundamental para um pequeno negócio ter uma definição de qual os seus valores e permanecer firme na sua defesa. Os lideres devem inspirar os colaboradores a abraçar os valores fundamentais da empresa, e tudo começa no momento da contratação.

Um dos grande desafios passam por contratar as pessoas certas para a posição, algo mais difícil do que parece. Alem da descrição da tarefa, há que encontrar pessoas que se adaptem à empresa, e acreditem na missão da empresa. Devem ter em conta no momento da contratação quais as capacidades e características necessárias para tingir os objetivos definidos.

Adaptar as operações à tecnologia móvel.

Tecnologia móvel, big data, e uso da Cloud, são os investimentos do momento para as empresas que desejam acompanhar a inovação. Não há dúvidas de que estas novidades permitem uma diminuição de custos e tornam os negócios mais eficientes.

Um software como Sage 50c permite a pequenas e médias empresas trabalhar online, com acesso a funções para alem da faturação. Com este software é possível aceder em qualquer lugar aos dados do negócio, e a partir de qualquer dispositivo.

Por vezes a equipa necessita de formação para abraçar novas tecnologias, mas cada vez mais o uso de aplicações faz parte da vida quotidiana, e torna-se necessário menos apoio.

Automatização permite um maior crescimento.

Estudos conduzidos pela Sage, demonstram que cerca de 41% dos pequenos negócios ainda sentem algum cepticismo em relação ao papel da inteligência artificial e das Bots chats, no auxilio das tarefas administrativas que ainda lhes ocupam diariamente algumas horas.

Automatizar tarefas repetitivas administrativas permite poupar tempo, e apostar mais na relação com os clientes ou a aperfeiçoar o produto/serviço.

Os lideres devem pensar de forma critica sobre como as novas tecnologias os podem ajudar, e por sua vez auxiliar a equipa a fazer um bom uso destas possibilidades, que permitem um significativo corte de custos. Dedicar mais tempo a planear o crescimento futuro da empresa, apostando na contratação de pessoas talentosas, que tragam um contributo único para o negócio.