Browsing Tag

Eficiência

Gestão de Pessoas Sage Enterprise Management

Como gerir uma equipa passivo-agressiva

Há dias de trabalho que antecipamos que sejam calmos mas nos surpreendem. A vossa equipa deveria ser apresentar resultados, como acordado, mas não estão a responsabilizar-se pelo projeto. As suas ações não coincidem com o seu discurso, ou seja, a descrição clássica de comportamento passivo-agresssivo.

Estejam atentos às seguintes atitudes: sabotagem dos esforços do outro; procrastinação; entrega de trabalho medíocre; desvalorização de urgência do trabalho; falta de compromisso; queixas ou distribuição não fundamentada de culpa.

Lidar com este tipo de equipas é desafiante. Este tipo de situações exigem um tratamento direto e aqui temos algumas ações a tomar.

  1. Olhem-se no espelho

Deem um passo atrás para compreender e analisem o vosso comportamento, como gestores. Comecem com um momento de introspeção. Analisem como podem ter contribuído para o comportamento negativo da vossa equipa.

  1. Criem um ambiente seguro

Quando as pessoas sentem que não podem expressar os seus sentimentos e pensamentos, tendem a conter emoções – impactando as suas ações ou inações. Garantam um ambiente de trabalho seguro, em que os vossos colaboradores se sintam confortáveis.

  1. Ouçam os vossos colaboradores

A passivo-agressividade pode nascer em colaboradores que não sejam consultados. Comunicação direta com a vossa equipa deve dar-vos uma noção clara daquilo que contribuiu para a vossa situação. Não devemos esquecer que sentir que a sua própria voz é ouvida contribui para um compromisso maior.

  1. Comuniquem o porquê, além do quê

Normalmente, a comunicação de objetivos nunca falha. No entanto, nem todos os gestores comunicam bem as razões por detrás de projetos. A realidade é que, quando os colaboradores reconhecem as razões por que um plano é importante, conseguem investir-se de corpo e alma.

  1. Giram expetativas

Disparidade de expetativas pode também ser causa de passivo-agressividade. Quando a informação não flui corretamente e as expetativas não são bem delineadas para cada colaborador, torna-se difícil de atingir um objetivo desfocado. Criem um ambiente em que se possa sempre clarificar e negociar expetativas de trabalho.

  1. Giram comportamento negativo

Comportamento passivo-agressivo pode acontecer tanto ao nível de equipa, como individualmente. Este tipo de atitude tem de ser apontada e, os autores, responsabilizados. Os gestores não podem ceder à passividade, pois têm que impor consequências caso as expetativas não sejam cumpridas.

  1. Fomentem a comunicação

A melhor forma de estarem informados sobre problemas e situações relativas à vossa equipa é manter todos os canais de comunicação abertos e manter relações próximas. Acompanhem de perto o trabalho e as relações, para resolverem situações assim que surjam.

  1. Não participem neste tipo de comportamento

Gestores podem espelhar o comportamento das suas próprias equipas, com os mesmos padrões negativos. Mantenham uma atitude aberta e comportamentos construtivos.

Propiciem a produtividade e colaboração das vossas equipas de trabalho, com uma solução Sage Gestão e beneficiem de um desconto de 30% na compra, até 6 de dezembro. Ajudará o serviço ao cliente e permitirá aos vossos colaboradores dar sempre o seu melhor. Ganhem tempo para promover um ambiente de trabalho saudável que alimente a estrutura da vossa equipa!

 

Sage One

O vosso negócio só precisa de amor e de um smartphone

Têm um sonho e uma ideia de negócio que ainda não puseram em ação? Provavelmente, têm na mão a única ferramenta de que precisam. O vosso smartphone! Podem estar convencidos de que precisam de um plano de negócios, investimento e de muito tempo. Mas não se deixem perder com necessidades desatualizadas!

Nas vossas mãos, está o poder de começaram de uma forma simples e de usar a tecnologia a vosso favor. Utilizem o tempo livre que têm atualmente para investir nesta vossa ideia de negócio – assim maximizam o vosso tempo e minimizam o risco.

Estudem aquilo que os consumidores, de facto, querem e testem a procura do vosso produto, o que acabará por vos dar uma carteira de clientes. Adaptem o crescimento do vosso negócio à informação e dados que já recolheram. A vossa empresa pode começar de uma forma modesta e rentável para conseguir crescer.

Já temos aplicações para todas as facetas da nossa vida, encontramos também aplicações para os primeiros quatro passos do lançamento de um negócio!

  1. Definir sucesso

Uma aplicação tão simples como Numbers ou Strides permite-vos estabelecer objetivos e acompanhar o vosso caminho.

  1. Criar um teste de negócio

As aplicações iThoughts pode ajudar-vos a estruturar ideias e necessidades. Para chegarem a um plano de negócios sólido, coloquem as seguintes perguntas:

Quem são os vossos clientes? Que tipo de clientes precisam do vosso produto ou serviço? Como vão encontrá-lo? O que lhes venderão? Que problema é que o vosso produto soluciona? Que lucro conseguirão gerar a partir de cada venda? Como venderão o produto? Como é que os clientes pagarão? Que custos surgirão para o vosso negócio? Que ações não podem falhar? Que associações e recursos são necessários para serem bem-sucedidos?

  1. Testar

Há uma certeza no mundo do empreendedorismo e é que o vosso negócio terá falhas. O ideal é detetá-las o mais depressa possível.

Devem apresentar o vosso negócio ao público e, com as primeiras compras, executarem uma análise de defeitos. Até clientes que quase tenham comprado o vosso produto são minas de informação, neste momento do vosso percurso.

Uma página de negócios no Facebook é um começo simples que vos pode dar um grande retorno em termos de feedback. Podem estabelecer contato com futuros clientes e compreender as suas necessidades.

Sage One é o software de  faturação online, de utilização tão fácil quanto uma aplicação. Agilizem a vossa faturação e adaptem o crescimento do vosso negócio às diferentes soluções de Sage.

  1. Adaptar a escala

Agora, têm o conjunto ideal a propor a um investidor ou a um banco. Têm vendas, uma carteira de clientes e um lucro gerado por vendas.

O poder de concretizarem a vossa ideia de negócio está no vosso bolso. Não precisam de mais nada, além do vosso smartphone e da vossa ideia inovadora!

 

Recursos Humanos

5 dicas para gerir colaboradores com menos stress

Não há dúvida que os vossos colaboradores são o recurso mais valioso mas a gestão de recursos humanos é uma tarefa complexa. Gerir a vossa equipa de forma a criar participação dos colaboradores é importante pois pode ter um impacto direto nos vossos resultados.

 

Um estudo da Deco, publicado em outubro de 2018, demonstra que um em cada três trabalhadores corre o risco de burnout, ou seja, esgotamento. Metade dos inquiridos indicaram falta de apoio por parte dos supervisores em situações de stress e, nestes casos, o risco de burnout sobe para 50%.

 

Gestão de equipas pode ser stressante mas atentar à cultura de trabalho que estão a criar pode trazer melhorias impactantes na vida da vossa equipa. Uma equipa saudável, equilibrada e apoiada trará melhores resultados. Aqui temos algumas dicas em como melhorar esses processos.

 

  1. Escolham o software certo para as vossas necessidades

 

O software deve trabalhar convosco e não contra vós. Processamento de salários, gestão contratural, de independentes e de obrigações legais pode ser algo entregue à automatização de um software de gestão de Recursos Humanos. A mobilidade de um serviço na cloud oferece mobilidade e acessibilidade a partir de qualquer lugar. O tempo poupado na agilização destes processos pode ser investido de novo na gestão de talento e na dimensão humana deste tipo de gestão, potenciando a felicidade e envolvimento dos vossos colaboradores.

 

A escolha correta de Recursos Humanos pode acelerar muitos processos na vossa empresa. Descubram as ofertas de software da Sage Recursos Humanos.

 

  1. Encorajem a vida fora do escritório

 

Pessoas equilibradas são colaboradores mais felizes, que, por sua vez, serão mais produtivos. Incentivem os vossos colaboradores a retribuírem para a sociedade. Como sabemos, as melhores chefias lideram pelo exemplo portanto considerem apresentar oportunidades de voluntariado em que estejam envolvidos e demonstrar como é gratificante envolver-se na vossa comunidade.

 

  1. Sejam o paladino dos vossos colaboradores

 

Objetivos de trabalho são essenciais para estabelecer necessidades e manter motivação e produtividade. Da mesma forma, é interessante que mantenham metas fora do escritório. Encorajamento deste tipo passa por um conhecimento humano dos interesses individuais dos vossos colaboradores. Num passo seguinte, podem ajudar a criar metas concretas que levem os vossos colaboradores um pouco mais perto dos seus objetivos. Se alguém quer participar numa maratona, por que não propor ao escritório inscrever-se em grupo como companhia?

 

  1. Reconheçam que o reconhecimento é uma moeda valiosa

 

Sejam específicos ao apreciarem um trabalho bem feito. Destacar o sucesso de um colaborador deve ser um momento de celebração para o colaborador em questão, além de ser um momento de aprendizagem para outros. Este tipo de avaliações ajudam a criar uma cultura de trabalho saudável. Colaboradores que se sentem valorizados tendem a trabalhar mais afincadamente.

 

  1. Não sejam investigadores

 

Os vossos colaboradores têm uma função a desempenhar e não é uma microgestão que acelerará o seu trabalho. Confiem que os vossos trabalhadores conseguirão atingir os seus objetivos pois demasiado acompanhamento pode dar a sensação de estarem a ser seguidos por um detetive e pode levar a ressentimento.

 

Estabelecer objetivos concretos é ideal para medir produtividade. Dessa forma, elimina-se desentendimentos sobre ideais e métricas para os medir e os próprios colaboradores conseguem monitorizar a sua performance e ajustar-se face a dificuldades que surjam.

 

Empatia é o traço mais importante num líder e que mais vai refletir nas vidas dos trabalhadores que chefie. Um colaborador que se sinta compreendido e valorizado tem uma dedicação redobrada ao trabalho. Com uma mente aberta e empática e estas dicas, podem acabar com o stress da gestão de equipas.

 

Sage Enterprise Management

Como seria uma semana de trabalho de quatro dias

O conceito do dia de trabalho está na boca do mundo. Este debate assenta na ideia inovadora que uma semana laboral menor poderá trazer melhorias de qualidade de vida, no clima de trabalho e ainda potenciar a produtividade. No entanto, quatro dias de trabalho semanais seriam um grande desafio, tanto de organização empresarial como a nível de investimento.

Os benefícios duma semana de trabalho de quatro dias

Um dos grandes objetivos deste empreendimento seria oferecer mais qualidade de vida. Com mais tempo livre, o colaborador poderia responder às necessidades da sua família ou comunidade, o que, por sua vez, traria um equilíbrio emocional maior. Prevê-se que os colaboradores apresentariam uma maior motivação no seu trabalho, com a consciência das responsabilidades concentrada em menos dias de trabalho.

Existem desvantagens neste modelo laboral que podem ser amenizadas com boas práticas. O tempo livre deveria ser atribuído de forma adequada às necessidades específicas de cada trabalhador.

As chefias também trabalhariam quatro dias por semana?

Uma empresa que permitisse uma semana de quatro dias aos seus gestores revelaria uma estrutura sólida, com facilidade em delegar trabalho decisivo. No entanto, muitas empresas dependem de uma ou algumas pessoas chave, cuja a ausência constitui um transtorno.

Muitos gestores vivem num estado de ligação constante ao trabalho, mas uma semana laboral menor poderia aumentar a sua criatividade, através de outros contactos e experiências. Algumas empresas temem que mais tempo livre aumente redes de contacto e potencie a fuga de talento nos cargos de chefia, através de novas ofertas de emprego. Como precaução, decidiram implementar semanas laborais menores para todos, à exceção dos cargos superiores.

 Os efeitos na produtividade laboral

Um empreendimento desta dimensão traria muitas alterações organizacionais. Um dia adicional de descanso poderia abrir portas a novos horários laborais e até a novos turnos. Por outro lado, essas alterações acarretariam custos. Existem outras situações em que se poderia ganhar vantagens como, por exemplo, com a retribuição mais eficiente de equipamentos especializados de uso comum.

Outra medida que facilitará um melhor aproveitamento de recursos passa pela adoção de um software de ERP. A Sage tem softwares de ERP que permitem uma melhor gestão, que necessitam de uma maior automatização de processos de negócios nas várias áreas e que permitem ter uma visão transversal de toda a empresa.

Os efeitos sobre os custos salariais

Confiando que os benefícios de uma semana laboral mais curta se concretizariam e não existiria impactos negativos na produtividade, manter os salários anteriores não teria desvantagem, pois a diferença seria compensada com lucros.

Em resumo

Existem muitos benefícios estudados sobre a adoção de uma semana laboral mais curta que nos demonstram que, para além de vantagens sociais e humanas, apresenta pontos atrativos para os empregadores. Uma mudança social tão drástica precisará de medidas de apoio para que possa ser implementada de forma justa para todos os trabalhadores.

 

Sage Faturação

Reduzir o tempo gasto em processos administrativos e fazer crescer o negócio

Um empreendedor inicia o seu projeto inspirado por uma grande paixão, mas pode ter que a relegar para segundo plano, quando começar a gerir o seu negócio. O trabalho administrativo é um dos grandes desafios na área empresarial, sendo cansativo e por vezes pouco motivador.

Burocracias que pesam sobre as pequenas empresas

Um estudo feito, no Reino Unido, aponta que pequenas empresas gastem 71 dias por ano em trabalho administrativo. Estima-se que o custo ronde as £ 35 600 (aproximadamente €40 000), incluindo neste valor a despesa com o processamento de salários.

As pequenas e médias empresas sentem uma pressão ainda maior em resultado das dificuldades operacionais. Estima-se que consumam cerca de 120 dias por ano em trabalho administrativo, contabilístico e em tarefas de recrutamento.

Formas de diminuir o consumo de tempo em tarefas administrativas

As PME podem cortar custos e superar dificuldades, adotando várias estratégias com o objetivo de libertar tempo para uma maior dedicação ao crescimento do negócio.

A informatização de procedimentos evita erros humanos e liberta os colaboradores para outras tarefas. É extremamente recomendável que as empresas diminuam ao máximo o uso de documentação em papel.

Um software de faturação permite uma automatização de tarefas, com um aumento da eficácia. A Sage tem várias soluções de faturação para uma automatização de processos, de acordo com as necessidades de cada empresa.

Outra forma de economizar tempo, passa pelo outsourcing, ou seja a identificação de quais as tarefas a entregar a colaboradores externos. Para que este processo seja bem-sucedido, a informação a ser trabalhada deve ser alvo de uma preparação prévia.

A Cloud trouxe uma enorme revolução tecnológica, facilitando a partilha de documentação com toda a segurança. Encurta distâncias e facilita a mobilidade no trabalho, permitindo o acesso a vários utilizadores em simultâneo.

Na origem de todas as pequenas empresas, está o desejo de inovar, mesmo correndo riscos. As novas tecnologias estão ao lado dos empreendedores, facilitando a gestão de tempo e a poupança de recursos financeiros, para que atinjam melhores resultados, e consigam vingar num mercado competitivo.