Browsing Tag

Empresas

Sage Sessions

O traço que eleva bons empreendedores e empregadores: a empatia

“Quero ser um grande ser humano, quero mesmo ajudar pessoas, tenho essa vontade na vida.” As palavras são de Ljubomir Stanisic, o chef jugoslavo que vive há mais de 20 anos em Portugal, em entrevista à NIT.

Aquilo que dá significado às nossas vidas é empatia para com os outros. Abrir as nossas mentes a outros pontos de vista e experiências transforma-nos em melhores pessoas, que comunicam melhor e estabelecem ligações e laços mais fortes.

Ou seja, sucesso pessoal não difere assim tanto de sucesso profissional. Ambos se baseiam em relações duradouras, dinâmicas e de confiança. Estes são alguns dos traços de empregadores que são apreciados por quem com eles trabalha:

  1. Reconhecem sentimentos próprios e alheios

Pessoas empáticas reconhecem as emoções dos outros e as suas próprias. Ao ouvirmos os nossos próprios sentimentos com respeito, podemos fazê-lo mais facilmente com as pessoas à nossa volta. No trabalho, é indispensável que demonstremos empatia para com as pessoas com quem trabalhamos diariamente.

Ljubomir reconhece esta realidade, explicando numa entrevista à TimeOut: “Tens de conhecer as pessoas, quando é que têm dor de cabeça, quando têm a menstruação, quando é que estão em baixo. Tens de apoiá-las. (…) Estar com eles é fundamental. Se não, não tens equipa. (…) Sem esta equipa, não consigo fazer nada.”

  1. Consideram as necessidades do outro

Relações de trabalho dinâmicas funcionam quando existem um reconhecimento das necessidades de cada um. Uma atitude de intolerância vai impedir a aprendizagem, a criatividade e as ligações fortes.

Mais uma vez, Ljubomir dá-nos um exemplo, em entrevista a’O Homem que Comia Tudo: “(…) [E]nterrei os familiares dos meus empregados. Ajudei-os a resolver os problemas com as funerárias, (…) tentei acompanhar sempre todos. E levo os meus empregados sempre comigo. (…) Mal consigo juntar algum dinheiro na empresa, 20% é investido nos empregados, [em formação].”

  1. Pensam sempre como “nós”

Empreendedores com empatia compreendem a força de uma equipa bem estruturada e apoiada. O sucesso não se faz sozinho e exige investimento nas pessoas que o cria. Na mesma entrevista, Ljubomir relembra a sua experiência, na área da restauração: “O mais importante (…) é tu gerires e escolheres as pessoas em quem confias e que, num primeiro momento, deves formar para terem um palato que se identifique com o teu negócio.”

  1. Procuram fazer a diferença

Uma vida consciente de quem nos rodeia é uma vida rica. A compreensão de que o sucesso e o egoísmo não são compatíveis leva muitos empreendedores a investir em ideias simples e honestas com excelente impacto na sociedade. Na mesma entrevista à NIT, Ljubomir explica, “(…)[J]á conquistei aquilo que queria conquistar e (…) acho que queria dar às pessoas a mais-valia que é a experiência que tenho, porque (…) pode ajudar pessoas.”

 

Sage Sessions

O poder das Sage Sessions

A segunda edição das Sage Sessions acontecerá já na quinta-feira, dia 29 de novembro, no Centro de Congressos de Lisboa, e debruçar-se-á sobre tecnologia, transformação digital, internacionalização e inteligência artificial. Vamos relembrar a edição anterior.

A primeira edição ocorreu no dia 23 de novembro do ano passado, abordando o tema “O Futuro Agora, em Lisboa”. Além de se ter criado um espaço para networking entre empresas de todas as dimensões, foi também apresentado conteúdo relevante para várias áreas de negócio, com particular incidência sobre a transformação digital.

Contou com a presença de 400 parceiros e 300 empresas (clientes e não clientes), além de ter arrecadado 50 000 live views e conquistado lugar no top trending no Twitter.

As boas vindas foram dadas por Josep Maria Raventos – Country Manager da Sage Portugal. De seguida, Cristina Ferreira lançou o mote “À boleia do digital: da televisão para o mundo do empreendedorismo” e falou da sua veia de empreendedora, daquilo que a levou a explorar outros media além da televisão e daquilo que a motiva a lançar novos negócios.

O sócio partner da PLMJ, Daniel Reis, fez uma intervenção dedicada ao “Impacto do Regime Geral de Proteção de Dados”, que foi seguida de uma apresentação sobre “O que o Office 365 pode fazer pelo seu negócio”, explorando como a sua integração com o software Sage 50c permite maior conetividade no seu negócio.

Por fim, João Vasconcelos, Senior Advisor da Clearwater International e ex-secretário de Estado da Indústria, abordou a questão da “Quarta Revolução Industrial”.

Este ano, mantemos o mesmo objetivo: fazer crescer os negócios e partilhar ideias e experiências. Reservámos a manhã para Parceiros, para apresentar a Visão, Estratégia e Objetivos da Sage para o novo ano fiscal.

Durante a tarde, o chef Ljubomir Stanisic falará sobre gestão dos seus restaurantes e do seu grupo 100 Maneiras. Debater-se-á ainda “Internacionalização e a Transformação Digital”, numa mesa redonda com várias presenças, além de representantes da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP) e a Associação de Economia Digital (ACEPI).

Poderão ainda conhecer algumas das nossas parcerias e novas soluções Sage. Inscrevam-se já na edição das Sage Sessions deste ano, aqui.

 

Gestão de Empresas

Impacto das propostas do Orçamento do Estado nos colaboradores

No artigo de ontem, discutimos as propostas do Orçamento do Estado e possíveis efeitos na vossa empresa. Também existem alterações e benefícios a serem discutidas atualmente para os colaboradores da vossa empresa.

Incentivos à migração para interior

No nosso artigo de ontem, apontámos os benefícios para as empresas que queiram estabelecer-se no interior do país, com as propostas deste Orçamento do Estado. No entanto, as vantagens não favorecem apenas os empregadores. As famílias que se mudem para o interior, durante os primeiros três anos, beneficiarão de uma dedução à coleta de IRS fortalecida, podendo deduzir até 1000€ nas rendas. Os estudantes poderão também deduzir 40% das despesas de educação até um limite de 1000€, solidificando as vantagens de uma mudança para o interior de Portugal.

Horas extra com taxa de retenção autónoma

As horas extra serão “objeto de retenção autónoma”, aplicando-se a mesma taxa utilizada com rendimentos de trabalho. Assim, as horas de trabalho extra deixam de fazer subir a carga fiscal de um colaborador, passando a ser taxadas de forma não cumulativa. O trabalhador levará mais dinheiro para casa mensalmente, apesar de o IRS a pagar se manter e ser acertado na liquidação.

Passe social único para famílias

Já a partir de janeiro do próximo ano, a conta dos transportes das famílias, das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, terá um novo teto. Cada família deve pagar, no máximo, o valor de dois passes (entre 60 e 80 euros totais), para incentivar a utilização dos transportes públicos.

Alterações no IRS

O IRS deve voltar a descer, uma diminuição ainda resultante da diferença entre as mudanças nos escalões em 2018 e as tabelas de retenção na fonte.

Alongamento do prazo de entrega do IRS online

O prazo de entrega da declaração de IRS por via eletrónica será alongado até ao fim do mês de junho, avançando mais 30 dias sobre o prazo máximo atual, 31 de maio.

 

Gestão de Empresas Gestão de Pessoas

Impacto das propostas do Orçamento do Estado nas empresas

O Orçamento do Estado para o ano de 2019 está a ser discutido e é já no dia 29 de novembro que acontecerá a votação final. Para empresários e empreendedores, as alterações mais interessantes passam pelos incentivos propostos ao investimento no interior do país, além do fim da entrega não opcional do PEC e alterações nos escalões de derrama estatual.

Abandono da obrigatoriedade de entrega do Pagamento Especial por Conta

O novo orçamento prevê a substituição da entrega do Pagamento Especial por Conta (PEC) por um conjunto de outros instrumentos, de forma a manter o cumprimento de obrigações fiscais. A dispensa deste pagamento antecipado exige um pedido à Autoridade Tributária e Aduaneira, até ao final do terceiro mês do respetivo período de tributação. Assim, pode assegurar a sua dispensa de entrega deste documento durante três anos de tributação.

Fim das isenções para energias renováveis pode estar a chegar

A discussão sobre a extensão da Contribuição Extraordinária sobre o Setor Energético (CESE) assenta na proposta do fim da isenção deste imposto. Está ainda a ser debatido a redução do IVA para a potência contratada e o abatimento no défice tarifário, “através das contribuições das empresas para o fundo da sustentabilidade do sistema energético”.

Incentivos ao investimento no interior

Após a comunicação, neste verão, da criação de um fundo de apoio ao investimento no interior, no âmbito do Portugal 2020, o Governo pretende potenciar os benefícios fiscais para os investimentos nesta área do país. Portanto, somando aos 1 700 milhões de euros em incentivos do Portugal 2020, junta-se uma majoração de 20% à dedução máxima de impostos. Foi ainda aprovado o Programa de Valorização do Interior, que trará medidas como um abatimento do IRS em função dos empregos estabelecidos com conexão e territórios do interior.

Alterações nos escalões da derrama estadual

Uma das propostas do Orçamento do Estado implica uma estratificação do escalão intermédio para a derrama estadual. Além de alterações na abrangência entre o primeiro e o segundo escalões, é introduzido mais um escalão, cuja taxa de 7% passará a ser cobrada a lucros tributáveis entre 20 e 35 milhões de euros.

Aumento de impostos sobre carros das empresas

As viaturas de custo inferior a 25 mil euros, as mais populares juntos das pequenas e médias empresas, ganham uma taxa de tributação autónoma de 15%, uma subida de 5%, face ao ano anterior.