Browsing Tag

Empresas

Sage Enterprise Management

Em que direção corre o caminho da vossa empresa?

Antes de desenharem o vosso mapa estratégico, devem decidir em direção vão levar o vosso negócio. O vosso negócio está em expansão e devem agora decidir para onde dirigir esse crescimento. Têm a opção de partir para uma integração vertical ou horizontal, dependendo dos vossos intuitos e necessidades.

Integrações horizontais

Uma integração horizontal passa por adquirir ou fundir-se com uma empresa similar, na mesma indústria. Desta forma, diminui-se a concorrência e aumenta-se a carteira de clientes. Garante-se também o objetivo de fazer crescer lucros com maiores economias de escala e possibilita-se uma diversificação dos serviços e produtos.

Compreende-se, então, que esta estratégia beneficia empresas com modelos de negócio bem-sucedidos. No entanto, este tipo de integração não tem sucesso garantido. Produtos demasiado similares, culturas de trabalho diferentes ou até conjuntos de clientes contrariantes podem gerar problemas e devem ser analisados.

Os casos de sucesso surgem em mercados em expansão, quando os concorrentes apresentam recursos financeiros menores ou menos capacidades, por exemplo.

Integrações verticais

Uma integração vertical acontece com a expansão de um negócio através da compra de uma outra empresa que opere anteriormente ou posteriormente na cadeia de fornecimento. O posicionamento da segunda empresa deve ser crítico para assegurar abastecimento ou pontos de distribuição, por exemplo. Assim, o negócio principal pode oferecer preços mais baixos ou estáveis e dominar maior parte da cadeia do produto.

Portanto, uma integração vertical pode aumentar os lucros de um negócio com melhor controlo de operações. Contudo, nem todas as empresas são iguais e as necessidades de produção podem ser diferentes para cada uma. Mais uma vez, o compromisso tem que se estudado.

Este tipo de integrações tendem a ser bem-sucedidas quando reduzem custos ao longo do ciclo de produção e uniformizam o controlo de qualidade.

Com um ERP da Sage, ganham a visão completa para poderem tomar todas as decisões estratégicas da forma mais informada e atualizada. As soluções de ERP Sage irão sempre acompanhar o crescimento e expansão do seu negócio, independente da rota que tomar!

 

Sage One

Unicórnios: o único mito que todas as startups querem ser

Em outubro de 2018, a Talkdesk juntou-se à Farfetch e à OutSystems como o terceiro unicórnio, no mercado privado, com origens portuguesas. Qual é a definição de um unicórnio? Como é que estas startups portuguesas atingiram esse patamar? Vamos descobrir no artigo de hoje.

Um unicórnio é uma startup que tenha obtido uma avaliação dos seus investidores de pelo menos mil milhões de dólares. Em Portugal, as três empresas que ganharam este nome são empresas tecnológicas – caso que, de resto, se repete mundialmente, como por exemplo com a Uber ou com a Airbnb.

O nome unicórnio foi uma ideia original de Ailee Lee, uma investidora de risco. Em 2013, fez uma pequena pesquisa para ajudar numa decisão de investimento. Descobriu que apenas 0.07% de empresas financiadas por capital de riscos atingiam avaliações superiores a mil milhões de dólares. Como são raridades no mundo do investimento na tecnologia, Lee nomeou-as de unicórnios. Admite que o seu lado divertido e mítico ajudou na decisão, uma vez que captura também assim a essência destes negócios.

O unicórnio português mais novo

A Talkdesk surgiu em 2011, quando dois estudantes de engenharia de telecomunicações e informática, Cristina Fonseca e Tiago Paiva, conceberam a criação de callcenters digitais, passíveis de serem criados em apenas cinco minutos. A ideia valeu-lhes uma apresentação em São Francisco e um convite para ficarem na incubadora 500 Startups. Além de um bónus de 50 mil dólares. Em 2017, os fundadores foram considerados pela Forbes como “30 dos melhores empreendedores do mundo com menos de 30 anos”.

Empresas digitais

A Farfetch lançou uma plataforma online que trouxe a moda de luxo para o mundo digital. A OutSystems dedica-se ao desenvolvimento de plataformas low-code e vende aplicações com o mínimo de código possível. A primeira sagrou-se unicórnio em 2015 e a segunda, em julho de 2018. Reconhecem o fio condutor entre estas empresas?

Os negócios tecnológicos são os mais facilmente recebem investimento internacional. A acessibilidade e facilidade de adaptação do negócio ao mercado estrangeiro são grandes vantagens. A rapidez de formação e desenvolvimento também os torna mais atrativos.

O futuro do vosso negócio também está online! Lancem a vossa primeira fatura, de uma forma simples, rápida e fácil com Sage One. Acessível a partir de qualquer lugar, o vosso negócio estará sempre bem acompanhado!

 

Sage Faturação

Os passos seguintes para fazer crescer o vosso negócio

O vosso negócio vai de vento em popa! Como aproveitar o desenvolvimento dinâmico da vossa empresa para investir e redobrar o crescimento? Vamos analisar alguns conselhos para fazer crescer o vosso negócio!

Aumentem a vossa base de clientes

Construir uma base de clientes é um processo demorado. Devem dedicar tempo a apelar às necessidades dos vossos novos clientes mas devem procurar ainda mais para completar a vossa carteira. O segredo está em manter comunicação constante com os vossos clientes. O ideal é manter o vínculo comercial com o cliente. Por exemplo, com ofertas especiais, valor adicionado e informação certa no momento certo. Além disso, instaurem uma forma de receber feedback para que possam capitalizar e melhorar o vosso serviço, com base na opinião dos vossos clientes.

Considerem exportar

Avançar para um mercado global abre os vossos horizontes a novos clientes. Exportar exige uma estrutura de produção, por exemplo, que consiga responder às necessidades de vários mercados, para lá das adaptações às características dos mesmos. No entanto, os benefícios podem não acabar em aumento de lucro. A experiência de potenciar a exportação do vosso produto ou serviço trazer-vos-á novas relações e possibilidades, além de inovar vários processos de trabalho.

Abram mais lojas

Repliquem o vosso modelo de negócio para além da vossa primeira loja. Apesar de cada loja ser uma loja, têm em mãos muita informação valiosa para a criação de uma nova loja – no local certo, de acordo com o cliente que procuram, no momento certo. Assim, aumentam as vossas chances de sucesso!

Optem por soluções de faturação Sage

As tarefas administrativas mantêm o vosso negócio em funcionamento mas não precisam de o restringir. Escolham uma solução de Faturação Sage para gerir stock, fornecedores e armazéns, de forma a ganhar oportunidade para desdobrarem o sucesso da vossa empresa.

Desenhem uma estratégia de crescimento

Decidam o caminho que o vosso negócio vai tomar. Por exemplo, vão continuar dentro da mesma linha e oferecer o mesmo produto ou quando vão investir em inovação de produção. Estudem associações com outros serviços ou a entrada em novos mercados satélite, onde o investimento de lançamento seja minimal e o retorno possivelmente muito grande.

 

Recursos Humanos

Como conduzir entrevistas de emprego

Identificaram uma necessidade na vossa equipa de trabalho, desenharam um anúncio de emprego com base nos requisitos para a função e, agora, têm em mãos várias candidaturas. O passo seguinte: a entrevista. Um processo delicado que vos trará muita informação decisiva para terminarem o vosso recrutamento!

Uma entrevista pode assumir várias formas, desde conversas de um para um, a discussões em conjunto. O ponto em comum é a preparação. Saber com quem se vão encontrar é o primeiro passo para estabelecerem uma ligação e compreenderem se o candidato se adaptará à vossa equipa.

Mantenham a vossa gestão de Recursos Humanos organizada com a solução Sage adequada à dimensão da vossa empresa. Além de simplificarem todos os processos de pagamento de salários, podem gerir formações e trabalhadores independentes, assim como uma gestão interna dos colaboradores.

Decidir onde

Comecem por decidir o local da entrevista. Dependendo da cultura do vosso negócio, pode acontecer no vosso escritório, num café ou até num bar! Independentemente, ideal é sempre que seja um local que se preste às necessidades da entrevista e que deixe todos os participantes confortáveis.

Decidir como

Listem as perguntas a colocar aos candidatos. Optem por perguntas diretas, simples e francas, que deixarão os candidatos mais à vontade. Questões práticas são também a melhor forma de tomar o pulso às suas intenções e preparação. Assim, também podem compreender como se adaptariam à função.

Decidir as perguntas

Primeiramente, testem o conhecimento do candidato sobre a vossa empresa e descubram o que a torna desejável. Atentem às respostas e aos comentários sobre equipas de trabalho, que podem dar a entender a relação do candidato com quem o rodeia no dia-a-dia. Interroguem-no sobre os sucessos, para perceber o que é que o move. Escutem o entusiasmo pelo trabalho, pelos desafios, e questionem o seguimento do feito – quem mais foi envolvido, como asseguraram bons resultados.

Perguntas discriminatórias

A lei portuguesa dá o direito à igualdade de oportunidades e acesso ao trabalho. Por isso, nunca apresentem questões discriminatórias ou que indiciem possibilidade de discriminação. Não coloquem questões que fujam a temáticas profissionais ou que não se destinem a determinar a aptidão do candidato para desempenhar a função em questão.

Resumidamente, equacionem questões que vos tragam perceções honestas e verdadeiras. Esclarecer as competências chave que precisam para a função e certificarem-se que os objetivos do candidato se alinham com os vossos é a melhor forma de escolher um candidato. Possivelmente, precisarão de referências no final da entrevista, para compararem desempenhos dos entrevistados, por isso, é ideal tomarem apontamentos, também. Por fim, ofereçam feedback honesto ao candidato, mesmo que não planeiem empregá-lo; uma entrevista de emprego é uma oportunidade de melhoria para todos nós.

Quando encontrarem o candidato ideal para o vosso negócio, é o momento de lançarem uma oferta de trabalho. Idealmente, devem ser fazê-lo por escrito, através de um e-mail, por exemplo – discriminando as condições da função, salário e termos contratuais.

 

Sage Faturação

Tracem o percurso de compra do vosso cliente para chegarem à meta de vendas

O que é planeamento de percurso do cliente? É o desenho do caminho e fases que uma persona pode percorrer. Deve ser fundamento com informação clara e conhecimento das práticas dos vossos clientes, para gerar uma compreensão completa das necessidades dos mesmos. Vamos explorar quais os benefícios que este planeamento pode trazer.

Uma análise do percurso do cliente no vosso negócio oferece muitas visões. Vão saber quais são os problemas do cliente durante o processo de compra, quais os pontos de contato que tendem a enfraquecer a operação e quais são as informações indispensáveis para o cliente, por exemplo. Assim, podem criar um percurso ideal, que almeje chegar ao cliente certo, à hora certa, através do canal certo, com o produto certo ou com o conteúdo certo.

Comecem por estabelecer a persona – uma representação de vários tipos de clientes, através da análise de dados reais, com o objetivo de compreender padrões de compra. De seguida, examinem os seguintes fatores:

  • Considerem o tipo de fases que essa persona atravessa durante a interação com o vosso negócio.
  • Estudem os seus raciocínios, expetativas e ações, com quem canais interagem e onde se mantém ativos.
  • Procurem contribuições de todas as equipas que interajam com clientes, para além de atendimento e incluindo especialistas de produto, por exemplo.
  • Considerem todos os canais de venda ou atendimento pelos quais o cliente pode passar. Infelizmente, o processo de compra pode fragilizar-se quando o cliente transita entre canais. Esforcem-se para que a experiência de compra seja una, fácil e sem percalços.

Sage Faturação é o próximo passo para apoiar e potenciar o crescimento do vosso negócio. Tracem o plano de ataque para o futuro, com acesso a gestão de inventário, de vendas e de fornecedores, para fortalecer o percurso ideal do vosso cliente comum.