Browsing Tag

Faturação

Sage Faturação

A melhor forma de comunicar com os seus clientes é online

Construir uma comunidade em redor de uma marca sempre foi importante mas, hoje em dia, é essencial. As marcas foram humanizadas e até há quem diga que hoje em dia são co-construídas com os clientes. A criação de uma comunidade trará ligações humanas, que são essenciais para um negócio de sucesso.

Comecem com a história da vossa marca

Quer seja uma empresa familiar ou uma marca multinacional, com um ano ou 100 anos, o vosso negócio tem um aniversário. Principalmente, tem uma história de marca! Devem estruturá-la pois é a melhor forma de se identificarem e de se apresentarem a novos clientes. Por outro lado, solidifiquem a vossa marca internamente, com formação necessária para os vossos colaboradores, e instituam os melhores sistemas para que possam sempre oferecer o melhor aos clientes.

Apresentem-se nas redes sociais

Adotem uma presença de valor nas redes sociais, ao partilhar conteúdo que melhore a vida dos vossos clientes e que gere reações na vossa comunidade. Criem conteúdo pedagógico, através de um blog ou de uma newsletter.

Mantenham os canais abertos

Privilegiem interações autênticas que estabeleçam ligações sólidas com os vossos clientes. Além disso, aceitem que a construção de uma comunidade pode demorar algum tempo.

Alimentem a vossa comunidade

Criem sempre uma noção de exclusividade, oferecendo promoções e regalias para que os clientes se sintam especiais. Com Sage 50cloud Loja, têm acesso à App Qero, um sistema que permite captar e fidelizar clientes, através de comunicação personalizada. Ganhem uma ligação direta aos vossos clientes! Podem fortalecer relações com mensagens de aniversário e solidificar a perceção da vossa marca, com a comunicação de campanhas.

 

Sage Faturação

Os passos seguintes para fazer crescer o vosso negócio

O vosso negócio vai de vento em popa! Como aproveitar o desenvolvimento dinâmico da vossa empresa para investir e redobrar o crescimento? Vamos analisar alguns conselhos para fazer crescer o vosso negócio!

Aumentem a vossa base de clientes

Construir uma base de clientes é um processo demorado. Devem dedicar tempo a apelar às necessidades dos vossos novos clientes mas devem procurar ainda mais para completar a vossa carteira. O segredo está em manter comunicação constante com os vossos clientes. O ideal é manter o vínculo comercial com o cliente. Por exemplo, com ofertas especiais, valor adicionado e informação certa no momento certo. Além disso, instaurem uma forma de receber feedback para que possam capitalizar e melhorar o vosso serviço, com base na opinião dos vossos clientes.

Considerem exportar

Avançar para um mercado global abre os vossos horizontes a novos clientes. Exportar exige uma estrutura de produção, por exemplo, que consiga responder às necessidades de vários mercados, para lá das adaptações às características dos mesmos. No entanto, os benefícios podem não acabar em aumento de lucro. A experiência de potenciar a exportação do vosso produto ou serviço trazer-vos-á novas relações e possibilidades, além de inovar vários processos de trabalho.

Abram mais lojas

Repliquem o vosso modelo de negócio para além da vossa primeira loja. Apesar de cada loja ser uma loja, têm em mãos muita informação valiosa para a criação de uma nova loja – no local certo, de acordo com o cliente que procuram, no momento certo. Assim, aumentam as vossas chances de sucesso!

Optem por soluções de faturação Sage

As tarefas administrativas mantêm o vosso negócio em funcionamento mas não precisam de o restringir. Escolham uma solução de Faturação Sage para gerir stock, fornecedores e armazéns, de forma a ganhar oportunidade para desdobrarem o sucesso da vossa empresa.

Desenhem uma estratégia de crescimento

Decidam o caminho que o vosso negócio vai tomar. Por exemplo, vão continuar dentro da mesma linha e oferecer o mesmo produto ou quando vão investir em inovação de produção. Estudem associações com outros serviços ou a entrada em novos mercados satélite, onde o investimento de lançamento seja minimal e o retorno possivelmente muito grande.

 

Sage Faturação

Tracem o percurso de compra do vosso cliente para chegarem à meta de vendas

O que é planeamento de percurso do cliente? É o desenho do caminho e fases que uma persona pode percorrer. Deve ser fundamento com informação clara e conhecimento das práticas dos vossos clientes, para gerar uma compreensão completa das necessidades dos mesmos. Vamos explorar quais os benefícios que este planeamento pode trazer.

Uma análise do percurso do cliente no vosso negócio oferece muitas visões. Vão saber quais são os problemas do cliente durante o processo de compra, quais os pontos de contato que tendem a enfraquecer a operação e quais são as informações indispensáveis para o cliente, por exemplo. Assim, podem criar um percurso ideal, que almeje chegar ao cliente certo, à hora certa, através do canal certo, com o produto certo ou com o conteúdo certo.

Comecem por estabelecer a persona – uma representação de vários tipos de clientes, através da análise de dados reais, com o objetivo de compreender padrões de compra. De seguida, examinem os seguintes fatores:

  • Considerem o tipo de fases que essa persona atravessa durante a interação com o vosso negócio.
  • Estudem os seus raciocínios, expetativas e ações, com quem canais interagem e onde se mantém ativos.
  • Procurem contribuições de todas as equipas que interajam com clientes, para além de atendimento e incluindo especialistas de produto, por exemplo.
  • Considerem todos os canais de venda ou atendimento pelos quais o cliente pode passar. Infelizmente, o processo de compra pode fragilizar-se quando o cliente transita entre canais. Esforcem-se para que a experiência de compra seja una, fácil e sem percalços.

Sage Faturação é o próximo passo para apoiar e potenciar o crescimento do vosso negócio. Tracem o plano de ataque para o futuro, com acesso a gestão de inventário, de vendas e de fornecedores, para fortalecer o percurso ideal do vosso cliente comum.

 

Sage One

Alterações ao Regime de Trabalhadores Independentes

Foi já no primeiro dia de 2019 que entraram em vigor às mudanças do Regime de Trabalhadores Independentes. Às alterações anunciadas há mais de um ano, juntam-se outras inéditas. Vamos descobrir o que mudou no regime dos “recibos verdes”!

A maior alteração passa pelo ajuste da contribuição para a Segurança Social ao rendimento real mensal. Sem escalões, a contribuição passa a ser 70% (sobre prestação de serviços) ou de 20% (sobre vendas) do rendimento médio do último trimestre. Em alternativa, os trabalhadores podem trimestralmente rever o seu rendimento relevante e corrigi-lo de acordo com valores reais –  em 25%, acima ou abaixo em intervalos de 5%.

Esta declaração trimestral deve ser entregue até ao último dia dos meses de abril, junho, outubro e janeiro, referindo os rendimentos dos três meses anteriores. Em situações em que o prazo termine ao sábado, domingo ou dia feriado, o último dia válido passa para o primeiro dia útil seguinte. O regime trimestral é obrigatório para os trabalhos independentes com contabilidade simplificada, pois quem tenha contabilidade organizada pode manter o enquadramento anterior.

Outra grande alteração surge com a descida da taxa de desconto para a Segurança Social: enquanto antigamente era 29,6%, a taxa de desconto passa, este ano, a ser de 21,4%. Para empresários em nome individual, passa de 34,75% para 25,2%.

No caso de um trabalhador independente sem rendimento, passa a ser obrigatório o pagamento de uma contribuição mínima de 20 euros, nesse período. No entanto, mesmo nesse caso, o trabalhador deve apresentar uma declaração trimestral.

No caso dos trabalhadores que acumulem trabalho por conta de outrem, mantém-se isentos da obrigação contributiva se os rendimentos do trabalho independente não superarem 1 743,04 euros de rendimento relevante.

As entidades contratantes que sejam responsáveis por pelo menos 50% do rendimento de um trabalhador independente passam a ter obrigações contributivas – 7% de 50% a 80% do rendimento; 10% se for superior aos 80%.

Passa a ser garantido também o acesso ao subsídio de cessação de atividade, caso se apresente descontos em 360 dias nos últimos 24 meses e caso uma entidade contratante tenha sido responsável por metade do rendimento.

As dúvidas podem ser resolvidas junto da Segurança Social Direta que disponibiliza uma linha telefónica dedicada a este regime, através do número 300 51 31 31.

Caso estejam a considerar lançar o vosso negócio, optem por Sage One para assegurarem uma faturação certificada desde a primeira fatura. O vosso negócio pode beneficiar de um lançamento simples, rápido e fácil!

 

Inovação e Tecnologia

Farfetch: Como levar o amor pela moda até à Bolsa de Valores de Nova Iorque

“A Farfetch existe graças ao amor pela moda. Acreditamos na promoção da individualidade. A nossa missão é ser a plataforma tecnológica global na moda de luxo, ligando criadores, curadores e consumidores”, lia-se no documento de apresentação ao regulador do mercado norte-americano. A Farfetch estreou-se em bolsa, em setembro de 2018, com ações a quase 50% do preço da oferta pública inicial. Obteve 885 milhões de dólares com a entrada no mercado de capitais norte-americano, escolhida por acolher muitos investidores em empresas tecnológicas. No entanto, a startup, com base em Londres, começou longe de Nova Iorque.

A startup foi fundada pelo português José Neves em 2007 e revelou o seu ponto forte ao aliar moda de luxo e tecnologia. A Farfetch permite, nas suas plataformas digitais, a venda de mais de 700 marcas de topo, como Chanel e Gucci, e assiste uma gestão de backoffice eficiente.

Uma outra característica principal que levou ao seu sucesso foi permitir a boutiques independentes ter uma presença online, preservando as suas lojas físicas. Assim, a Farfetch criou a sua identidade como mercado agregador de lojas únicas e com oportunidades globais, para vendedores e clientes.

Em 2017, a dimensão de vendas privadas deu mais força ao negócio. Em cidades como Los Angeles, Nova Iorque, Hong Kong, Londres, Moscovo e Tóquio, colaboradores dedicam-se apenas a vendas VIP, com personal shoppers ou stylists. No final de 2017, revelaram que a utilização das suas plataformas tinha subido 40% relativamente ao ano anterior, com 935 mil de utilizadores.

Em 2018, a Farfetch continuou a inovar. Compraram, em dezembro, a Stadium Goods, por reconhecerem o valor do setor de streetwear de luxo, que já valia 70 mil milhões de dólares em 2017. José Neves admitiu, em entrevista ao South China Morning Post, que considera que a consolidação do mercado online e offline é o maior ponto de investimento para a empresa, além de outros fatores como sustentabilidade e Inteligência Artificial. Apontando um crescimento previsto de 500% na próxima década para o comércio online, explica que será nesse sentido que a Farfetch continuará a apostar.