Browsing Tag

Finanças

Sage One

Como estabelecer e gerir finanças para trabalhadores independentes

Para se lançarem no mundo do trabalho independente, uma das primeiras tarefas na vossa lista deve ser abrir uma conta bancária de negócio. O vosso negócio beneficiará no futuro ao ter umas finanças organizadas desde o início!

Há muito a considerar para estabelecer a vossa própria contabilidade, incluindo registo de rendimento e despesas.

Escolher uma conta bancária de negócios

Separem as águas das vossas finanças. As vossas despesas pessoais não se devem cruzar com as vossas despesas de negócio. Com contas separadas, ganham a possibilidade de compreender rendimentos de uma forma mais imediata e de compreender que tipos de investimento poderão fazer para enriquecer o vosso negócio. A maior parte dos bancos oferecem contas bancárias para trabalhadores independentes, que devem incluir já online banking e cartões de crédito ou débito.

Como começar o registo de rendimento e despesas

A contabilidade para os trabalhadores independentes pode ser fácil e clara, desde que mantenham registo de rendimento e despesas, regularmente. Documentem pagamentos provenientes de vendas, recibos e receitas de trabalho recorrente.

Da mesma forma, devem deixar documentadas todas as compras feitas para o vosso negócio – equipamento, materiais e despesa de viagem. Considerem que custos operacionais podem ser descontados na vossa situação, como rendas de atelier ou contas de eletricidade e água.

Optem por Sage One

Para uma faturação simplificada e online, escolham Sage One. Não abdiquem de uma organização fácil que vos oferece à primeira vista a situação financeira do vosso negócio, de acordo com os gastos e ganhos.

 

Sage One

Como gerir as finanças do vosso negócio criativo

Atravessamos uma verdadeira revolução artesanal, o que trouxe a muitos a oportunidade de monetizar os seus passatempos. Independentemente da proporção de rendimento que a vossa produção criativa vos traga, devem pensar nas finanças do vosso negócio secundário.

A contabilidade de um pequeno negócio é um desafio que podem encarar com organização. Os vossos objetivos principais devem ser estipular o preço do vosso negócio corretamente, registar despesas e submeter uma declaração fiscal irrepreensível.

Documentem os vossos gastos

Primeiramente, identifiquem todos fatores necessários para que o vosso negócio funcione, ou seja, material, equipamento, embalagens de envio, cartões de negócio, selos ou pagamento de transporte, taxas dos sites de venda ou comissões de feiras de artesanato e formação, entre outros.

Separar as vossas finanças

Não deixem de utilizar uma conta bancária separada da vossa conta pessoal, para conseguirem separar facilmente as vossas despesas e rendimento de trabalho das restantes.

Estabelecer o preço certo para o vosso trabalho

Etiquetar o vosso tempo e trabalho corretamente é o primeiro passo no caminho para conseguirem produzir como idealizam. Assim que comecem a registar as vossas despesas, conseguirão atribuir um valor certo a cada produção, ao qual podem adicionar tempo, embalamento e transporte. Uma vez identificados todos os fatores, podem estipular preços sem medo de o fazer de forma prejudicial.

Mantenham tudo online e optem pela solução de faturação que vem otimizar o vosso negócio. Sage One funciona de forma intuitiva e simples e oferece-vos conhecimento prático sobre as vossas compras e despesas. A faturação profissional para o vosso negócio criativo!

 

Sage Faturação

40 000 dólares de poupança escondidos na salada da American Airlines

Muitas vezes, menos é mais. No caso da American Airlines, uma pequena alteração nas saladas oferecidas em viagem fez uma grande diferença. A poupança multiplicou-se. Foi a azeitona que se fez ouvir pelo mundo todo!

Em 1987, a companhia de aviação American Airlines arrecadou 40 000 dólares em poupanças com uma pequena jogada. Foi algo tão simples quanto retirar uma azeitona à salada oferecida a cada passageiro.

É muito frequente que a gestão de grandes empresas, em épocas positivas, se baseie em investimentos volumosos ou compras massivas. No entanto, nem sempre o caminho para o lucro se faz com gastos adicionais.

Escrutinem os vossos “serviços de bordo”

É essencial que examinem os vossos gastos em épocas de balanço positivo. Os custos exagerados tornam-se flagrantes quando surgem dificuldades de financiamento. Por isso mesmo, a antecipação é ideal. Invistam tempo e recursos, não apenas na angariação de fundos mas também na gestão e contenção de despesas.

Considerem o Princípio Pareto para estudar os vossos gastos

80% dos vossos custos estão a financiar 20% da vossa produção? Optem por revisões periódicas das vossas maiores despesas recorrentes. Poderão detetar formas de melhorar produtividade, com alterações práticas de efeito imediato.

Atualizem valores

Renegoceiem valores para as vossas matérias primas e analisem custos de manutenção de equipamento antigo. Cortes em gastos não vos trarão mais lucros e não são uma estratégia para crescimento. No entanto, podem reorganizar-vos o capital para que apostarem no melhor investimento.

Optem por uma solução de Faturação Sage e ganhem acesso às ferramentas ideais que farão crescer a vossa empresa! Simplifiquem a faturação e vejam facilitada a análise de despesas associadas ao vosso negócio.

 

Tesouraria

As origens do porquinho mealheiro

Muitas crianças aprendem o conceito de poupança com um porquinho mealheiro. Chega o momento de receber a primeira semanada e gera-se uma vontade ou um objetivo, um brinquedo ou, mais recentemente, um telemóvel. Moeda a moeda, o porquinho mealheiro fica mais cheio e as crianças aprendem o valor do dinheiro. Vamos descobrir a origem do animal que nos ajuda a economizar!

Os cacos de um mealheiro partido são tão dispersos como as certezas sobre a origem do porquinho mealheiro. Sempre foram animais fáceis de alimentar, com sobras de comida, e que se reproduzem rapidamente e em grande quantidade. Dessa forma, podemos compreender que, no Oriente, o porco simbolize sorte e abundância e, no Ocidente, fertilidade e frugalidade.

Não existe concordância sobre como terá surgido a ideia para o primeiro mealheiro em forma de porco. As teorias dividem-se entre quem pensa que o mealheiro devia trazer a sorte de multiplicação suína e quem pensa que surgiu como um trocadilho visual, entre o material e o animal ou entre o formato e o animal.

No entanto, nem sempre os mealheiros tiveram formas animais. O mealheiro ocidental mais antigo de que temos conhecimento data do séc. II a.C., de Priene, na Grécia Antiga. Tem o formato de um pequeno templo grego, com uma ranhura no frontão. No Museu Nacional da Indonésia, podemos encontrar um porquinho mealheiro Majapahit, de terracota, reconstituído após ter sido recuperado no século XIV ou XV, da ilha de Java.

Infelizmente, muito poucos mealheiros chegaram até nós conservados ou em função. O único acesso às poupanças exigia que o porquinho mealheiro se partisse, por isso, eram feitos de materiais económicos, como cerâmica.

A gestão de tesouraria do vosso negócio não precisa de estar presa num mealheiro. Ganhem visão transversal de todas as possibilidades e projeções dos vossos recursos financeiros com Sage X5RT Treasury. Optem por uma solução que assegure o tratamento dos vossos dados financeiros e ofereça controlo das operações de financiamento e investimento.

 

Sage One

Alterações ao Regime de Trabalhadores Independentes

Foi já no primeiro dia de 2019 que entraram em vigor às mudanças do Regime de Trabalhadores Independentes. Às alterações anunciadas há mais de um ano, juntam-se outras inéditas. Vamos descobrir o que mudou no regime dos “recibos verdes”!

A maior alteração passa pelo ajuste da contribuição para a Segurança Social ao rendimento real mensal. Sem escalões, a contribuição passa a ser 70% (sobre prestação de serviços) ou de 20% (sobre vendas) do rendimento médio do último trimestre. Em alternativa, os trabalhadores podem trimestralmente rever o seu rendimento relevante e corrigi-lo de acordo com valores reais –  em 25%, acima ou abaixo em intervalos de 5%.

Esta declaração trimestral deve ser entregue até ao último dia dos meses de abril, junho, outubro e janeiro, referindo os rendimentos dos três meses anteriores. Em situações em que o prazo termine ao sábado, domingo ou dia feriado, o último dia válido passa para o primeiro dia útil seguinte. O regime trimestral é obrigatório para os trabalhos independentes com contabilidade simplificada, pois quem tenha contabilidade organizada pode manter o enquadramento anterior.

Outra grande alteração surge com a descida da taxa de desconto para a Segurança Social: enquanto antigamente era 29,6%, a taxa de desconto passa, este ano, a ser de 21,4%. Para empresários em nome individual, passa de 34,75% para 25,2%.

No caso de um trabalhador independente sem rendimento, passa a ser obrigatório o pagamento de uma contribuição mínima de 20 euros, nesse período. No entanto, mesmo nesse caso, o trabalhador deve apresentar uma declaração trimestral.

No caso dos trabalhadores que acumulem trabalho por conta de outrem, mantém-se isentos da obrigação contributiva se os rendimentos do trabalho independente não superarem 1 743,04 euros de rendimento relevante.

As entidades contratantes que sejam responsáveis por pelo menos 50% do rendimento de um trabalhador independente passam a ter obrigações contributivas – 7% de 50% a 80% do rendimento; 10% se for superior aos 80%.

Passa a ser garantido também o acesso ao subsídio de cessação de atividade, caso se apresente descontos em 360 dias nos últimos 24 meses e caso uma entidade contratante tenha sido responsável por metade do rendimento.

As dúvidas podem ser resolvidas junto da Segurança Social Direta que disponibiliza uma linha telefónica dedicada a este regime, através do número 300 51 31 31.

Caso estejam a considerar lançar o vosso negócio, optem por Sage One para assegurarem uma faturação certificada desde a primeira fatura. O vosso negócio pode beneficiar de um lançamento simples, rápido e fácil!