Browsing Tag

Gestão

BMS

Melhorar a capacidade de liderança: equipas mais coesas

Algumas pessoas que nascem com características que as tornam naturalmente lideres, mas todos podemos melhorar as nossas capacidades de liderança se tomarmos atenção a alguns pontos.

Neste artigo vamos dar algumas sugestões sobre como melhorar de forma significativa a capacidade de liderança.

Um exemplo modelo.

Como líder todas as vossas ações serão escrutinadas pelos vossos colaboradores, e como tal devem tentar demonstrar as mesmas atitudes que gostariam de ver na vossa equipa. A importância do exemplo é bastante mais eficaz que qualquer código de conduta.

Manter uma atitude humilde e de constante reconhecimento do valor dos vossos colaboradores, não tenham receio de assumir responsabilidade por aquilo que corre menos bem, e de pedirem desculpa caso seja necessário. É assim que se cria um ambiente colaborativo, admitindo que existem falhas e que todos podemos cometer erros.

Uma boa comunicação.

Mantenham uma atitude de proximidade, de forma a que os funcionários sintam que podem discutir qualquer assunto convosco. Dediquem algum tempo em exclusivo para estas conversas e sejam discretos quanto ao seu teor. A confiança leva tempo a ser estabelecida e qualquer incidente pode destruir o bom entendimento alcançado.

Reconhecer as emoções.

Todos os negócios giram em torno de pessoas e as emoções e diferentes sensibilidades devem ser encaradas como parte essencial. Um bom líder reconhece as diferenças de personalidade e o historial de cada colaborador.

Incentivar a criatividade.

Expressem às vossas equipas que estão abertos a novas ideias, e quando confrontados com elas, ofereçam feedback e conselhos construtivos. Ao sentirem que participam de forma criativa, gera-se um envolvimento emocional e uma sensação de compromisso.

Da mesma forma que criar novos desafios é essencial para manter o trabalho dinâmico. Propor mudanças de funções a nível interno e combater de todas as formas o instalar de rotinas.

Conheçam a vossa equipa.

Saibam os nomes dos vossos colaboradores, mas também quem são as suas famílias ou atividades recreativas a que dedicam tempo. Mostrar interesse e recordar algumas informações chave, são elementos que no decorrer de um dialogo estabelecem uma conexão. É natural que não se recordem de tudo, por isso criar algumas notas com estas informações será muito útil a longo prazo.

Liderar a equipa e gerir de forma eficaz a sua empresa.

Empresas com alguma dimensão necessitam de poder contar com um ERP  que permita uma gestão financeira. Com Sage X3 as empresas passam a contar com uma estrutura de contabilidade financeira flexível e abrangente que inclui, desde gestão de pessoal, contabilidade, custos e orçamento, compromissos e ativos fixos.

O sucesso das empresas e o seu futuro dependem de uma boa liderança, capaz de criar equipas coesas, e de uma boa gestão com um software que permita agilidade e controlo de todos os processos.

 

 

 

 

Gestão de Empresas

Dicas para evitar um crescimento desequilibrado

Algumas empresas tecnológicas inovadoras e apelidadas de geniais, não conseguem ser lucrativas. Apesar terem conseguido captar milhões em investimento e do seu rápido crescimento ao longo dos anos, mantêm uma situação deficitária.

A Snaptchat reconheceu que 2016 tinha perdido meio milhão de dólares, assumindo publicamente que provavelmente nunca chegaria a ser lucrativa, Uber perdeu cerca de 700 milhões, e a situação da empresa Dropbox não é melhor.

Nas empresas de hardware as dificuldades parecem ser ainda maiores, os custos de construir algo são exigentes e o reconhecimento público do papel inovador destas empresas não substitui a necessidade de resultados.

Manter uma visão realista.

Os empreendedores e investidores devem pensar não só nas transformações que querem criar, mas também na importante missão de construir um negócio que se mantenha no ativo. Um crescimento mais lento e sustentado pode parecer algo de aborrecido, mas é a única forma de criar e manter um negócio.

Alguns pontos a ter conta:

  1. Deve existir uma razão para a existência do projeto, uma necessidade a que irão dar resposta.
  2. É importante facilitar a experiência do produto ou serviço, mas não devem temer colocar um preço adequado.
  3. Não descuidar o marketing, fundamental para os primeiros tempos de qualquer pessoa.
  4. Invistam num software necessário ao bom funcionamento da empresa, resistindo à tentação de adquirir o mais caro e atraente. Um software como Sage 100c permite ter uma visão transversal do negócio e optar pela forma de pagamento mais conveniente, entre a opção mensal ou anual, podendo mudar a qualquer momento.
  5.  Pode não parecer relevante, mas ter um espaço de trabalho, mesmo que seja em coworking é importante. Desde o inicio mantenham um equilíbrio saudável entre a vossa vida privada e pessoal. Resistam à tentação de se mudarem para um espaço novo logo que o negócio comece a crescer um pouco.

Clientes e colaboradores destrutivos.

Existem dois elementos internos que podem ser muito destrutivos para uma empresa que começa a dar os primeiros passos. Colaboradores que criam mau ambiente dentro da equipa e clientes com uma atitude negativa. Alguns clientes são abusivos e acabam por prejudicar a performance da empresa junto dos outros clientes.

Tradicionalmente as empresas pensam que não exequível dispensar um cliente, mas existem caso em que é plenamente justificado e estas situações devem ser resolvidas rapidamente.

Crescer devagar com uma base sólida, construindo uma boa equipa e uma carteira de clientes, é essencial para quem deseja construir um negócio sustentável. Pode parecer que o impacto de transformação de um projeto é menor se for construído desta forma, mas ao garantirmos a sustentabilidade futura, estamos a transformar de uma forma duradoura a comunidade em que nos inserimos.

 

 

 

Contabilidade

Normas Internacionais de Contabilidade – NIC`s

As empresas em que a contabilidade se encontra organizada conforme as NIC`s devem ter em atenção os Regulamentos Comunitários publicados a 9 de Novembro de 2017. Estes Regulamentos vieram alterar as seguintes Normas Internacionais de Relato Financeiro:

  1. NIC 4 – Contratos de Seguro;
  2. NIC 7 – Fluxos de Caixa:
  3. NIC 12 – Impostos Diferidos;
  4. NIC 18 – Rédito;
  5. NIC 16 – Locações.

As alterações à NIC 7 – Fluxos de Caixa e à NIC 12 NIC 12 – Impostos Diferidos, entraram em vigor a 1 de Janeiro de 2017. Por este motivo no planeamento dos procedimentos para encerramento do exercício de 2017, devem-se ter em conta as alterações efetuadas.

Os motivos da alteração da NIC 7 deve-se ao facto de a 29 de janeiro de 2016, o International Accounting Standards Board (IASB) ter publicado emendas à norma internacional de contabilidade (IAS) 7 Demonstrações dos Fluxos de Caixa.

As emendas visam clarificar a IAS 7 para melhorar as informações fornecidas aos utilizadores das demonstrações financeiras acerca das atividades de financiamento de uma entidade.

Já quanto às alterações à NIC 12 as razões das mesmas resultam de em 19 de janeiro de 2016, o International Accounting Standards Board (IASB) ter publicado uma versão revista da norma internacional de contabilidade – IAS 12 Impostos sobre o rendimento. As alterações têm por objetivo clarificar a forma como são contabilizados os ativos por impostos diferidos relacionados com instrumentos de dívida mensurados pelo justo valor.

O IASB fixou a data de eficácia das emendas em 1 de janeiro de 2017. As disposições dos Regulamento Comunitários devem aplicar-se, por conseguinte, a partir de 1 de janeiro de 2017. O caráter retroativo é necessário para garantir a segurança jurídica para todos os emitentes em causa, bem como a coerência com outras normas de contabilidade estabelecidas no Regulamento (CE) n.o 1126/2008.

 

Dezembro de 2017

Dr. Bruno Lagos – Licenciado em Organização e Gestão de Empresas; Mestre em Auditoria Contabilística; Nos últimos 25 anos técnico superior na Administração Fiscal Portuguesa.

 

 

BMS Gestão de Empresas

3 Dicas para tornar a sua empresa mais produtiva

A forma como trabalhamos mudou muito nos últimos anos graças à tecnologia, transformando a forma como colaboramos e comunicamos. Se esta mudança permitiu um ganho em eficiência, somos também cada vez mais inundados por pedidos constantes, nem sempre urgentes, que criam interrupções constantes e uma diminuição da produtividade.

Quando 80% do tempo de trabalho é passado em reuniões e em trocas de e-mails, então está na altura de mudar alguma coisa  para conseguir aumentar a eficiência.

Centralizar tarefas.

É fundamental uma maior claridade de objetivos, de planos e de atribuição de responsabilidade. Quando os colaboradores conhecem profundamente o contexto conseguem tomar decisões melhores e criar prioridades, falta de claridade só pode criar desmotivação.

Um plano claro.

Um software de gestão de empresas permite uma melhor planificação do trabalho. O software Sage 100c permite uma automatização de processos de negócios em várias áreas e permite ter uma visão transversal de toda a empresa.

É importante que os colaboradores compreendam quais os passos que devem dar para alcançar os seus objetivos. Deve ser possível manter alguma plasticidade nos planos, permitindo aos colaboradores acrescentar passos na lista, que deve estar disponível a todos os envolvidos no processo.

Atribuição de responsabilidade.

Em projetos de média escala faz sentido ter distinguir claramente quem realiza quais tarefas para que não aconteçam erros, tanto de duplicação, como de falha total.

Em resumo podemos afirmar que toda a equipa deve saber as tarefas que estão sobre a sua responsabilidade, quando a devem realizar e o porquê. O envolvimento dos colaboradores, selecionando tarefas ou acrescentando tarefas que são lógicas no processo, irá aumentar o potencial e a eficiência da equipa.

 

 

 

Faturação

Adiar tarefas: procrastinar pode ser uma vantagem?

Alguém que adia tarefas é em geral considerado de uma forma negativa pelos parceiros de trabalho, mas nem sempre foi assim. Na civilização romana e grega adiar tarefas era considerado um sinal de sabedoria e superioridade.

Não fazer nada até que fosse necessariamente obrigatório, numa atitude de ponderação. Apenas no período moderno chegámos aos valores de ética do trabalho que continuam a prevalecer hoje em dia, em que o tempo deve estar todo ocupado por ações.

Estudos parecem indicar que as pessoas que se atrasam e adiam tarefas, são melhor sucedidas e mais felizes.  Aguardar pelo tempo certo para um projeto, parece ser a forma correta de ver a questão.

A precipitada tomada de decisão a que assistimos hoje em dia, tem consequências negativas. Um empreendedor como Steve Jobs, compreendia a importância de escolher o momento certo para lançar os projetos inovadores, dando tempo a que ideias invulgares chegassem até à mesa de discussão.

A criatividade necessita de tempo.

É importante pensar que a criatividade necessita de tempo para se desenvolver e não pode ser apressada, evitando desta forma os caminhos mais óbvios. Mais tempo para reunir sugestões, para as discutir entre a equipa e finalmente chegar a alternativas mais criativas.

Adiar de forma ativa ou passiva?

Alguns cientistas parecem diferenciar dois tipos de comportamento entre aqueles que adiam tomar decisões. Os que adiam de forma ativa e os que adiam de uma forma passiva, sendo que os ativos escolhem ocupar-se de tarefas a que atribuem mais valor ou satisfação. Os passivos não optam por nada, ocupando um papel puramente receptivo no trabalho, por vezes com uma postura ansiosa, com um trabalho de baixa qualidade e desorganizado.

Porque adiamos tarefas.

O nosso sistema limbíco, centro de prazer, está de certa forma em disputa com o nosso cortex pré-frontal, responsável pelo planeamento. Esta área é um dos elementos que nos distinguem de outros animais, um planeamento que se sobrepõe aos impulsos.

Uma diminuição da concentração, leva a que o sistema limbíco volte a ganhar preponderância, levando-nos a escolher aquilo que nos dá bem estar imediato.

Vantagens de um procrastinador organizado.

Estes trabalhadores podem ser altamente produtivos, ao evitarem uma tarefa são capazes de desenvolver mais trabalho em compensação. A tomada de decisão também podem ser melhoradas por este tempo de espera, reunindo mais informação sobre as questões e ponderando a melhor opção em cada caso.
O truque parece ser aceitar e usar este elemento de forma a tornar-se uma vantagem pessoal ou uma vantagem dentro da organização. Uma das forma é utilizar Apps que auxiliam na organização, e para uma empresa um software de faturação que poupe tempo, permitindo que se dediquem a tarefas que sejam emocionalmente recompensantes.
Um software como Sage 50c consiste numa solução de faturação eficiente e segura, com acesso móvel em qualquer lugar e indicada para pequenas empresas de todos os setores de atividade que não querem só fazer faturas.