Browsing Tag

Inovação

BMS

Corporate Governance: uma realidade incontornável para as empresas de hoje

Em tempos de grandes e rápidas mudanças, as empresas procuram assumir modelos organizacionais que tragam uma maior rentabilidade para os seus acionistas, neste artigo vamos ver o que significa o conceito Corporate Governance e como se tornou incontornável.

Em que consiste o Corporate Governance?

Corporate Governance consiste num sistema em que as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os acionistas e conselho de administração, gestores, e conselho fiscal com a finalidade de aumentar o valor da sociedade, facilitando o acesso a capital.

Consiste na adoção de um conjunto de práticas para a melhoria dos processos na empresa, maior integração entre os ramos hierárquicos, e o aumento da transparência na prestação de contas a acionistas.

Minimizar riscos.

Desta forma contribui-se para minimizar os riscos presentes em qualquer investimento numa organização. Conceito com origem nos Estados Unidos e no Reino Unido, acabou por se tornar global.

Dificilmente as empresas médias e grande escala, serão consideradas um bom investimento, se não integrarem este conceito na sua organização.

Novos tempos paras as empresas.

Corporate Governance é um conceito fundamental para empresas de média e grande escala, da mesma forma que um software de ERP se tornou essencial para o crescimento. Um software de ERP como Sage X3 proporciona uma gestão mais eficaz e flexível a nível financeiro, na gestão de stocks, e na produção.

Conseguir prosperar num momento tão competitivo para empresas, com projetos a nível global, é fundamental considerar a aplicação de conceitos como o Corporate Governance, e aproveitar toda a vantagem tecnológica que os sistemas de gestão integrada permitem.

Há que continuar sempre a acompanhar a inovação, atentos ao desenrolar de melhores práticas de gestão, assim como das novidades que a revolução digital não para de nos revelar.

Gestão de Clientes Inovação e Tecnologia

Um mundo em transformação: como a inteligência artificial vai mudar o trabalho

As transformações nunca foram tão rápidas, com o advir da inteligência artificial, alguns trabalhos tornam-se obsoletos, mas novas profissões emergem ligadas às tecnologias de informação.

Neste artigo vamos analisar o impacto da I.A em profissões como a medicina e a área financeira, tidas como profissões seguras e rentáveis. Embora a educação superior e especializada continue a possibilitar o acesso a uma vida com mais qualidade e com remunerações mais elevadas, algumas profissões surgem de forma inesperada ameaçadas.

Efeitos da robótica.

Os rápidos avanços da robótica, automatização e I.A , as profissionais liberais (chamados colarinho branco) estão também em risco, um estudo realizado pela Universidade de Oxford aponta para uma diminuição de 47 dos trabalhos nos próximos 20 anos. Ou seja, a segurança é uma ilusão perante as rápidas transformações que observamos.

Finanças.

A área financeira, especialmente a relacionada com a bolsa, é conhecida por ser uma das melhores remuneradas, com atribuição de bónus generosos e com fortunas a serem construídas em poucos anos. As profissões ligadas a finanças são das  mais pressionadas. A Bridgewater Associates, que gerem fundos milionários, anunciou que nos próximos anos irá reduzir pessoal em favor da automatização.

Vários programas surgiram utilizando a I.A, Betterment ou Wealhfront são alguns deles. Existem também muitas startups financeiras que trabalham ativamente para conquistarem o seu espaço, fazendo uso da inovação tecnológica adaptada à área financeira.

Para quem tem apetência por números, talvez seja mais sensato optar por uma carreira em data science, onde os salários começam a crescer nesta função e são considerados como verdadeiras estrelas rock da tecnologia.

Medicina.

Algumas áreas da Medicina estão mais vulneráveis à automatização, diminuindo o número de erros. A imagiologia, e os campos da patologia, radiologia, ou a dermatologia. O IBM Watson utiliza I.A e alcança um diagnóstico, enquanto analisa um numero muito elevado de informação.

A telemedicina, e aconselhamento por telemóvel também abrir espaço nos últimos anos, em que muitas pessoas se aconselham primeiramente por este meio e só depois se deslocam em busca de cuidados médicos. A medicina vai ser sempre uma necessidade humana, mas nem todas as áreas vão ser necessárias da mesma forma.

A programação.

Se não podemos vencer as máquinas, podemos sempre encontrar trabalho a melhorá-las e sem dúvida que uma das carreiras melhor remuneradas e com futuro é a de programador.

O tipo de linguagem mais procurada não para de mudar, logo um programador deve ter por isso uma grande capacidade de aprendizagem ou até cruzar conhecimentos com outras áreas de forma a conseguir desenvolver programas que vão de encontro às necessidades.

Estamos a assistir a muitas mudanças,  quer a nível individual, quer a nível das empresas e devemos tentar acompanhar a inovação se queremos alcançar o sucesso. O programa de gestão de empresas Sage X3, assegura uma gestão integrada das finanças, do abastecimento e do o processo de produção, para que o futuro das empresas não seja uma incógnita.

BMS Gestão de Empresas

Implementar a inteligência artificial: alguns elementos a considerar

A implementação de tecnologia deve ter como objetivo satisfazer as necessidades da empresa, procurando uma melhoria na eficiência. As inovações tecnológicas implicam sempre um investimento financeiro avultado e antes de tomarem uma decisão devem ter em conta cinco pontos.

Para organizações que considerem o uso de Inteligência Artificial, faz sentido apostar também na tecnologia em Cloud para parte ou mesmo para alojar todos os elementos, a estratégia da empresa deve ser pensada como um todo quando abordamos temas ligados à inovação tecnológica.

Gerir riscos de segurança.

Quer na recolha de dados, seu armazenamento, acesso e a forma como os dados vão ser gerido pela I.A, deve ser sempre considerada a questão da segurança. Deve ser tido em conta desde o inicio de que forma pensam proteger os dados, os ataques e roubos de informação são cada vez mais eficientes e sofisticados.

Cumprir as obrigações legais.

Conhecer bem as questões legais associadas é muito importante, perceber como afetam o tratamento de dados e toda a gestão da I.A. Algumas empresas já dedicaram algum tempo a estas questões, desenvolvendo um código de ética que pode ser um exemplo para outras empresas.

Controlo de custos e retorno de investimento.

No investimento em I.A deve ter tido em conta o retorno de investimento. A estrutura comercial envolvida irá ter um impacto significativo tanto no controlo de custos, quer a nível de retorno de investimento.

Alinhamento de estratégias.

Devem ter em conta a atual estratégia de infraestrutura de Tecnologia de Informação, assim com a maturidade a nível de tratamento e analise de dados, no momento de decidirem sobre a aplicação de A.I. É uma área em que não faz sentido compartimentar demasiado, tudo o que está relacionado com IT deve ser visto de forma conjunta.

Modelo de negocio.

É necessário ter conta o modelo de negocio e adapta-lo se necessário, pensar até que ponto este será digital, o que irá resultar  numa estratégia de I.A híbrida.

Gerir a resistencia à implementação.

Assegurem-se de que a escolha por esta solução se baseia em dados racionais e não se baseia numa moda ou cultura empresarial da empresa ou dos investidores. Existem soluções adaptadas às necessidades de cada empresa como SageX3 capazes de acelerar toda a empresa, da aquisição até à produção, stock, vendas, assistência ao cliente e gestão financeira, proporcionando informações mais rápidas sobre os custos e o desempenho em cada etapa.

Importa saber se é realmente relevante para a vossa empresa a implementação da I.A e a partir desse ponto construir o melhor modelo para a sua implementação, ultrapassando a resistência que pode existir em parte dos colaboradores. É uma fase de transição, e com o devido acompanhamento em pouco tempo com o beneficio em eficiência e poupança de tempo, serão os principais defensores da mudança.

 

 

 

 

Inovação e Tecnologia

Inteligência Artificial: cinco passos para a implementar de forma ética

Neste momento uma das grandes discussões passa pelas questões éticas relacionadas com a aplicação da Inteligência Artificial a um nível empresarial. Nesta quarta revolução industrial devemos considerar atentamente as implicações de Chatboots, e programas de Inteligência Artificial que começaram a fazer parte da vida das grandes empresas, desde startups às grandes empresas. A Sage resolveu fazer parte ativa desta reflexão elaborando um código ético de forma a que a I.A seja aplicada de forma segura, que passamos a resumir neste artigo.

A Inteligência Artificial deve refletir a diversidade.

Tanto a indústria como a comunidade tecnólogica deve desenvolver mecanismos eficazes para filtrar sentimentos e tendências negativas dos dados recolhidos pela Inteligência Artificial. Isto servirá para garantir que a IA não memoriza estereótipos de forma errada.

A Inteligência Artificial deve prestar contas (tal como fazem os utilizadores).

Os utilizadores constroem uma relação de confiança com a IA após diversas e significativas interações. Depois de adquirir confiança, vem a responsabilidade e a IA tem de ser responsabilizada pelas ações e decisões que fornece, tal como acontece com os seres humanos. Se não aceitamos este tipo de comportamentos de outros profissionais ‘especializados’, porque deveríamos abrir uma excepção para a tecnologia?

Recompensar a Inteligência Artificial pelos seus progressos.

Qualquer sistema de IA que baseie a aprendizagem de acordo com maus exemplos, poderá ser socialmente inadequada. Atualmente, os sistemas de IA que ampliem o seu campo de análise e recolha de dados são a solução para progredirem na sua aprendizagem.

Um dos desafios é o desenvolvimento de um mecanismo de recompensa. As medidas de aprendizagem e reforço devem construir-se não apenas no que a IA ou os robots fazem para obter um resultado, mas sim como estas se alinham com os valores humanos para obter esse mesmo resultado.

Garantir a igualdade de condições.

As tecnologias sociais, como os assistentes de voz ou os robots, oferecem soluções de acesso rápido, especialmente indicadas para pessoas incapacitadas, seja por problemas de visão, dislexia ou mobilidade reduzida. A comunidade tecnólogica empresarial precisa de acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias para garantir a igualdade de condições e aumentar o número de talentos disponíveis.

Inteligência Artificial irá substituir postos de trabalho, mas também criará novos empregos.

Aparecerão novas oportunidades criadas pela robotização de tarefas e é fundamental que os seres humanos estejam preparados para esta nova realidade. Há que ter em conta que a IA e a empresa trabalham em conjunto, para que a equipa se concentre no que é realmente importante: construir relações e cuidar dos clientes.

Neste contexto, a Sage liderou a revolução da contabilidade financeira com o lançamento do Pegg, o primeiro chatbot de contabilidade do mercado. Criado com a intenção de libertar os clientes de tarefas administrativas tediosas que os impedem de se concentrar em processos mais importantes, o Pegg atua como um assistente inteligente para pequenas e médias empresas, permitindo aos utilizadores controlar os seus gastos e gerir as suas finanças através de aplicações de mensagens tão populares como o Facebook Messenger.

A revolução 4.0 comporta grandes transformações e devemos refletir profundamente sobre elas de forma a que consigamos criar um mundo melhor com as transformações tecnológicas, um espaço mais justo e ético para todos.

 

 

Contabilidade

Como vai a automatização afetar a contabilidade?

As transformações rápidas a que assistimos no mundo do trabalho sob a pressão da evolução da tecnologia, causam muitas vezes perplexidade e receio pela perda de postos de trabalho.

A Inteligência Artificial, Robótica e chat boots estão na ordem do dia como as principais transformações e neste momento é difícil prever os efeitos destas novidades em alguns anos. As visões mais pessimistas avançam com o número de 250 mil empregos administrativos que se irão perder nos próximos anos, dados avançados pelo Reform um órgão independente do U.K.

Em muitas empresas esta mudança já aconteceu a um nível de tarefas mais repetitivas, como a recolha de alimentos, ou em cadeias de montagem. Coloca-se a questão de que forma a indústrias como a do Marketing se irão revolucionar.

Finanças e Contabilidade.

Nas áreas das Finanças e Contabilidade existe também o receio de que as inovações tragam perdas de emprego. Possivelmente muitas das tarefas e empregos que temos hoje, irão desaparecer em cerca de 20 anos.

Estas áreas já foram transformadas pela gestão bancária automatizada que simplificou o trabalho e reduziu muitas tarefas anteriormente dependentes do uso de impressos em papel.

As perdas de empregos são geralmente compensadas pela criação de novos postos, neste caso temos o aparecimento da consultadoria e de assessoria nestas áreas.

Inovações tecnológicas e novas profissões.

Em apenas 3 anos assistiu-se a uma verdadeira renovação, com uma automatização das tarefas contabilísticas com acesso a software criado especificamente para estas tarefas. A longo prazo existe um efeito claramente positivo, o trabalho de assessoria ajuda os negócios a crescer, com mais tempo disponível para os clientes.

Os receios com a mudança não são algo novos, com o aparecimento dos computadores surgiu o medo que estes eliminassem trabalhos, mas tal não se concretizou. Na verdade simplificaram as tarefas e foram progressivamente adoptados por todos e exigiram que nos adaptássemos à sua presença.

Os profissionais de contabilidade devem esforçar-se por aumentar os seus conhecimentos em tecnológicos de forma a conseguirem utilizar melhor estas novas oportunidades, com a inteligência artificial, robots e chat boots surge um mundo novo de possibilidades. A profissão terá sempre de se transformar e bons conhecimentos a nível de internet já são essenciais à profissão, de forma a salvaguardar os dados financeiros dos clientes em risco.