Browsing Tag

Negócios

Gestão de Empresas Sage Enterprise Management

Efeitos do Brexit: várias empresas abandonam Londres

Londres tem sido uma das principais capitais europeias da inovação, com milhares de empresas a escolherem esta cidade para se constituir e crescer. Os motivos apontados são vários: ambiente multicultural, acesso a investimento e os casos de sucesso de empresas que deram aqui os seus primeiros passos antes da internacionalização.

Brexit, o começo do fim de uma era.

A votação favorável à saída do Reino Unido da União Europeia criou algum pânico junto das empresas. Existe incerteza em relação ao processo de saída. Na cimeira de 18 de outubro, foi possível chegar a acordo quanto a prazos e procedimentos, embora ainda seja necessário acertar vários aspetos.

Apesar de a economia ter retomado o ritmo de crescimento anterior ao Brexit, e das tentativas do governo britânico em tranquilizar as empresas com sede no Reino Unido, várias já se deslocaram para outras cidades europeias.

Um ambiente hostil à imigração.

A cidade de Londres como capital multicultural, dinâmica e polo de startups, transformou-se pós-Brexit. A imprensa sensacionalista, grupos de extrema-direita e mesmo os partidos do centro parecem ter aderido a um discurso hostil à imigração. O resultado é um ambiente de insegurança, com ataques de natureza racista a imigrantes.

Europeus escolhem novos destinos.

São várias as empresas que se deslocaram para outros países europeus, onde estão a surgir novos hubs de inovação. Segurança, incentivos governamentais e um ambiente multicultural tornaram Berlim, Amesterdão ou Lisboa as cidades do momento. Lisboa tem vindo a acolher nómadas criativos digitais oriundos de todo o mundo, atraídos por boas condições, pela beleza da cidade e um clima ameno.

Um mundo em mudança.

As mudanças são cada vez mais rápidas, as cidades são destronadas e surgem novos centros de inovação, enquanto as empresas estão sujeitas a uma intensa competição entre si. É fundamental decidir com rapidez, com base em dados obtidos em tempo real.

A Sage tem soluções de ERP de rápida implementação que permitem uma visão da empresa a 360°. Com Sage Enterprise Management, acompanhe as mudanças e torne a sua empresa mais competitiva.

 

Gestão de Empresas Sage Enterprise Management

5 Dicas para acelerar o crescimento do negócio – segunda parte

Hoje damos continuidade ao artigo com dicas para acelerar o seu negócio. Na primeira parte referimos a importância da contratação e de manter sempre um foco atento no cliente.

Adapte-se às mudanças tecnológicas

Existem diversas formas de as empresas tirarem melhor proveito das tecnologias, serviços e sistemas modernos que reforçam o seu funcionamento e ajudam a apoiar o crescimento.

Adotar serviços baseados na cloud, por exemplo, é uma forma de reduzir a infraestrutura de TI da sua empresa. Não só́ reduz os custos e melhora a eficiência, como liberta a sua equipa de TI para explorar outras formas de utilizar a tecnologia emergente que pode melhorar o negócio ao invés de ser apenas uma ferramenta de resposta aos problemas.

A mesma tecnologia pode também proporcionar aos colaboradores a flexibilidade de trabalharem em movimento ou remotamente. Isto dá-lhes a oportunidade de terem a flexibilidade de gerir as suas atividades diárias ou procurarem novas oportunidades de negócio.

Sistemas avançados com machine learning e inteligência artificial podem automatizar tarefas morosas de gestão ou processamento de dados. Este tipo de tecnologia pode libertar as equipas para tarefas mais inovadoras e estratégicas que reforcem diretamente o crescimento do negócio e o resultado final.

Se utilizada sabiamente, a tecnologia pode ajudar a tornar a sua empresa mais inovadora, produtiva e proporcionar as bases para a próxima fase de crescimento.

Mantenha-se na vanguarda

Potenciar as vendas a curto prazo através de promoções e de novos produtos e serviços irá ajudar a aumentar as receitas, mas não é a melhor forma de posicionar a sua empresa para um futuro crescimento a longo prazo. As empresas devem ter uma visão global e criar estratégias para se manterem a par das tendências do mercado e dos clientes, e à frente da concorrência.

Isto requer uma perspetiva mais completa e a longo prazo do funcionamento da empresa e do negócio – a visão da empresa, as estratégias de vendas, o posicionamento de mercado, o mercado de trabalho, a infraestrutura tecnológica e processos, etc.

Por exemplo, a sua cadeia de distribuição poderia ser mais eficiente? Existem mercados em que pode apostar e onde os seus concorrentes ainda não estão? Tem um portfólio de produto demasiado complexo? Está a investir o suficiente em marketing?

Estas análises podem ajudá-lo a encontrar formas de tornar o seu negócio mais eficiente e eficaz, bem como encontrar novas oportunidades de lucro. Mas, podem também ajudar a identificar formas de reduzir os riscos operacionais da empresa.

Conte com um software de ERP Sage que permita acompanhar os processos da sua empresa, aumentando a eficiência em todas as áreas.

Centre-se no seu negócio, não na concorrência

Em vez de se centrar na concorrência, invista tempo e recursos a tentar compreender melhor o seu negócio. Desenvolva e cuide da sua equipa para aumentar o envolvimento dos colaboradores – e isto não significa apenas pizzas e mesas de ping- pong.

Um relatório sobre o compromisso dos colaboradores indica que estes preferem sentir-se valorizados e reconhecidos do que receber determinados benefícios. O mesmo relatório sugere que um crescimento de 50% no compromisso dos colaboradores equivale a um crescimento de 3% de receitas no ano seguinte.

Impulsionar o crescimento do negócio não se faz com a oferta de gadgets e benefícios imediatos. É uma atitude que deve estar presente em todos os departamentos e colaboradores. Desde as pessoas à tecnologia, das operações aos processos, ao assumirem esta abordagem as empresas podem garantir o crescimento a longo prazo que todos desejam.

Leia a primeira parte do artigo, aqui.

 

 

Gestão de Empresas Sage Enterprise Management

5 Dicas para acelerar o crescimento do negócio

Existe atualmente nas empresas a necessidade constante de continuarem a reposicionar-se e a reformular as suas estratégias na procura pelo sucesso. De acordo com um recente estudo da PWC – 2017 CEO Survey -, cerca de um quarto dos CEOs aponta a inovação como a sua principal prioridade para 2018 – ultrapassando prioridades como o capital humano, a concorrência, a experiência do cliente e as capacidades tecnológicas.

No entanto, esta intenção de inovação e crescimento é frequentemente mais fácil na teoria do que na prática. Trabalhar no sentido de identificar novas áreas de crescimento, novas oportunidades e estabelecer planos para o sucesso a longo prazo, pode ser uma proposta complicada para as organizações, novas ou já existentes.

Existem algumas formas de estruturar e planear este processo de aceleração do crescimento do negócio, que a Sage resume nestas cinco dicas:

Contrate as pessoas certas

Diz-se frequentemente que uma empresa é tão boa quanto os seus colaboradores, no entanto, contratar as pessoas certas para a sua empresa implica um planeamento cuidadoso. É fundamental estabelecer os tipos específicos de capacidades e conhecimento que necessita para o seu negócio e a função e equipa para onde está a recrutar.

Pondere se pretende reforçar a sua equipa com pessoas com recursos gerais que podem ser moldadas para diferentes áreas do seu negócio, ou procurar recursos com experiência e conhecimentos específicos que preencham lacunas existentes ou ajudem a impulsionar o negócio em novas áreas de produto ou mercados.

Uma equipa de trabalho deve ser tão diversificada quanto os clientes da empresa. Contar com pessoas de diferentes origens (género, etnia, nacionalidade, experiência) irá ajudar o seu negócio a ganhar maior conhecimento e perspetiva para oferecer produtos e serviços a sociedades cada vez mais diversificas. Por exemplo, um estudo recente de McKinsey, “Why diversity Matters”, sugere que empresas com géneros diferentes atingem normalmente um retorno financeiro 15% superior e empresas com diferentes géneros e etnias obtêm de retorno 35%.

Foco no cliente

O sucesso a curto e a longo prazo depende da definição de novas e fiéis bases de clientes. As empresas centradas nos clientes são 60% mais rentáveis. No início dos seus percursos a estratégia das empresas está orientada para o cliente, e o único foco é ganhar clientes e mantê-los satisfeitos. No entanto, à medida que as empresas crescem, pode ser fácil perder o foco nos seus clientes e permitir que outros processos interfiram.

Existem soluções para enfrentar este problema. Analise a sua base de clientes atual para identificar forças e fraquezas na forma como a sua empresa atua quando retém clientes. Preste bastante atenção às tendências de mercado.

Realize estudos, entreviste clientes novos, atuais e antigos, e sobretudo oiça – e responda a – todas as preocupações e feedback do cliente. O Net Promoter Score (NPS), por exemplo, é uma excelente forma de analisar a experiência do cliente e prever o crescimento do negócio. Ao adotar o NPS, as empresas podem fazer as questões certas para descobrirem os clientes promotores e detratores, produzindo uma medida do desempenho da organização através dos olhos dos clientes.

Graças às redes sociais e aos fóruns online, existem atualmente mais formas de comunicar com os seus clientes, criar conversações bidirecionais e desenvolver uma comunidade ativa. Isto poderá́ significar um investimento em novas opções no seu website ou uma reestruturação do suporte prestado ao cliente – mas os investimentos irão ajudar a desenvolver confiança e fidelidade por parte dos seus clientes.

Conte com um software de ERP Sage que permita acompanhar os processos da sua empresa, aumentando a eficiência e comunicação em todas as áreas.

Existem ainda outros fatores que devem ter em conta. Não deixe de ler a continuação deste artigo, aqui.

 

Gestão de Empresas Sage Enterprise Management

Videoconferência: aproveitar plenamente as possibilidades tecnológicas

A tecnologia de videoconferência existe há vários anos e, apesar disso, não foi integrada pelas empresas. Sistemas gratuitos, como Skype e Zoom, tornaram as videoconferências acessíveis a qualquer empresa, mas nem a gratuitidade as tornaram parte do quotidiano. As empresas continuam a preferir a utilização do e-mail e do telefone.

Principais fatores positivos da utilização de videoconferências.

As videoconferências permitem criar um alinhamento organizacional, poupar tempo e melhorar as relações interpessoais.

Reuniões mais breves.

Um dos principais pontos fortes desta tecnologia, é uma maior economia de tempo. Durante uma conference call (telefónica), é comum as pessoas estarem em simultâneo, a realizar outras tarefas. Esta desconcentração tem custos a nível de produtividade e de eficácia na resolução dos problemas.

Manter o foco apenas numa ação produz melhores resultados a nível da qualidade das participações, e do envolvimento de cada elemento.

Maior envolvimento e compreensão.

A linguagem não verbal é extremamente importante para o ser humano. Existem gestos que, ao acompanharem uma frase, mudam completamente o seu sentido. Ver o nosso interlocutor também permite estabelecer confiança, algo essencial para compreendermos melhor o que nos é transmitido. Através do contacto visual, torna-se mais fácil tomar a palavra numa reunião com vários participantes, sem necessidade de interromper alguém.

Melhor alinhamento do plano estratégico.

Uma melhor partilha de informação afeta de forma positiva a tomada de decisão. Tomar decisões estratégicas de forma rápida e concertada entre a equipa, é de elevado valor para competitividade das empresas.

Aproveitar plenamente o potencial da tecnologia.

As novas tecnologias trouxeram mudanças na forma de trabalhar, e o elemento rapidez é cada vez mais importante. As empresas devem empenhar-se em conseguir aumentar a sua produtividade de todas as formas que consigam, nomeadamente através de um software. A Sage tem soluções de ERP que aumentam a eficiência e permitem uma visão completa dos processos da empresa. Adaptável às necessidades de cada negócio, e com uma implementação feita em pouco tempo.

Em conclusão.

De futuro, questionem se o tema da próxima reunião exige a vossa atenção completa. Se for um tópico prioritário e fundamental para o sucesso de um projeto, então realizem uma videoconferência. Dediquem a vossa completa atenção, mantenham o foco no tema e irão ficar surpreendidos com os resultados atingidos com substancial economia de tempo.

 

 

Gestão de Empresas Sage Enterprise Management

A China lidera os pagamentos por apps

É sempre interessante conhecer a realidade de outros países, nomeadamente quando se trata de gigantes da economia mundial. A China desenvolveu o seu próprio caminho e não pára de surpreender com a inclusão das novas tecnologias no seu quotidiano.

Tornou-se comum realizar pagamentos através de apps no telefone, desde uma tarifa de táxi a uma consulta no médico. De tal forma que, em alguns serviços, gera-se uma certa desconfiança quando recebem dinheiro, com receio de que as notas sejam falsificadas.

Este é o modelo que muitos pensam que será adotado em vários países, sendo que, neste momento, a China é responsável pela maioria dos pagamentos realizados através do telemóvel. Com um desenvolvimento próprio na área financeira, o país é visto como um exemplo na introdução de novas tecnologias.

Mudanças rápidas – novas soluções.

As reformas económicas no final do século XX e a quase inexistência de bancos privados levaram a esta mudança rápida na tecnologia de pagamentos e nos hábitos dos consumidores. Sem um sistema financeiro robusto, com serviços de crédito e débito, a China estava disponível para a introdução de mudanças.

Com o maior mercado de telemóveis do mundo, o país tinha os especialistas necessários e uma população que se habituou a contar com apps para resolver todas as suas necessidades.

E-commerce sem cartões.

Estima-se que o pagamento com recurso a cartões no resto do mundo esteja a cair cerca de 46%. Neste contexto, a intensificação das relações comerciais, culturais e turísticas estão a tornar os gigantes da tecnologia desejosos de conquistar este espaço.

Hábitos culturais em redor do dinheiro.

 A diversidade cultural e histórica, relativa às questões económicas, terá de ser sempre considerada. Na Alemanha, um passado de crise associado às duas grandes guerras, com receios em torno da desvalorização da moeda, leva a que, até aos dias de hoje, a maioria das transações comerciais sejam realizadas em numerário.

Acompanhar a inovação.

 As empresas devem estar atentas às mudanças que surgem ao nível da tecnologia e um ERP de última geração é essencial. A Sage tem software de gestão de empresas que permite uma rápida implementação, com custos menores que os concorrentes.