Browsing Tag

Recursos Humanos

Recursos Humanos

Guia prático para lidar com atrasos salariais – Parte III

Na terceira e última parte deste guia, deixamos algumas recomendações sobre como evitar os salários em atraso e o que podem os trabalhadores fazer em casos de remuneração em falta.

Como é que os trabalhadores podem declarar os salários em atraso?

Do lado dos trabalhadores, devem ser tidos em conta vários cenários. No caso de terem cobrado um serviço num ano fiscal posterior à execução de um determinado trabalho, deverão declarar os montantes correspondentes através de uma ou várias auto-liquidações suplementares relativas ao(s) ano(s) em que o serviço foi prestado. Neste caso, não é obrigatório o pagamento de sanções ou juros de mora.

Em relação ao momento em que a auto-liquidação complementar deve ser apresentada, a lei estabelece que o prazo final seja a média entre a data em que os atrasos são denunciados e o final do período seguinte para a entrega das declarações de impostos.

Caso estejam perante um caso em que o salário não foi pago devido a um julgamento pendente, o valor em dívida deve ser declarado integralmente no período em que o tribunal emita um juízo final.

Por fim, uma recomendação. Seja qual for a origem do atraso, será sempre mais fácil lidar com ele se dispuserem de uma solução de contabilidade e gestão laboral como o Sage 50cloud Salários. Assegurem a fluidez de informação e evitem atrasos salariais com automatização simples de processamento de salários.

Gestão de Pessoas

4 maneiras de manter os trabalhadores motivados – Parte II

Na segunda parte deste artigo, olhamos para as melhores formas de manter os vossos trabalhadores motivados. Das reduções fiscais aos pacotes de benefícios e outros incentivos, sempre com a ajuda do Sage X3 People, aqui ficam os últimos dois conselhos que vão ajudar a potenciar o vosso negócio.

3. Aproveitem as reduções e isenções fiscais ao vosso dispor

São muitos os benefícios que podem obter através de uma simples isenção fiscal – e sem gastar muito dinheiro. Exemplo disto são as contribuições via pensões dos trabalhadores, telemóvel fornecido pela entidade patronal e pacotes de incentivos, bónus ou prémios.

Podem também fazer algo tão simples como informar os vossos trabalhadores das várias reduções fiscais disponíveis. Uma decisão que revela que a empresa está a pensar no melhor para os seus empregadores.

Em alguns casos, os trabalhadores podem obter reduções fiscais através de despesas em que incorram no decorrer da sua atividade profissional. Este cenário aplica-se quando um trabalhador é obrigado a adquirir uma nova ferramenta para prosseguir o seu trabalho, por exemplo.

4. Sejam criativos nos benefícios e incentivos

Permitir que os vossos empregados adquiram uma participação na empresa é uma excelente forma de os manter motivados. Os colaboradores vão certamente sentir-se valorizados por ter a oportunidade de obter uma participação no negócio.

Este tipo de oportunidades melhora o compromisso entre trabalhadores e empresa, ao mesmo tempo que permite alinhar os objetivos com a estratégia do vosso negócio.

Algumas entidades oferecem dias de férias extra (por vezes até mesmo dias ilimitados), outras são criativas no que diz respeito às instalações e oferecem estacionamento privado, áreas de recreação, zona de refeições ou até mesas de bilhar.

Mas cada pessoa irá reagir de forma diferente a diferentes incentivos – não existe uma fórmula universal. As preferências de cada um dependem das suas circunstâncias pessoais e familiares, do nível de experiência, do salário e do que a concorrência lhes poderá oferecer.

Ter variedade de escolha é cada vez mais importante. Aquilo que agrada a um pai de 38 anos que trabalha no departamento de RH não é o mesmo que um técnico de 20 anos está à procura e vice-versa. Com pessoas de diferentes faixas etárias a trabalhar no mesmo sítio, a diversidade de gostos e interesses nunca será homogénea.

Recursos Humanos

Conselhos para a contratação de pessoas – Parte II

Contratar a pessoa perfeita não precisa de ser um problema complexo. Ao empregarem o tempo e esforço para que os métodos de contratação e recrutamento da vossa empresa funcionem da forma correta, e ao aliá-los a uma solução de gestão como o Sage 100cloud RH, estão a fortalecê-la.

Como contratar os funcionários perfeitos

Há cada vez mais trabalho e precisam de ajuda para se manterem a par de tudo? Está na hora de começar a contratar. Ao encontrar as pessoas certas para trabalhar para si, poderão cumprir as vossas responsabilidades e ainda atingir novos objetivos — o que é ótimo para o vosso negócio e as vossas finanças.

E, claro, vão querer contratar a pessoa (ou pessoas) perfeitas para vos ajudar a serem bem-sucedidos. Mas o que é que isso significa para vocês e para o vosso negócio? Antes de pagar a uma empresa de recrutamento para encontrar uma lista de candidatos ou começar o processo de entrevistas, é preferível dar um passo atrás.

Considerem se poderá haver uma solução melhor do que contratações: por exemplo, o recurso a um freelancer, ou melhorar as vossas próprias capacidades de forma a poderem cumprir como o que o vosso negócio exige.

Se concluírem que empregar uma pessoa é a melhor opção, então está na hora de procurar a pessoa certa para o trabalho em causa.

O colaborador perfeito terá as capacidades necessárias para cumprir a tarefa em causa. Também terá a personalidade certa para se adaptar à cultura da sua empresa, entusiasmo para trabalhar, aprender e crescer, e ajudar o negócio a continuar a melhorar.

Para conseguirem isto, definam o papel do novo colaborador, quais as suas responsabilidades e qual será o seu papel no dia-a-dia. Depois, procurem alguém que possa cumprir esses requisitos, e ajudem essa pessoa a crescer para realizar o trabalho da melhor forma possível.

Qual a função para a qual deve recrutar?

Procuram um assistente de vendas para ajudar o vosso negócio a vender mais? Ou precisam de um diretor de vendas que supervisione a vossa estratégia de vendas e lidere uma equipa de forma a fazer a diferença nos resultados?

Antes de começarem a contratar alguém, percebam bem qual o trabalho para o qual vão recrutar. Às vezes, isto é óbvio — podem precisar de uma pessoa específica para vos ajudar com uma tarefa sobre a qual não têm as capacidades necessárias para desempenhar bem.

Mas também pode ser mais complicado — podem precisar de ajuda com vendas e marketing. Devem contratar duas pessoas? Será que uma pessoa só consegue fazer o trabalho? Que capacidades devem ter, e será que devem ter experiência e conhecimentos ou devem estar a começar e com vontade de aprender? Quando lhes podem pagar?

Gestão de Pessoas

Guia prático para lidar com atrasos salariais – Parte II

Na segunda parte deste artigo, abordamos os cenários mais habituais e olhamos para o impacto fiscal e contabilístico dos salários em atraso.

Como se contabilizam os juros dos salários em atraso?

Existem formas diferentes de calcular os juros adjacentes de atrasos salariais. Cada uma delas depende do motivo que o originou:

Demora no pagamento

  • Nesta situação, o salário foi previsto e determinado atempadamente, mas o seu pagamento demorou mais que o acordado.
  • O acréscimo de salário que deverá ser feito para compensar o atraso pode ser debitado das contas usadas para os gastos com o pessoal. Já o pagamento propriamente dito poderá ser compensado como crédito nas contas de tesouraria da vossa empresa.

Erro humano ou tecnológico

  • Vamos considerar, por exemplo, erros contabilísticos. Estes podem ter origem na informação contida nas folhas de pagamento, num valor mal determinado pelo departamento de contabilidade, ou numa prestação de serviços mal calculada. O melhor será recorrer a uma solução de gestão como o Sage 50cloud Salários, que vos pode ajudar a monitorizar todos os pagamentos diários da vossa empresa e a evitar erros deste género.
  • A principal consequência de um erro deste tipo é a liquidação e pagamento de uma quantia maior (ou menor) que o suposto.
  • Ao corrigir erros de anos fiscais passados, não recorram às contas usadas para gastos com o pessoal. Em vez disso, recorram a uma conta de património líquido (reservas voluntárias) com crédito para a tesouraria ou que reflitam a dívida para com os trabalhadores.

Novas informações

  • É possível que o atraso nos salários suja como consequência de uma informação que vos chegou fora de tempo ou até de um serviço/investimento mal calculado. Por exemplo: subestimar o valor de um serviço que acaba por vos custar mais do que o previsto inicialmente.
  • Caso se deparem com esta situação, terão que fazer alterações às estimativas contabilísticas da vossa empresa. Ajustem as contas de gasto com o pessoal de acordo com a vossa dívida.

Após o fecho do ano fiscal

  • É possível que entre o fecho do ano fiscal e o balanço das contas anuais sejam apurados atrasos salariais. Se as condições que vos levaram a pagar mais aos trabalhadores já existiam no fecho de contas, estas devem ser tidas em conta no momento de balanço. Façam um ajuste nas vossas contas e mantenham toda a documentação em ordem.
  • Se os atrasos surgirem devido a condicionantes que não existiam aquando do fecho do ano fiscal, não poderão fazer ajustes. No entanto, deverão avisar os vossos contabilistas e reportar os atrasos no vosso relatório anual de contas.
Recursos Humanos

Guia prático para lidar com atrasos salariais – Parte I

É um cenário que todos os empreendedores procuram evitar, mas os atrasos salariais são mais frequentes do que possam imaginar. Podem acontecer por vários motivos, desde problemas de tesouraria a um mero erro nas folhas de pagamento.

Porque cada caso é um caso e os atrasos salariais podem ter consequências diferentes, vamos analisar as suas causas habituais, olhar para a melhor forma de os contabilizar e abordar as repercussões que estes têm nas contas da vossa empresa.

Como é que se estabelece um atraso salarial?

A lei não prevê uma data concreta para o pagamento de um salário, mas estabelece normas para a determinar. Prevê-se que o salário seja pago pontualmente e devidamente documentado, tal como estabelecido no contrato de trabalho celebrado com os vossos colaboradores. Em casos em que as obrigações salariais são periódicas e regulares, não se deverá demorar mais de um mês.

Como é que os salários afetam as retenções?

Por norma, podem deparar-se com duas situações diferentes:

  • Se o atraso no pagamento ocorrer dentro do mesmo ano fiscal em que o serviço foi prestado, a retenção a aplicar deverá estar de acordo com o procedimento geral de toda a empresa.
  • Caso esta seja relativo a um ano fiscal distinto, a retenção a aplicar será superior ao habitual.

Qual é o impacto fiscal dos atrasos salariais para as empresas?

Se a vossa empresa estiver sujeita ao imposto sobre sociedades, o impacto de um atraso salarial estará relacionado com o tratamento contabilístico do vosso empreendimento – que, como explicámos atrás, dependerá das razões e circunstâncias do atraso.

Em todo o caso, tenham em conta o seguinte:

  1. Devem declarar as despesas de pessoal no período em que elas se acumulam, independentemente do seu pagamento. Mas, para isso, devem ser contabilizados. Por exemplo, um atraso previsto e contabilizado devido à falta de liquidez que nos leva a cumprir com as folhas de pagamento referentes ao ano seguinte, não implica que tenham que esperar um ano para deduzir essa despesa.
  2. Para serem deduzíveis, as despesas podem debitar-se tanto à conta corrente da vossa empresa, como a uma conta de reserva – desde que isso esteja previsto nas normas e regulamentos da empresa. Este cenário permite-vos, por exemplo, deduzir as despesas com pessoal em atraso devido a um erro contabilístico.
  3. Em relação ao período de imputação, se contabilizarem os atrasos de um período anterior ao ano fiscal em vigor, poderão deduzi-los durante o ano decorrente. Contudo, a tributação será menor que o habitual.

Garantam o vosso processamento de salários da forma mais fácil e automatizada com a solução de Gestão de Recursos Humanos, Sage 50cloud Salários. Ganhem todo o rigor com a solução certa para o vosso negócio!