Browsing Tag

SageX3

BMS Gestão de Empresas

A relação entre a linguagem corporal e o sucesso

Há momentos cruciais na vida de uma empresa, uma reunião com um investidor ou com um cliente. Mesmo quando estamos bem preparados sobre o tema, e já realizamos este tipo de reuniões vezes sem conta, podemos destruir todo o trabalho com a nossa linguagem corporal.

Aumentar as probabilidades de sucesso.

Nem sempre as reuniões têm resultados positivos, mas podemos afetar os resultados de forma positiva se passarmos uma imagem de confiança e credibilidade. Por muito que as vossas propostas sejam interessantes, no final a decisão será tomada baseada em dados que são empíricos.

Passar uma imagem de confiança, começa por manifestarmos abertura e confiança. Gestos que manifestem conforto espacial, como colocar uma chávena de café longe de si, manifestam descontração. Tenham o cuidado de não perturbarem o espaço pessoal dos presentes.

Contacto visual – É importante manter o contacto visual, evitando afastar o olhar. Da mesma forma será de evitar tapar o rosto, mesmo que seja através da colocação de uma mão no rosto.

Olhar de desdém – Parece um conselho obvio, mas devem evitar usar um olhar de desprezo ou desdém. Por vezes de forma involuntária, demonstramos uma expressão pouco amável que se pode manifestar por um dilatamento das narinas.

Intimidade – Suscitar uma sensação de proximidade, convida à partilha de informação da parte dos clientes, que pode vir a tornar-se crucial. Para criar um ambiente propício à partilha, há que evitar usar manifestações de reprovação.

Aceitação – A postura física de aceitação, está relacionada com mostrar o corpo, mantendo os braços afastados do tronco. Não significa que se tenha de concordar com o discurso do interlocutor, mas devem mostrar aceitação e em alguns casos pode ser uma boa ideia oferecer um conselho.

 A importância do ambiente.

O ambiente é um elemento importante na maximização da linguagem corporal. Manter clientes antigos ou ganhar novos, depende da construção de relacionamentos, e a vossa linguagem corporal deve transmitir segurança e uma sensação calorosa semelhante a quanto estamos frente a uma lareira.

As salas de diretoria são geralmente desconfortáveis e desenhadas para causar uma boa impressão com uma decoração algo pesada, e por vezes o resultado é uma sensação de desconforto para o cliente.

Procurem fazer um percurso com os clientes, mostrando a empresa. Se possível passem algum tempo na área de café, mostrem áreas de trabalho, dando uma ideia do ambiente geral no quotidiano. No decurso desta visita guiada, demonstrem à vontade e controlo total.

Controlo da linguagem corporal e controlo da empresa.

Tal como devemos procurar melhorar a nossa linguagem corporal, também devemos procurar ter o mesmo controlo completo sobre a empresa. Um software de ERP como Sage X3, permite gerir os negócios de forma mais rápida, do aprovisionamento ao gerenciamento financeiro, sempre com o apoio do business Intelligence, que fornece analises em tempo real através de múltiplos relatórios.

 

 

 

BMS

A relação entre a linguagem corporal e o sucesso

Há momentos cruciais na vida de uma empresa, uma reunião com um investidor ou com um cliente. Mesmo quando estamos bem preparados sobre o tema, e já realizamos este tipo de reuniões vezes sem conta, podemos destruir todo o trabalho com a nossa linguagem corporal.

Aumentar as probabilidades de sucesso.

Nem sempre as reuniões têm resultados positivos, mas podemos afetar os resultados de forma positiva se passarmos uma imagem de confiança e credibilidade. Por muito que as vossas propostas sejam interessantes, no final a decisão será tomada baseada em dados que são empíricos.

Passar uma imagem de confiança, começa por manifestarmos abertura e confiança. Gestos que manifestem conforto espacial, como colocar uma chávena de café longe de si, manifestam descontração. Tenham o cuidado de não perturbarem o espaço pessoal dos presentes.

Contacto visual – É importante manter o contacto visual, evitando afastar o olhar. Da mesma forma será de evitar tapar o rosto, mesmo que seja através da colocação de uma mão no rosto.

Olhar de desdém – Parece um conselho obvio, mas devem evitar usar um olhar de desprezo ou desdém. Por vezes de forma involuntária, demonstramos uma expressão pouco amável que se pode manifestar por um dilatamento das narinas.

Intimidade – Suscitar uma sensação de proximidade, convida à partilha de informação da parte dos clientes, que pode vir a tornar-se crucial. Para criar um ambiente propício à partilha, há que evitar usar manifestações de reprovação.

Aceitação – A postura física de aceitação, está relacionada com mostrar o corpo, mantendo os braços afastados do tronco. Não significa que se tenha de concordar com o discurso do interlocutor, mas devem mostrar aceitação e em alguns casos pode ser uma boa ideia oferecer um conselho.

 A importância do ambiente.

O ambiente é um elemento importante na maximização da linguagem corporal. Manter clientes antigos ou ganhar novos, depende da construção de relacionamentos, e a vossa linguagem corporal deve transmitir segurança e uma sensação calorosa semelhante a quanto estamos frente a uma lareira.

As salas de diretoria são geralmente desconfortáveis e desenhadas para causar uma boa impressão com uma decoração algo pesada, e por vezes o resultado é uma sensação de desconforto para o cliente.

Procurem fazer um percurso com os clientes, mostrando a empresa. Se possível passem algum tempo na área de café, mostrem áreas de trabalho, dando uma ideia do ambiente geral no quotidiano. No decurso desta visita guiada, demonstrem à vontade e controlo total.

Controlo da linguagem corporal e controlo da empresa.

Tal como devemos procurar melhorar a nossa linguagem corporal, também devemos procurar ter o mesmo controlo completo sobre a empresa. Um software de ERP como Sage X3, permite gerir os negócios de forma mais rápida, do aprovisionamento ao gerenciamento financeiro, sempre com o apoio do business Intelligence, que fornece analises em tempo real através de múltiplos relatórios.

 

 

 

 

 

 

 

 

BMS Gestão de Empresas

Adaptar os objetivos da empresa: mudar para vencer

Num mundo em constante mudança, por vezes é necessário adaptar a missão da empresa e repensar os seus objetivos de acordo com a nova informação disponível.

Empresas com uma longa existência, assistem a tantas mudanças na economia e nos hábitos de consumo, que é necessário repensar e transformar a sua missão. Naturalmente alguns colaboradores irão temer pela sua situação profissional num momento de reestruturação.

As mudanças causam receio.

A entrada de novos elementos para assegurar uma visão complementar aos problemas enfrentados, pode ter um efeito catalisador da sensação de insegurança dentro dos membros mais antigos da equipa.

Há que demonstrar que a mudança nos objetivos da empresa não é algo negociável, e que o empenho de todos será reconhecido. Também pode ser uma boa ideia, facilitar a saída de colaboradores (com uma indeminização superior ao contemplado na lei) que claramente não estão empenhados na mudança.

Transparência na passagem de informação.

Informar e educar as equipas em todos os momentos é fundamental, e torna-se ainda mais relevante em momentos de mudança. Facultar informação, com uma atitude de transparência, irá contribuir para o desvanecer de receios infundados.

Antecipar reações negativas.

Por vezes as mudanças apanham o mercado e os consumidores de surpresa. Tenham em conta que nem sempre é fácil implementar a mudança, devem pensar em como justificar o novo posicionamento, antecipar possíveis objeções e preparar respostas com o auxilio das vossas equipas.

 Um ERP para preparar a mudança.

Nos momentos cruciais da vida de uma empresa, conseguir ter uma visão objetiva de todos os processos, faz a diferença entre o sucesso e o insucesso de uma transformação. Sage X3 permite analisar os efeitos das mudanças e corrigir a trajetória em tempo ótimo.

As mudanças na organização serão mais facilmente implementadas, envolvendo todos os membros da equipa, controlando todos os processos, e conseguindo adaptar rapidamente a produção às reações dos consumidores.

 

BMS Gestão de Empresas

A Inteligência Artificial vai transformar o trabalho

A força de trabalho vai ser transformada com o advento da Inteligência Artificial (I.A.)  e os CEO questionam-se sobre como podem as empresas preparar-se para as mudanças que se avizinham.

As opiniões são bastante variáveis sobre este tema, mas podemos resumir em cinco cenários. Os mais pessimistas afirmam que cerca de 50% dos postos de trabalho irão desaparecer, os mais otimistas estimam que surjam novas categorias de trabalho e empresas em redor dessas áreas.

Visão distópica.

A visão distópica acredita que homem e máquina irão necessariamente enfrentar-se. Que a I.A irá ocupar os trabalhos com tarefas mais simples, mas também os trabalhos especializados. Os efeitos serão catastróficos com um aumento avassalador do desemprego e resultante miséria.

Visão utópica.

A I.A neste cenário cada vez irá substituir mais o ser humano, mas o resultado será de mais riqueza e bem estar. A riqueza produzida permitiria oferecer um rendimento universal à população em geral, que poderia passar a dedicar-se a seguir os seus interesses individuais de forma livre e sem preocupações com a sobrevivência.

Ótimistas tecnológicos.

Defendem que a transformação tecnológica, já está a decorrer embora a maioria das empresas ainda estejam a aprender como podem beneficiar com estas tecnologias inteligentes. Em resultado destas transformações teremos um crescimento económico, com excedentes e produtos com custos mais baixos.

Segundo esta visão reconhece-se que a riqueza não trará benefícios para todos, onde muitos postos de trabalho estão condenados a desaparecer. É necessário que empresas e governos invistam em educação e treino paralelamente à tecnologia.

Céticos da produtividade.

Analisam a I.A inserida num contexto mais lato, de mudança climática, envelhecimento das populações, e desigualdade crescente. Acreditam que os ganhos em produtividade serão baixos, não sendo suficientes para resolver problemas estruturais e conduzindo a uma estagnação do crescimento.

Otimista realistas.

Acreditam que a digitalização dos negócios e I. A irão gerar ganhos em produtividade semelhantes a anteriores choques tecnológicos. Novos trabalhos serão criados, e acreditam que apenas os trabalhos com especialização intermédia serão afetados, sendo necessário investir em mais investigação sobre as relações entre produtividade e emprego para encontrar respostas para estas questões.

O future já chegou – um software de futuro.

Enquanto a I.A ainda não faz parte do nosso quotidiano, temos softwares como Sage X3, um ERP que acelera toda a empresa da aquisição até à produção, stock e vendas. Dando respostas às necessidades de cada empresa, é extremamente adaptável e proporciona uma cloud segura para guardar informação, com acesso online.

Para responder aos desafios do futuro é necessário que as empresas se reinventem constantemente, explorem todo o potencial que lhes é oferecido pela tecnologia, descobrindo novas possibilidades para produtos e serviços.

BMS Gestão de Empresas

Novas tendências nas compras online

As compras online ocupam cada vez um espaço maior no consumo, o retalho tradicional não consegue contrariar esta tendência e até certo ponto começou a incorporar na sua estratégia a existência de lojas online como um complemento ao retalho.

Num mercado de mudanças rápidas, podemos detetar 3 tendências importantes que todos os empresários devem acompanhar.

Personalização.

Criar produtos ou serviços personalizados para os clientes é uma das tendências mais importantes. Esta tendência reflete-se em produtos adaptados perfeitamente ao gosto,  tamanho, ou até em edições especiais assinalando momento importantes.

O mobile torna-se a referência.

65% das compras durante a Black Friday foram feitas através do acesso móvel e pensa-se que irá continuar a aumentar. Sites adaptados à experiência móvel e telefones mais evoluídos contribuem para este crescimento imparável. Outra tendência a acompanhar, o Voice Commerce, promete trazer uma revolução com softwares como Siri, Alexa ou Google Now, a possibilitarem compras através de comandos de voz.

Comprar sem deixar a App.

Até há pouco tempo comprar enquanto se estava numa App social era complicado. Acabávamos por ter uma experiência semelhante a quando se passeia numa zona com lojas encerradas, onde olhamos para os produtos em montras, mas as lojas estão encerradas e não podemos comprar.

As aplicações perceberam o problema e evoluíram, Facebook, Instagram ou Pinterest encontraram soluções para que se possa comprar sem necessidade de abandonar a App. O objetivo é sempre incentivar à compra por impulso, não dando tempo aos utilizadores de pensarem longamente sobre a compra.

Software integrado para acompanhar todos os processos.

SageX3 disponibiliza uma vasta gama de funcionalidades integradas, permitindo a integração de aplicações especializadas Sage e de parceiros certificados.

Acompanhem todos os processos da empresa, da compra online ao stock em armazém, da gestão financeira à produção e distribuição.

Cada vez é mais importante conseguir ter uma visão completa da empresa, respondendo aos impulsos de compra dos consumidores e adaptando a resposta da empresa às necessidades do momento.