Browsing Tag

Sucesso

Sage One

Unicórnios: o único mito que todas as startups querem ser

Em outubro de 2018, a Talkdesk juntou-se à Farfetch e à OutSystems como o terceiro unicórnio, no mercado privado, com origens portuguesas. Qual é a definição de um unicórnio? Como é que estas startups portuguesas atingiram esse patamar? Vamos descobrir no artigo de hoje.

Um unicórnio é uma startup que tenha obtido uma avaliação dos seus investidores de pelo menos mil milhões de dólares. Em Portugal, as três empresas que ganharam este nome são empresas tecnológicas – caso que, de resto, se repete mundialmente, como por exemplo com a Uber ou com a Airbnb.

O nome unicórnio foi uma ideia original de Ailee Lee, uma investidora de risco. Em 2013, fez uma pequena pesquisa para ajudar numa decisão de investimento. Descobriu que apenas 0.07% de empresas financiadas por capital de riscos atingiam avaliações superiores a mil milhões de dólares. Como são raridades no mundo do investimento na tecnologia, Lee nomeou-as de unicórnios. Admite que o seu lado divertido e mítico ajudou na decisão, uma vez que captura também assim a essência destes negócios.

O unicórnio português mais novo

A Talkdesk surgiu em 2011, quando dois estudantes de engenharia de telecomunicações e informática, Cristina Fonseca e Tiago Paiva, conceberam a criação de callcenters digitais, passíveis de serem criados em apenas cinco minutos. A ideia valeu-lhes uma apresentação em São Francisco e um convite para ficarem na incubadora 500 Startups. Além de um bónus de 50 mil dólares. Em 2017, os fundadores foram considerados pela Forbes como “30 dos melhores empreendedores do mundo com menos de 30 anos”.

Empresas digitais

A Farfetch lançou uma plataforma online que trouxe a moda de luxo para o mundo digital. A OutSystems dedica-se ao desenvolvimento de plataformas low-code e vende aplicações com o mínimo de código possível. A primeira sagrou-se unicórnio em 2015 e a segunda, em julho de 2018. Reconhecem o fio condutor entre estas empresas?

Os negócios tecnológicos são os mais facilmente recebem investimento internacional. A acessibilidade e facilidade de adaptação do negócio ao mercado estrangeiro são grandes vantagens. A rapidez de formação e desenvolvimento também os torna mais atrativos.

O futuro do vosso negócio também está online! Lancem a vossa primeira fatura, de uma forma simples, rápida e fácil com Sage One. Acessível a partir de qualquer lugar, o vosso negócio estará sempre bem acompanhado!

 

Sage Enterprise Management

Determinar as vossas horas mais produtivas pode mudar o vosso dia de trabalho

As horas áureas de trabalho não são iguais para toda a gente. Alguns são madrugadores, enquanto outros são pessoas noturnas. Compreender qual é a vossa parte do dia mais produtiva permitir-vos-á tornar o dia de trabalho mais rentável!

A jornada de oito horas, que se adaptava e protegia trabalhadores de fábrica, nem sempre se ajusta à vida do empreendedor. Com a normalização dos locais de trabalho flexíveis, empreendedores e freelancers podem adaptar o dia de trabalho ao seu horário produtivo interior, com flexibilidade de horário de entrada, por exemplo. Vamos descobrir como identificar as vossas horas mais produtivas.

Comecem por uma auto-avaliação

Analisem o vosso dia e horário de trabalho honestamente. Aliás, sejam brutalmente honestos. Apenas assim, podem tomar nota dos momentos em que se sentem mais e menos energéticos. É bastante provável que já saibam que têm grande dificuldade em concentrar-se de manhã, ou que sentem que o final da tarde se arrasta.

Conversem com quem vos acompanha

Comecem por aqueles que vos são mais próximos – famílias, amigos, que vos conhecem como a palma da mão. Terão perceções a oferecer-vos, sobre os vossos surtos e quebras de energia ao longo do dia. De seguida, podem colocar a questão aos vossos colegas ou colaboradores. A sua opinião, enquanto espectadores, pode validar as vossas suspeitas.

Protejam essas horas douradas

Agora que identificaram o momento do dia em que o vosso trabalho é mais rentável, ajustem o vosso dia de trabalho. Tratem estas horas como o vosso próprio horário nobre. Não as desperdicem com distrações ou tarefas rotineiras. Utilizem esse tempo para trabalho criativo e exigente. Honrem-no com trabalho que potencie a vossa produtividade!

Optem por uma solução de ERP para otimizar o vosso negócio

O discernimento que aplicam ao vosso dia de trabalho pode ser uma inspiração para ganhar mais visão em toda a vossa empresa. As soluções de Enterprise Management Sage adaptam-se às necessidades do vosso negócio. Ganharão informação atualizada sobre a totalidade da vossa empresa para desenharem um plano futuro de sucesso!

 

Sage Enterprise Management

Kaizen: como melhorar processos de trabalho com pequenos passos

O método Kaizen ajudou o Great Western Bank, um banco norte-americano, a diminuir de 34 para 24 os passos necessários para se abrir uma conta bancária. A Ford tornou os seus processos mais eficientes com base nas mesmas ideias e recuperou o seu sucesso, após a crise económica de 2007/2008. O chef Ljubomir Stanisic também implementou esta estratégia de gestão com sucesso no seu grupo 100 Maneiras. Este conceito japonês, que quer dizer “boa mudança”, surgiu após a Segunda Guerra Mundial e tem um currículo convincente.

Esta estratégia de gestão e liderança tem como objetivo aumentar a produtividade e tornar o negócio mais rentável, com menos gastos e desperdícios. Devem-se considerar todos os tipos de melhoria, contínuas ou pontuais, pequenas ou grandes – que, juntamente, com uma cultura de “melhoria contínua”, gerará grande proveitos a partir dos mais pequenos resultados.

Podem escolher uma de duas aproximações diferentes a este conceito: de curso e de processos. A reorganização de uma operação de produção inteira, de acordo com o fluxo de materiais e informação, melhorará o curso da vossa produção. A segunda solução aborda alterações em postos de trabalho individuais. Para isso, devem começar por encorajar os vossos colaboradores a sugerir pequenas alterações de implementação fácil que acelerem procedimentos do dia-a-dia. Em qualquer caso, após a implementação de alterações, devem sempre monitorizar resultados e fazer ajustes em conformidade.

No entanto, Kaizen não é apenas uma estratégia que procura mais produtividade. Deve levar também a uma humanização do local de trabalho, ao eliminar trabalho excessivamente difícil e criar um ambiente em que todos os colaboradores têm oportunidade para apontar situações de desperdício e ineficiência.

Criem uma gestão una, simples e flexível do vosso negócio, em que todas as necessidades recebem resposta de forma rápida. As opções Sage ERP trazem-vos visão da vossa operação em tempo real, para implementarem alterações facilmente e ganharem rentabilidade.

 

Sage Sessions

O traço que eleva bons empreendedores e empregadores: a empatia

“Quero ser um grande ser humano, quero mesmo ajudar pessoas, tenho essa vontade na vida.” As palavras são de Ljubomir Stanisic, o chef jugoslavo que vive há mais de 20 anos em Portugal, em entrevista à NIT.

Aquilo que dá significado às nossas vidas é empatia para com os outros. Abrir as nossas mentes a outros pontos de vista e experiências transforma-nos em melhores pessoas, que comunicam melhor e estabelecem ligações e laços mais fortes.

Ou seja, sucesso pessoal não difere assim tanto de sucesso profissional. Ambos se baseiam em relações duradouras, dinâmicas e de confiança. Estes são alguns dos traços de empregadores que são apreciados por quem com eles trabalha:

  1. Reconhecem sentimentos próprios e alheios

Pessoas empáticas reconhecem as emoções dos outros e as suas próprias. Ao ouvirmos os nossos próprios sentimentos com respeito, podemos fazê-lo mais facilmente com as pessoas à nossa volta. No trabalho, é indispensável que demonstremos empatia para com as pessoas com quem trabalhamos diariamente.

Ljubomir reconhece esta realidade, explicando numa entrevista à TimeOut: “Tens de conhecer as pessoas, quando é que têm dor de cabeça, quando têm a menstruação, quando é que estão em baixo. Tens de apoiá-las. (…) Estar com eles é fundamental. Se não, não tens equipa. (…) Sem esta equipa, não consigo fazer nada.”

  1. Consideram as necessidades do outro

Relações de trabalho dinâmicas funcionam quando existem um reconhecimento das necessidades de cada um. Uma atitude de intolerância vai impedir a aprendizagem, a criatividade e as ligações fortes.

Mais uma vez, Ljubomir dá-nos um exemplo, em entrevista a’O Homem que Comia Tudo: “(…) [E]nterrei os familiares dos meus empregados. Ajudei-os a resolver os problemas com as funerárias, (…) tentei acompanhar sempre todos. E levo os meus empregados sempre comigo. (…) Mal consigo juntar algum dinheiro na empresa, 20% é investido nos empregados, [em formação].”

  1. Pensam sempre como “nós”

Empreendedores com empatia compreendem a força de uma equipa bem estruturada e apoiada. O sucesso não se faz sozinho e exige investimento nas pessoas que o cria. Na mesma entrevista, Ljubomir relembra a sua experiência, na área da restauração: “O mais importante (…) é tu gerires e escolheres as pessoas em quem confias e que, num primeiro momento, deves formar para terem um palato que se identifique com o teu negócio.”

  1. Procuram fazer a diferença

Uma vida consciente de quem nos rodeia é uma vida rica. A compreensão de que o sucesso e o egoísmo não são compatíveis leva muitos empreendedores a investir em ideias simples e honestas com excelente impacto na sociedade. Na mesma entrevista à NIT, Ljubomir explica, “(…)[J]á conquistei aquilo que queria conquistar e (…) acho que queria dar às pessoas a mais-valia que é a experiência que tenho, porque (…) pode ajudar pessoas.”

 

Sage Sessions

Quatro conselhos financeiros que todos os empreendedores querem ouvir

Ljubomir Stanisic é a face do programa de televisão mais visto em 2017, “Pesadelo na Cozinha”. No entanto, mesmo na ribalta, não se coíbe de partilhar como a falência do seu primeiro restaurante moldou o seu percurso. Aberto em 2007, o 100 Maneiras do Hotel Villa Albatroz, em Cascais, fechou no ano seguinte, resultado declarado de uma má gestão e pela crise económica. No programa “Alta Definição”, admitiu a Daniel Oliveira que “foi um abanão muito grande na minha vida, (…) quase um funeral”.

Pagou a sua dívida em sete anos e, em 2009, com €12 000, abriu o restaurante 100 Maneiras, no Bairro Alto. Agradece ainda hoje a gentileza dos vendedores do mercado da Ribeira que lhe permitiam pagar os víveres no dia seguinte, com os lucros do restaurante da noite anterior.

Apesar de, nos últimos anos, se manter a tendência de diminuição de insolvências de empresas portuguesas, a falta de liquidez ainda afeta muitos negócios. A vida financeira de um negócio pode desenrolar-se de muitas formas mas os empreendedores devem reconhecer quando a sua grande ideia pede a perícia de outrem.

É indispensável terem consciência dos vossos pontos fortes e foi isso mesmo que permitiu ao chef Ljubomir voltar a investir na sua área de especialidade. O chef jugoslavo admite que gerir finanças não é o seu forte, nem na esfera privada, nem nos seus restaurantes. Optou por criar uma equipa de gestão financeira, cabeceada pela sua irmã, mais apta nesta área, a quem entregou a gerência do grupo 100 Maneiras.

Ao lançar o vosso negócio e para o manter no caminho certo, devem ter mente estas quatro ideias chave.

  1. Compreendam a verdade sobre crédito

Por vezes, a melhor forma de dar asas ao vosso negócio é através de uma linha de crédito, que testará o vosso perfil de crédito pessoal.

Evitem aumentar a dívida máxima no vosso crédito, saldem as vossas dívidas e mantenham as vossas contas mais antigas.

  1. Antecipem o inesperado

As despesas nem sempre surgem de onde esperamos. Colmatem qualquer necessidade com o conhecimento especializado de um advogado, por exemplo, que analisará as características do vosso negócio e vos aconselhará como se protegerem contra possíveis dificuldades.

  1. Separem finanças pessoais e de negócio

Considerem injetar investimento pessoal no vosso negócio, para arrancar ou para o levar a novas alturas. No entanto, analisem sempre as folhas de balanço racionalmente. Ouçam o mercado, caso esteja a rejeitar o vosso produto, e não invistam dinheiro num negócio sem sucesso.

  1. Ouçam a verdadeira motivação

Lancem projetos nos quais acreditam, para que até os maus momentos valham a pena. Todas as empreitadas de sucesso têm fundadores apaixonados no comando por isso apostem sempre nas vossas ideias que mais vos entusiasmam!

Em resumo, empreendedores que estabelecem limites para si próprios, aprendem com quem os rodeia e planeiam contra imprevistos estão preparados para contratempos financeiros. Ljubomir Stanisic é prova viva; em 2017, nove anos após a falência do seu primeiro restaurante, o Bistro 100 Maneiras foi eleito pela revista Monocle como o melhor restaurante do mundo. Inscreva-se já, nas Sage Sessions, para o ouvir, já no dia 29 de novembro.