Recursos Humanos

Recursos Humanos: porque são importantes?

Os peritos em Recursos Humanos desde sempre encorajam os colaboradores a apostarem nos seus pontos fortes. A ideia é simples, mas difícil de implementar por vários motivos.

Nem sempre temos um bom conhecimento dos nossos pontos fortes, ou não os valorizamos por serem tarefas que realizamos sem dificuldade.

Superpoderes.

Muitas vezes, aquilo que fazemos bem parece fácil e não implica esforço. As chefias, depois de identificarem estes “superpoderes”, poderão requisitar trabalho nessas áreas.

Por vezes, gera-se uma sensação de relutância perante a atribuição de tarefas que parecem demasiado simples, o que pode até ser entendido como uma forma de desconfiança perante outras capacidades adquiridas. Pode ter sido uma aquisição após muito trabalho e investimento pessoal e há a possibilidade de o desinteresse das chefias soar a falta de confiança.

Identificar capacidades especiais na equipa.

Podemos colocar algumas questões de forma a tornar-se mais fácil identificar estas capacidades dentro das equipas.

Sensação de exasperação.

É comum reagirmos com alguma exasperação quando em contacto com algo que para nós é simples, mas para os restantes se prova ser difícil. Refletir sobre situações em que existe esta sensação pode ser uma forma de identificar uma capacidade intrínseca.

Desvalorizar elogios.

Quando somos naturalmente bons em algo, temos a tendência para desvalorizar os elogios que recebemos. Tomem atenção: se é frequente receberem o mesmo elogio, então é provável que a área em questão seja um ponto forte das vossas capacidades.

Se analisarmos, após recrutamento, um grupo de colaboradores, raramente o ponto forte identificado que poderá ter sido decisivo na contratação se encontra em destaque no currículo.

Acompanhar o desenvolvimento pessoal.

Contar com um software de recursos humanos é essencial para acompanhar a progressão da equipa, analisar se os projetos são suficientemente desafiantes, se estão a contribuir para o desenvolvimento do colaborador. Sigam sem dificuldade o desempenho da equipa e avaliem as necessidades de formação.

 

Artigos Relacionados

0 Comentários

Deixe um comentário